Como falar de política com os filhos?

0
129

Respeitando a faixa etária e a linguagem da criança e do jovem, é possível que eles entendam como a política acontece na prática

Termina no dia 4 de maio o prazo para que os cidadãos de todo o Brasil regularizem a situação do título de eleitor. Quem tiver pendências com a Justiça Eleitoral, após essa data, não poderá votar nas eleições de 2022. Neste ano, serão disputados os cargos de deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente.

Assim como outros temas do mundo adulto, as eleições podem render boas conversas com as crianças e jovens. Além de ser um importante aprendizado sobre cidadania, é uma oportunidade de inserir o tema no cotidiano, ensinando sobre como esse processo democrático influencia a vida de todos. Nessa hora, é importante não reforçar pontos como “é sempre assim” e evitar termos muito complexos, convidando a criança e os adolescentes a se informar sobre o assunto.

Como explicar o que é política?

À primeira vista, pode parecer um assunto meio complicado de abordar com os filhos, especialmente os pequenos. Porém, quando a reflexão é feita na linguagem da criança e respeitando a faixa etária, é possível que ela entenda como a política acontece na prática.

Os pais podem começar explicando que é uma ferramenta capaz de transformar o mundo, para que ele seja um lugar melhor para todos. Também é interessante dizer que a política está presente cotidianamente em nossas vidas, seja em casa, nas relações com os amigos ou na escola. A partir daí, é possível promover uma reflexão sobre atitudes, valores humanos e expectativas que se depositam sobre as pessoas que se dispõem a governar.

“A responsabilidade envolvida no processo eleitoral pode ser mais bem compreendida quando as crianças têm vivências importantes em casa, como escolha consciente e corresponsável, pensamento crítico, respeito à diversidade, seleção de fontes de informação confiáveis, exercício de cidadania, direitos e deveres respeitados. Os adultos precisam criar condições para que sejam exemplo de uma conduta ética”, explica o coordenador do Ensino Médio da Escola Champagnat, Valmir Rogério Faili.

Como orientar adolescentes que já podem votar?

Neste caso, a orientação é essencial. Ou seja, os adolescentes devem ser ensinados a buscar fontes confiáveis de informações sobre os candidatos, a conhecer as plataformas de governo e compará-las com a sua forma de entender o mundo, buscando representação.

“O papel dos pais ou familiares é muito importante nesse processo. Como adultos experientes, são eles que contribuem com a visão crítica, buscando ponderar as considerações dos jovens que, por meio da escuta e do diálogo, colaboram para escolhas conscientes”, esclarece o professor Valmir.

Veja outras dicas na hora de conversar sobre política:

  1. Evite discutir política: procure não repetir o senso comum como “é sempre assim”, “nada muda”, “os políticos são sempre os mesmos”, entre outros jargões. A crença na mudança social pela ação do cidadão é importante para que o processo eleitoral seja considerado pelo jovem como uma ferramenta de transformação.

  2. Se informe junto com o filho: leia jornais, impressos ou virtuais, acesse as plataformas políticas, assista aos momentos de propaganda eleitoral, ponderando sobre a viabilidade ou não das propostas e os contextos que estão implícitos nas imagens. Essas são maneiras de dialogar e ajudar o jovem em sua escolha.

  3. Evite termos complexos: no caso de crianças pequenas, é melhor explicar com exemplos práticos ao invés de partir para termos como “liberdade” ou “democracia”, que podem ser mais difíceis de entender.

  4. Dê exemplos: para tornar mais palpável a explicação, exemplifique, contando que as relações políticas acontecem também em casa, no condomínio, na escola e em outros lugares que a criança frequenta.

  5. Ressalte o potencial transformador da política: para isso, incentive a participação da criança em ações como trazer os filhos para convivência com realidades diversas por meio do trabalho voluntário, por exemplo.

Sobre as Escolas Champagnat: com um sistema de ensino baseado na aprendizagem criativa, as Escolas Champagnat permitem aos alunos vivenciarem o aprendizado de forma dinâmica, com a “mão na massa”, tudo isso atrelado a resolução de situações-problemas. Além de aulas diárias de inglês, também fazem parte da rotina educacional aulas com elementos da robótica e recursos da Microsoft, como o Minecraft.

Saiba mais em https://escolachampagnat.com.br/  (Eduardo Ruiz Vella – eduardo@pg1com.com)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.