Dora ajuda a construir um mundo melhor

Gestora da área de Literatura, Dora Soares coordena a Biblioteca Pública Municipal “Mário de Andrade”.

Segundo ela, “os livros nos abrem novas frentes para a linguagem, os valores, a criatividade, o senso crítico”.

Indicada por Sarah Coelho Silva, concedeu entrevista para o destaque em Gente, nesta edição.

Os jovens utilizam a Biblioteca Municipal?

A Biblioteca Pública Municipal atende a usuários de todas as idades e de toda a cidade, em sua maioria jovens. Somos procurados por estudantes das escolas públicas municipais e estaduais e também das particulares. Atendemos a estudantes universitários e adultos, além da procura específica da Biblioteca Infantil. Em períodos letivos, a sala de pesquisa chega a atender uma média de 300 adolescentes e jovens por dia.

Há uma relação da Biblioteca com as escolas?

A Biblioteca Municipal não tem uma relação direta com as escolas, nem um projeto conjunto, a não ser atender às necessidades de pesquisa dos alunos. Pretendemos, em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação, implantar um sistema único de bibliotecas, a fim de desenvolvermos um projeto que vise a administração, catalogação, ampliação e disponibilização do acervo municipal.

Quais os tipos de livros mais procurados?

Os mais retirados são, sem dúvida, os títulos requisitados nos vestibulares. Depois, os de interesses individuais.

Este ano, por exemplo…

Os títulos mais retirados, de janeiro a setembro, foram O Primo Basílio, de José Maria Eça de Queiroz; Memórias de um Sargento de Milícias, Manuel Antonio de Almeida; e Os Lusíadas, de Luiz Vaz de Camões.

Os jovens gostam de poesia?

Sim, os jovens sempre gostam de poesia. Do Hip Hop à Drummond, os jovens estão sempre buscando uma linguagem, uma identidade para expressar sua revolta, sua maneira de ver o mundo, seus amores. Os jovens estão sempre apaixonados e se entregam ao que fazem, ainda bem.

Como você avalia, hoje, nossos jovens?

Jovem, para mim, é sempre mais e melhor a cada geração. Hoje, os jovens têm mais diversidade nas fontes de informação, como a tv, as rádios, os jornais, as revistas, a internet. Porém, acredito numa certa redução do vocabulário, num certo limite no desenvolvimento da análise crítica. Muita informação, sem refinamento, por vezes limita o raciocínio ao elementar. Os livros nos abrem novas frentes para a linguagem, os valores, a criatividade, o senso crítico. Os jovens hoje têm, potencialmente, mais acesso. Porém, é necessário incentivar o pensamento crítico e a criatividade para refinar sua cultura geral. Mesmo porque, a grande maioria, no mínimo, arranha uma segunda língua. Essa linguagem múltipla, estimulada, pode gerar grandes pensadores e nossos jovens têm total capacidade para isso.

A leitura pode afastar o estresse?

Não sei, mas uma boa leitura é capaz de nos fazer relaxar e sonhar, recuperar nossa esperança e renovar nossos paradigmas. E acredito que isso ajude no tratamento do estresse.

Qual a maior virtude do ser humano?

Acredito que sua capacidade de sonhar, de crer que é possível construir uma realidade como somos capazes de idealizá-la, essa incrível potencialidade que a inteligência nos dá.

Mensagem

Trabalhar numa Biblioteca Municipal é uma grande responsabilidade: guardar, ampliar e difundir o conhecimento e as diversas expressões do sentimento e da razão é uma honra e uma grande dificuldade. Porém, o que mais vale é acreditar que essa é nossa parte na construção de uma realidade melhor: difundir palavras, idéias, conceitos, formas de ver o mundo, capacidade de abstrair e sonhar. Araraquara me dá essa oportunidade e é com carinho que pretendo exercê-la.

Compartilhe :

No data was found
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Após autorização do Presidente Lula, Prefeitura lança licitação da segunda fase das obras na Via Expressa

Comcriar elege conselheiros e define diretoria para o mandato de 2024 a 2026

Guerreiras viram a chave novamente para o Brasileirão

Canal Direto repercute Semana Luís Antonio Martinez Corrêa

Arraiá da Apae prossegue neste fim de semana

CATEGORIAS