“Canal Direto com a Prefeitura”: escritora Cintia Santos abre especial “Semana da Mulher”

0
71
Foto: Pedro Junqueira - Cintia Santos participou do Canal Direto com a Prefeitura.
 Integrante da Academia Araraquarense de Letras falou sobre sua trajetória e a importância da literatura em sua vida

 

Programa produzido pela Secretaria Municipal de Comunicação, o “Canal Direto com a Prefeitura” apresenta, até a próxima sexta-feira (8), o especial “Semana da Mulher”, com entrevistas que trazem histórias de vida inspiradoras para celebrar o Dia Internacional da Mulher. Abrindo a série, nesta segunda-feira (4), o programa contou com a participação da escritora Cintia Santos, integrante da Academia Araraquarense de Letras.

Cintia falou sobre como surgiu sua motivação para começar a escrever. “Eu sempre gostei de ler, desde muito pequena, apesar de ter tido pouco acesso aos livros na infância, mas eu sempre tive aquela vinculação com a leitura, com o objeto livre. Cursei biblioteconomia, fiz toda uma trajetória acadêmica, então por muito tempo eu fiquei na leitura científica, mas sempre ali com aquela questão da leitura não científica, literária. Eu compreendo a leitura como um ato social, político, afetivo, tanto a leitura como a escrita. E eu tenho esse privilégio de poder caminhar com esse pensamento, com essa sensação, e poder hoje ler muito mais do que eu lia tempos atrás. É uma atividade essencial na minha vida”, revelou.

Segundo ela, esse caminho percorrido na vida é levado para as páginas de seus livros. “A minha trajetória literária como escritora está totalmente vinculada às minhas experiências, então eu parto para a literatura com dois tópicos muito importantes: a transição capilar e a maternidade. As obras que tenho escritas versam sobre essas minhas vivências, enquanto mulher, uma mulher que escreve, uma mulher preta, periférica, mãe, então tem total relação o que eu vivo com o que eu escrevo”, comentou.

Cintia falou também sobre seus livros publicados. “O primeiro foi ‘Minha mãe usa touca de cetim’, publicado em 2021, onde nós somos as personagens desta obra. A continuidade desse diálogo veio em ‘Meu pai também usa touca de cetim?’, uma publicação em parceria com o Marcel, meu marido, e o Lucas, nosso filho, que é quem traz as narrativas. No ano passado publicamos um capítulo que fala da importância da leitura na primeira infância com a Editora Empório Inventivo. No ano passado também publiquei uma obra de poesias onde eu trago à tona a questão da fertilização in vitro com esse recorte interseccional em uma produção independente. E agora, recém-lançada, uma versão infanto-juvenil dessa temática da fertilização in vitro, chamada ‘Semente’ e lançada em janeiro. Essas três obras ilustradas são da editora Letraria, daqui de Araraquara”, salientou.

Ela também falou sobre o sentimento de integrar a Academia Araraquarense de Letras. “É uma responsabilidade. Eu me sinto muito lisonjeada de poder fazer um percurso através também da Academia Araraquarense de Letras. É um percurso vivo, dinâmico, de formação de leitores, de destacar a importância da escrita e da literatura. Eu ocupo a cadeira de número 1, de Dona Ruth Cardoso, e é uma honra poder caminhar por Araraquara, região e outros lugares levando o nome da academia e levando a importância da leitura e da escrita”, ressaltou.

A escritora também deixou uma mensagem para as meninas que a vêem como uma inspiração e utiliza um termo da linguista e escritora afro-brasileira Conceição Evaristo. “Fico muito feliz de ter uma rede orgânica, com muita gente daqui de Araraquara e muitas mulheres. A gente escreve, as mulheres pretas escrevem algo, e o complicado é publicar. Então eu peço para vocês, meninas, mulheres jovens, que escrevam as narrativas de vocês. Para escrever, a gente precisa ler. Sobretudo, publiquem as narrativas de vocês, na criação de conteúdo, em livros, blogs, externalizando essas escrevivências, que é o termo que Conceição Evaristo traz. É muito importante nós trazermos as nossas narrativas. Não desanimem jamais”, orientou.

Cintia também falou sobre a importância de um trabalho que ela realiza de levar conhecimento sobre a literatura para as crianças em escolas da cidade. “Esse trabalho nas escolas é fundamental na formação de leitores, não somente nas escolas públicas. Essa atuação das escolas eu trago também a questão do empreendedorismo, do empreendedorismo negro, do empreendedorismo feminino negro. À partir da publicação do meu primeiro livro, a minha mãe começou a produzir toucas de cetim para vender. Então é muito importante essa questão da leitura, do poder que incita e incentiva mulheres a sair de uma ponta a outra, então tem essa questão do empreendedorismo. E Araraquara tem o MEA, que é o Movimento de Empreendedoras Araraquarenses, que também conta com um segmento de escritoras. Essa é uma forma das pessoas acompanharem os perfis e acompanharem os trabalhos de outras divas”, acrescentou.

A escritora também destacou que suas obras podem ser compradas por meio de contato pelo Instagram, pelo seu perfil @soulcrespa2020, ou pelo site da Editora Letraria (www.letraria.net).

Ao vivo

O “Canal Direto com a Prefeitura” vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 12h30, ao vivo na página da Prefeitura no Instagram. A íntegra dos programas fica disponível para visualização no próprio Instagram, no Facebook e em outras plataformas digitais, incluindo o formato de podcasts.

SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.