Só um minuto

Um homem, no limite de suas forças, atentou contra a própria vida com uma arma de fogo. Ouvindo o tiro, o vizinho entrou naquele apartamento, e ao lado do corpo encontrou uma carta assim escrita: Não deu para suportar. Passei a noite toda como um louco pelas ruas. Fui a pé… pois não tinha condições de dirigir. Perdi meu emprego por injustiça feita contra mim. Nada mais consegui. Ontem telefonaram avisando que minha casinha no campo foi incendiada. Estava ameaçado de perder este apartamento por não ter podido pagar as prestações… Só me restou um carro, tão desgastado que nada vale. Afastei-me de todos os meus amigos com vergonha desta humilhante situação…E, agora, chegando aqui em casa, não encontrei ninguém…Fui abandonado e levaram até minhas melhores roupas! Aquele que me encontrar, faça o que tem que ser feito. Perdão. O vizinho dirigiu-se ao telefone para chamar a polícia. Quando esta chegou viu que havia recado na secretária eletrônica. Era a voz da mulher do morto: “Alô, amor! Sou eu! Ligue para a firma! O engano foi reconhecido e você está sendo chamado de volta para a semana que vem! O dono do apartamento disse que tem uma boa proposta para não o perdermos! Estamos na nossa casinha de campo. A história do incêndio era trote! Isso merece uma festa, não merece? Nossos amigos estão vindo para cá. Um beijo! Ah, já coloquei suas melhores roupas no porta malas do seu carro. Vem!

Pois é, no último minuto reflita só mais um minuto! Por favor nunca perca a esperança, por piores que sejam as circunstâncias.

Todo dia é menos um dia

Todo dia é menos um dia: menos um dia para ser feliz, menos um dia para dar e receber, menos um dia para amar e ser amado, menos um dia para ouvir e, principalmente, calar! Sim, porque calando nem sempre quer dizer que concordamos com o que ouvimos ou lemos, mas estamos dando a outrem a chance de pensar, refletir, saber o que falou ou escreveu. Saber ouvir é um raro dom, reconheçamos. Mas saber calar, mais raro ainda. E como humanos estamos sujeitos a errar. E nosso erro mais primário, é não saber: ouvir e calar! Todo dia é menos um dia para dar um sorriso. Muitas vezes alguém precisa apenas de um sorriso para sentir um pouco de felicidade! Todo dia é menos um dia para dizer: Desculpe, eu errei! Para dizer Perdoe-me, por favor, fui injusto! Todo dia é menos um dia para voltarmos sobre os nossos passos. De repente, descobrimos que estamos muito longe. E já não há mais como encontrar onde pisamos quando íamos. Já não conseguiremos distinguir nossos passos de tantos outros que vieram depois dos nossos. E se esse dia chega, por mais que voltemos estaremos seguindo um caminho que jamais nos trará ao ponto de partida. Por isso, use cada dia com sabedoria. Ouça e cale se não se sentir bem; Leia e deixe de lado, outra hora você vai conseguir interpretar melhor e saber o que quis ser dito. (Carlos Drummond de Andrade)

Boa semana a todos. + Fernando Fraga.

Reflexão da Semana

“Não temas, pois eu estou contigo; não te assustes, pois eu sou seu deus”. (Dt 1:21b)

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Agenda Cultural

Boletim Diário número 75 – de 14 de junho de 2024

Edinho assina Ordem de Serviço para reforma e ampliação da USF do Adalberto Roxo

Edição 1605 – de 14 a 18 de junho de 2024

(Editorial) Queimadas urbanas! Reclamações todos os dias

CATEGORIAS