Saúde visual ao longo da vida: o impacto da visão no bem-estar físico e mental

0
92
Foto Ilustrativa Freepik

Especialista do CROOSP fala sobre os sinais de alerta e as medidas preventivas para garantir a qualidade de vida

A saúde visual é um fator determinante para garantir uma qualidade de vida adequada, pois cerca de 80% das informações que recebemos do mundo ao nosso redor, provém dos olhos. Ter uma boa visão ao longo da vida não apenas permite experiências visuais, mas também está conectada à saúde física e emocional.

Camilla Martinez, optometrista e diretora de relações profissionais no Conselho Regional de Óptica e Optometria do Estado de São Paulo (CROOSP), nos explica que investir na saúde visual, por meio de exames regulares e cuidados adequados, é essencial para preservar a qualidade de vida e garantir o bem-estar ao longo dos anos.

Saúde visual, física e mental ao longo da vida 

Uma saúde visual adequada desempenha um papel essencial na manutenção da saúde física e mental por várias razões. Em primeiro lugar, está intimamente ligada à capacidade de realizar atividades cotidianas, como ler, dirigir e até mesmo caminhar com segurança, o que contribui para um estilo de vida ativo e independente. Além disso, problemas de visão não corrigidos podem levar a tensão ocular, dores de cabeça e fadiga, afetando diretamente o bem-estar físico.

Em termos de saúde mental, a visão impacta na forma como percebemos e interagimos com o mundo ao nosso redor. Uma visão clara facilita a comunicação, a compreensão visual e a interpretação de estímulos, influenciando no humor e níveis de estresse. Por outro lado, problemas de visão não tratados podem levar à frustração, isolamento social e até mesmo depressão, especialmente se interferirem nas atividades do dia a dia ou nas relações interpessoais.

Sinais de alerta e medidas preventivas

Camila alerta sobre os sinais que devemos prestar atenção: “se ao fechar um olho e depois outro, a pessoa percebe que existe uma diferença considerável de nitidez entre eles, ou então ao fazer isso, percebe pontos pretos, como pedacinhos faltando na visão daquele olho, é preciso entrar em estado de alerta. Outra questão de atenção é quando os olhos estiverem muito vermelhos ou ver flashes de luzes”.

Melhor do que perceber os sinais de alerta, é tomar medidas preventivas. Camilla pontua que “os benefícios de fazer consultas de rotina e seguir as orientações do Optometrista asseguram qualidade de visão contínua e previne diagnósticos tardios. O Optometrista tem condições de identificar quando um olho não está saudável e assim, fazer o encaminhamento em tempo para iniciarem um tratamento rápido. Com os exames periódicos, o paciente também fica atualizado com dicas para proteger os seus olhos dos raios nocivos e orientações para correção dos hábitos que prejudicam a visão”.

A especialista também dá dicas para quem usa excessivamente dispositivos eletrônicos como celular e computador. “O ideal é reduzir o brilho, manter a distância mais afastada possível e usar filtro de luz azul nos óculos. Importante falar que o filtro elimina apenas o excesso da luz prejudicial, mas deixa passar o restante, por isso, é necessário cuidado com os bloqueadores, já que estes podem barrar 100% do espectro azul e isso não é bom para o nosso organismo. Não esquecer de usar óculos de sol nos dias com forte radiação UV e de tempos em tempos, fazer exames mais complexos de fundo de olho e pressão ocular”, ressalta.

Reconhecer e valorizar a importância da saúde visual é essencial para garantir um estilo de vida pleno e equilibrado em todas as fases. “As pessoas precisam cuidar mais e melhor da visão, pois na sua ausência, a qualidade de vida muitas vezes vai embora junto”, conclui Camilla.

Sobre o Optometrista – Os profissionais Optometristas tiveram sua atuação reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que definiu ser lícito aos que possuem formação de nível superior realizar a prescrição de óculos e lentes de contato. Em relação aos profissionais técnicos, foi facultado o exercício de todas as outras atividades previstas na Classificação Brasileira de Ocupações.

No Estado de São Paulo, o Centro de Vigilância Sanitária isenta o licenciamento de consultórios e gabinetes optométricos; além disso, não há proibição para a atuação de optometristas dentro de óticas.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) também reafirma a legalidade de optometristas de nível superior estabelecerem local de trabalho para atender pacientes e que estão autorizados a prescrever óculos e lentes de contato.

Por meio do Ofício Circular n° 4/2023/SEI/GGTES/DIRE3/ANVISA, a ANVISA reiterou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) proferida nos autos da ADPF 131, determinando que todas as autoridades sanitárias do país fossem comunicadas da validade imediata e vinculante da ordem emanada pela Suprema Corte.

Sobre o CROOSP – O Conselho Regional de Óptica e Optometria do Estado de São Paulo é uma entidade que representa a categoria em todos os âmbitos do poder público e sociedade civil. Sua missão é de promulgar a excelência em óptica e optometria, elevando a qualidade dos profissionais por meio de pesquisas e estudos técnicos das atividades de seus associados e, consequentemente, contribuindo para a melhoria da saúde visual da população. Entre suas principais iniciativas estão discutir e divulgar, sempre que necessário, as problemáticas socioculturais e financeiras da categoria representada, buscando as satisfações das aspirações daqueles que a integram.

(Agência Bowie)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.