GEPOL

0
221
Casal em noite de premiação na Portuguesa de Desportos São Paulo.

(Da redação)

PROTAGONISTA DA HISTÓRIA

WILSON SILVEIRA LUIZ

Fez história na imprensa de Araraquara (e outras cidades). Por meio de relato do próprio Wilson, contamos um pouquinho de sua vida.

Observação que salta aos olhos: um batalhador!

“Comecei a trabalhar com 12 anos de idade na Mantovana Fábrica de balas dos irmãos Dalacqua na Rua Gonçalves Dias 1111. Casado com a Maria Aparecida (querida Cidinha), desde 28 de maio de 1960. Tivemos 7 filhos, 10 netos e 7 bisnetos.

Comecei na comunicação em 1959 na Rádio Progresso de São Carlos. Passei por várias emissoras: Progresso, Rádio São Carlos, Rádio Realidade, Rádio Universitária de São Carlos, Rádio Voz da Araraquarense, Rádio Morada do Sol, Rádio Aracoara, Rádio Bandeirantes de Araraquara, Rádio Brasil FM, Rádio Central de Campinas, Rádio Sumaré, Rádio Cultura de Ribeirão Preto, Rádio Notícias de Matão, Rádio Clube Imperial de Taquaritinga e tantas outras.

Trabalhei em vários jornais: Correio de São Carlos, Primeira Página de São Carlos, Correio de São Carlos, Tribuna, Folha de São Carlos, Jornal A Cidade e tantos outros.

Ganhei dois anos seguidos o Troféu Gandula como melhor narrador do interior; Troféu Aceesp; Honra ao Mérito pela Câmara Municipal de Araraquara, projeto apresentado na época pelo vereador Geraldo Polezze; Cidadão Benemérito de Araraquara; Troféu Gente que Acontece do François Paul; 2 vezes o Troféu instituído pelo Maurinho Januário e vários outros. Fui fundador da LIBA (Liga Bochófila de Araraquara). Fui apresentador oficial da Seresta A Caminho do Sol e do Concurso Nacional de Bandas Marciais.

Fui Presidente da ACESC (Associação dos Cronistas Esportivos de São Carlos) em dois mandatos; presidente da Comtur de São Carlos; fui do Conselho Superior da Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), Diretor do Interior da Aceesp; Diretor da Ferroviária; Presidente da ACEA – Associação dos Cronistas Esportivos de Araraquara e Diretor do Palmeiras E.C da Vila Xavier.”

Veterano que é na comunicação, como Wilson vê as mudanças na imprensa?

“O modo de divulgação mudou muito após o surgimento da internet. Infelizmente, nem todos os informes são confiáveis. Tem muita gente maldosa aproveitando para deturpar a história. Principalmente na política onde fake news predominam.”

Wilson Luiz continua na ativa. Faz um trabalho importante no Jornal de Araraquara, o que nos enche de orgulho.

SEGURANÇA

Idosos que vão ao Cemitério São Bento não se sentem seguros na visita de túmulos. E também continua o furto de vasos, adornos e placas de bronze.

Questionamos a Assessoria do Executivo: O Executivo tomou alguma providência a respeito?
Se não, como solucionar o problema?

RESPOSTA

“A segurança é feita pela Guarda Civil Municipal (GCM), que realiza rondas diárias no interior dos cemitérios municipais, durante o dia e principalmente à noite.
Por conta de relatos de furtos de vasos e placas de cobre no período noturno, houve inclusive reforço das rondas no cemitério São Bento e cemitério das Cruzes neste período e essa ação intensificada já surtiu efeito.
Não houve registros recentes de ocorrência de invasões e furtos de adornos.
Além disso, uma das finalidades da regularização de concessão das sepulturas que está em curso no cemitério São Bento é investir em segurança no local, incluindo instalação de iluminação LED e de segurança noturna armada, para evitar invasões e furtos de vasos e outros adornos.”

ZELADORIA

Sabemos que prevenir sempre é melhor. Moradores questionam: por que não há mais garis nos bairros?

“De vez em quando eles aparecem. Ficam um tempinho e somem de novo. O que acontece?” – é o tipo de questionamento que nos chega muito. Afinal, existe um motivo? Qual?

Enviamos essas perguntas ao DAAE – Departamento Autônomo de Água e Esgoto.

RESPOSTA

“O Daae esclarece que o planejamento e a distribuição de varredores na área urbana do município são feitos mediante um mapeamento da cidade, que é dividida em setores de varrição.
Cada setor tem os seguintes critérios: frequência de varrição, turno (horário de início e término do serviço) e determinação dos dias da semana.
Na área central, por exemplo, a frequência de varrição é diária. Nos corredores comerciais da cidade, a frequência se alterna, sendo diária, três vezes por semana ou duas vezes por semana.
Além disso, outras equipes de varrição acompanham o programa Prefeitura nos Bairros e atendem as regiões do programa.”

FELIZES

Na última quarta-feira (20), após anos de espera, assentados do Bela Vista receberam títulos de proprietários de terra. A iniciativa partiu de um grupo de moradores que intermediou acertos entre assentados e INCRA para aquisição dos títulos.

REPERCUSSÃO

Sobre a reportagem do Gigantão, que o JA fez na última edição, muitos foram os comentários. Separamos o da nossa leitora Aparecida Broco:
“Estão destruindo Araraquara, fico triste vendo tudo acabando e envelhecendo na nossa cidade. Suja, matos, asfaltos destruídos, barulhenta, motoqueiros fazem o que querem. Não tem fiscalização. Gastam tanto e não se sabe onde foi o dinheiro. Nosso teatro tão lindo está feio. Arena da Ferroviária, tão linda, sem manutenção. Enfim, que dó. Muito triste.”

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.