Melhor tratamento para doenças renais é a prevenção, afirma nefrologista da Santa Casa de Barretos

0
115
Foto: Divulgação - Dr. Ricardo Gonçalves da Silva

Dr. Ricardo Gonçalves da Silva comenta a importância do dia 14 de março, “Dia Mundial do Rim”

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia, que coordena no Brasil a Campanha do Dia Mundial do Rim, 14 de março, estima-se que no Brasil, cerca de 50 mil pessoas por ano com doença renal morrem precocemente antes de ter acesso à diálise ou ao transplante.

O nefrologista da Santa Casa de Misericórdia de Barretos, Dr. Ricardo Gonçalves da Silva, destaca que a prevenção ainda é o melhor tratamento para doenças renais, que ocorrem devido às condições provocadas pela redução da eficiência das funções metabólicas dos rins, órgão vital para o organismo humano.

“Os problemas mais comuns podem ocorrer de forma crônica ou aguda, causando complicações severas. A doença renal crônica resulta na diminuição do funcionamento dos rins, podendo variar de uma alteração leve até uma deficiência grave, necessitando, muitas vezes, de diálise ou transplante. A litíase renal, que são as famosas pedras nos rins, podem provocar infecções urinárias e perda dos rins; já as nefrites são como inflamação que afeta os rins causando dificuldade de processar resíduos tóxicos e líquido em excesso, entre outras disfunções”, explica o nefrologista Dr. Ricardo.

Ainda segundo o especialista em doenças renais, é recomendado a realização rotineira de exames básicos como Urina l ou Urina Rotina e Creatinina. “Por exemplo, a creatinina é um exame simples de sangue, barato e acessível, realizado em qualquer laboratório do SUS – Sistema Único de Saúde”, diz. “O dia 14 de março, chamado de Dia do Rim, serve para difundir as informações sobre o assunto, alertando a população para que adote esses exames como rotina anual”, esclarece o médico.

Doenças renais, na maior parte das vezes, apresentam sintomas que podem ser confundidos com outras patologias, como o descontrole da pressão arterial, inchaço nas pernas, mudança da cor ou quantidade de urina, náuseas e vômitos.

“A partir desses sintomas ou sendo hipertenso, diabético, portador de pedras nos fins, é recomendado que a pessoa procure um médico, preferencialmente, o médico nefrologista, para orientação, adequação da dieta, dos medicamentos e medidas de prevenção da progressão, que é a piora da doença renal”, conclui o nefrologista.

Para a realização dos exames preventivos pelo SUS – Sistema Básico de Saúde, basta agendar consulta, com um clínico geral, na Unidade Básica de Saúde mais próxima e, durante a conversa com o profissional, solicitar que os exames que avaliam a condição de saúde dos rins também sejam solicitados.

(Parceria Comunicação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.