“Cabaça”: matéria prima acessível é foco de terceiro curso de artesanato do Patrimônio Histórico

0
121

Projeto “Artesanato como Patrimônio AQA”, da Coordenadoria de Acervos e Patrimônio Histórico, está em sua terceira edição com cursos livres e rápidos sobre técnicas de artesanato

Mais um curso promovido pela Coordenadoria de Acervos e Patrimônio Histórico teve início nesta segunda (22): o curso de artesanato como patrimônio e identidade cultural: “Artesanato com Cabaça – técnicas para utilitários e decorativos”, com professor Anderson Henri.
Ministrado no Museu Ferroviário Francisco Aureliano de Araújo, no Centro de Araraquara, o curso conta com 15 participantes. “Começamos hoje o terceiro curso do Programa Artesanato como Patrimônio AQA. O objeto desta edição é artesanato em cabaça. O mais expressivo é perceber o aumento na adesão. Este é um importante objetivo alcançado”, comenta Weber Fonseca, coordenador de Acervos e Patrimônio Histórico.
Ele lembra que o projeto visa oferecer formação em cursos livres e rápidos sobre técnicas de artesanato que priorizem o uso de materiais recicláveis, de baixo custo e matéria prima acessível e, por vezes, característica da região, como por exemplo: o bagaço da cana, a palha de milho e a cabaça.
A curso com cabaça será ministrada esta semana, até o dia 25, das 8 às 17 horas, em uma realização da Secretaria Municipal da Cultura, por meio da Coordenadoria de Acervos e Patrimônio Histórico, em parceria com Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e Sindicato Rural de Araraquara.
A atividade dá continuidade ao projeto “Artesanato como Patrimônio AQA” que, desde o último setembro, realizou os cursos: “Marchetaria” e “Artesanato em Fibras Vegetais: cana-de-açúcar”.

(Secretaria de Comunicação – Prefeitura de Araraquara)

 

Deixe uma resposta