Obrigado Araraquara

Olympio Bernardes Ferreira Neto (*)

Em primeiro lugar, quero dizer que tenho orgulho de ser araraquarense, de corpo, alma e coração. Tenho 59 anos, bem casado, bons filhos e netos. Sou filho de um grande esportista e desbravador Olympio Bernardes Ferreira, cujo apelido era “DOBE” e era funcionário do Banco do Brasil. Representou Araraquara no futebol e no tênis e como desbravador, lutou para que Rômulo Lupo tapasse o buracão que começava na Avenida São Geraldo com a Rua Padre Duarte no Parque Infantil. Formou a Vila dos Bancários no começo da Avenida Bandeirantes quando ainda não havia a Via Expressa. Fundou o Clube Lago Azul do qual era proprietário e depois o vendeu ao Clube 22 de Agosto. Foi um dos primeiros a chegar a Chácara Flora e para lá levou muitos amigos. Tudo isso em uma vida é muito, mas para isso teve como companheira uma grande mulher, minha mãe Zenaide Porto Ferreira e meus irmãos.

Bom, já falei de minhas raízes e agora vou fazer algo que acho muito chato, que é falar de mim esportivamente.

Joguei tênis. Sou vice-campeão brasileiro e vice-campeão paulista de motociclismo, de onde só tive alegrias e muitas saudades. A maior delas é de um grande amigo que já se foi, porque acho que Deus precisava, no céu, do melhor piloto e mecânico de motocicletas e de tudo que se mexia mecanicamente. Infelizmente com a minha motocicleta de competição, para minha tristeza e de muitos araraquarenses, esse herói partiu deixando muitas saudades e ótimas recordações. Seu nome era José da Penha Moreira, meu grande amigo Zeca.

Apareceu o Bicicross e resolvi ajudar, levando atletas de Araraquara a competir no Estado de São Paulo e pelo Brasil. Pedi para dar uma volta na bicicleta depois de vê-los correndo, sempre incentivando, brigando, gritando para que voassem para cima dos obstáculos com raça e precisão para que cruzassem a linha de chegada em primeiro; foi para minha alegria que dei essa primeira e segunda volta em Poços de Caldas-MG, pois um piloto da categoria disse: “Sr Olympio, o senhor já pode correr, pois corre melhor que eu”. Para minha alegria, acreditei e aqui estou, correndo nas categorias 40+, 45+ e 50+ anos. Sou Tri Campeão Paulista – 1998, 1999 e 2001, atualmente estou em primeiro tentando o tetra. Em 2002, tive 10 primeiros lugares e 04 segundos lugares; no brasileiro com seletiva para o mundial, categoria 45+ na primeira corrida em Sorocaba fiquei em 6º lugar; em Mal. Cândido Randon-PR fiquei em 5º lugar. Em 1996, 4º lugar; em 1997, vice campeão; em 1998, 5º lugar; em 1999, campeão brasileiro; em 2000, eu não pude competir por razões financeiras; em 2001, fiquei em 4º lugar e em 2002 já estou em 4º lugar.

Por tudo isso, é que quero agradecer aos araraquarenses que procuro representar com raça, garra, arrojo e até com maestria pelos meus 59 anos, pois sou considerado um exemplo aos garotos e garotas do Bicicross Brasileiro, onde só tenho amigos, dos quais só tenho tido elogios e agradecimentos por demais.

Dias 13 e 14 de julho, ganhei as 03 baterias da 45+ anos e fiquei Campeão da 1ª Copa Brasil de Bicicross. Dia 20/21 corri 02 etapas do Pré-Mundial e fiquei em 3º lugar. Dia 26 a 28, no mundial de 2002 em Paulínia-SP, fiquei em 10º lugar do mundo, pois eram 23 pilotos de todo o mundo na categoria 45+. Desejo e quero me sair bem, pois tenho projeto para o futuro, que é fazer uma pista de alto nível técnico em Araraquara para podermos formar campeões de Araraquara para o Brasil, pois respiram o ar que eu respiro; bebem a água que eu bebo e vivem em Araraquara, têm que ser campeões, é só todos ajudarem eles a caminharem nessa saudável direção.

Obrigado de coração a esses amigos que estão ou vão se engajar nesses projetos pelas minhas vitórias até aqui e pelas próximas que virão com certeza, pois meus protetores e o Ser Maior querem!

Ao Benê, meu amigo do Escritório Benê, Capitão Durval, Dicão da Fundesport, Sr. Basile e Da. Lourdes do Clube Paulista S.A., Cicles Paroneto, Toninho, Da. Vânia e os garotos Rodriguinho, Rodrigo, Danilo e Aaron; ao Pato da Duck Bike, Shimu, Luciano, Paulinho da Doctor Bike, SP; ao Willian da Bike House de Americana, Marcelo da Academia Pulsação, às meninas e Professores; ao Dr. Haroldo Petlic e suas secretárias, pois eu pesava 100kg, e hoje peso 88kg; ao Dilvar da Aroara, sempre simpático, ao Antônio Carlos da Empresa Cruz e seus motoristas que sempre tem paciência com esse esportista. Ao Jorge Elias da Horizon que, gentilmente, se engajou na minha luta; à Elisangela e Sr. Carlos Cabral do Supermercados Extra de Araraquara; ao Dorival Delbon da Style e Dangá Esportes; ao Chicão da Corpu’s Suplementos Vitamínicos; ao Rodolfo da Gordon Motos; ao Carlos e Angélica da Santavera Disque Ração; ao Dr. Cardillo que me deu de volta o olho esquerdo, pois já estava cego por um acidente e catarata e finalmente à Cristina da Disk Cópias de Araraquara pelos serviços prestados. Obrigado a todos os amigos que sempre me ajudaram mesmo sem eu o saber. Obrigado ao meu pai, minha mãe, meus irmãos, minha família, minha sogra e à heroína de toda essa grande história: minha querida esposa Vera Pereira Ferreira, pois na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, estamos juntos há 37 bons anos.

Obrigado Araraquara, por ser um guerreiro e ter nascido aqui na Morada do Sol, minha Terra e ter Jesus como Protetor!

(*) É esportista.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Araraquarense se voluntaria em Canoas, RS

Dia do Orgulho Autista: Grupo promove pesquisas e informação sobre Autismo

Câmara aprova regras para funcionamento de painéis luminosos de propaganda

Araraquara tem a menor taxa de homicídios do Brasil entre as cidades com mais de 200 mil habitantes

Casa da Cultura: remodelação em prédio centenário contempla elevador

CATEGORIAS