COVID LONGA – Uma Condição Muito Mais Prevalente e Com Um Leque Muito Variado de Sintomas , a Covid Longa Traz Muitas Perguntas e Poucas Respostas

0
250
Dra Gesika Amorim

Texto: Dra Gesika Amorim

Drama e Desafios Para Pesquisadores Em Todo Mundo Que Vem Se Debruçando Para Entender A Dinâmica Da Então Chamada Covid Longa.

Trata-se de uma condição da doença muito mais prevalente e com um leque muito variado de sintomas. Ainda não se tem um nome oficial, mas deverá ser definido pela OMS, que está estudando e reunindo informações pelo mundo. Sabemos que há um leque de sintomas, mas o principal é a fadiga acentuada; por volta de 62% dos pacientes tem apresentado esse sintoma. Fadiga essa que faz com que o indivíduo não consiga nem mesmo realizar as tarefas simples do dia-a-dia.
A Dra. Gesika Amorim, Mestre em educação médica, Pediatra pós graduada em Neurologia e Psiquiatria, com especialização em Tratamento Integral do Autismo, Saúde Mental e Neurodesenvolvimento, traz o seu testemunho:- Eu tenho recebido muitas mães de paciente com diagnóstico de covid, que vem trazer seus filhos para consultar, e acabam falando comigo sobre as complicações pós-covid, e mesmo aquelas que não tiveram covid grave observam sequelas cognitivas muito importantes depois da infecção.
Muitos pesquisadores acreditam que 01 para cada 10 pacientes da covid19 poderão apresentar os sintomas 12 semanas depois. Uma curiosidade é que enquanto algumas pessoas apresentam anomalias leves e de curto prazo, outras pessoas acabam desenvolvendo complicações graves, e existem aquelas pessoas que, aparentemente, não apresentam nenhuma condição.
“Toda essa incerteza com relação aos sintomas ainda está sendo discutida. Fato é que ainda não há um consenso de quem poderá ter as sequelas provocadas pela doença por um período de tempo longo.” – diz Gesika Amorim
Outro ponto importante é que existe dois grupos de pacientes; os que foram hospitalizados e os que não foram. E cada grupo apresenta diferentes causas subjacentes.

1-No primeiro grupo, os pulmões ou o coração foram prejudicados pela infecção viral aguda ou pela explosão de citocinas, como resposta inflamatória extrema e pode obrigar o sistema imunológico de um paciente a atacar os próprios tecidos.

2-Já o grupo dos não hospitalizados, os sintomas aparecem e somem em três ondas distintas, começando com tosse seca e febre, depois a segunda onda com outros sintomas. Um mês depois da primeira infecção, surge uma terceira onda com dores musculares, erupções cutâneas, névoa cerebral e alergias.

MULHERES A COVID LONGA

Vocês sabiam que as mulheres podem ter maior probabilidade de desenvolverem Covid Prolongada?

Pesquisadores como David Strain, da faculdade de medicina da Universidade de Exeter, no Reino Unido, tem apresentado indícios de que as mulheres são mais suscetíveis a desenvolverem Covid longa, ainda sem causas definidas. Segundo o instituto de estatísticas do país, a probabilidade está em torno de 74%.

A pesquisa ainda aponta que a maioria dos pacientes com a Covid Longa são mulheres com menos de 50 anos, ou seja, ainda jovens, enquanto os demais doentes se dividem entre homens e mulheres com mais de 50 anos.

No entanto, é preciso atentar que, em se tratado de cuidados com a saúde, as mulheres sempre estiveram à frente dos homens, o que significa que os homens podem não estar aparecendo nas estatísticas por não procurarem ajuda médica, isso deve ser considerado dentro das estatísticas e pesquisas – Alerta a Dra. Gesika Amorim.

OS SINTOMAS E TRATAMENTO

Segue abaixo os principais sintomas:
– Fadiga acentuada
– Falta de ar
– Dor de cabeça
– Perda de paladar e olfato
– Ansiedade
– Depressão
– Falta de memória
– Insuficiência cardíaca
– Palpitação
– Perda de cabelo
A covid longa apresenta sequelas que, geralmente, persistem por mais tempo, causando desconforto. Ao se diagnosticar essa condição, se faz necessário acompanhamento médico para tratar ou minimizar os sintomas dessas sequelas.

(*) É Mestre em Educação médica, com Residência Médica em Pediatria, Pós Graduada em Neurologia e Psiquiatria, com formação em Homeopatia Detox (Holanda), Especialista em Tratamento Integral do Autismo. Possui extensão em Psicofarmacologia e Neurologia Clínica em Harvard. Especialista em Neurodesenvolvimento e Saúde Mental; Homeopata, Pós Graduada em Medicina Ortomolecular – (Medicina Integrativa), dentre outros títulos. (MMelo Assessoria – E mail: [email protected])

Deixe uma resposta