O Coração dos Araraquarenses

Fábio Mesquita (*)

No Domingo de Páscoa o Dr Neff Mesquita (o Nhô Pedro) teve uma arritmia cardíaca. Um susto pessoal e familiar de grandes proporções. Estando em Ribeirão Preto, em um almoço familiar, foi bem socorrido no Hospital onde permaneceu algumas horas na UTI e depois foi transferido para um quarto. Foram 4 dias de exames que detectaram dentre outras questões obstrução importante das artérias coronárias, que comprometiam qualquer melhora em sua futura qualidade de vida. O cateterismo realizado no Hospital São Paulo de Ribeirão Preto, colocava a gravidade do caso.

De alta na quarta feira subsequente, tive o privilégio de dirigir o carro no qual ele voltou para Araraquara, de onde nunca gostaria de ter saído, ainda mais em uma circunstância de saúde como esta. Sua expressão de satisfação na chegada foi emocionante. Desde o Náutico onde duas vezes por semana ele freqüenta o pesqueiro e tráz histórias de pescador como os outros, até a entrada da Morada do Sol na qual se sentia o cheiro inconfundível do sumo do suco de laranja, rasgava elogios à Araraquara como um estrangeiro deslumbrado pelas nossas belezas naturais.

Na noite da mesma quarta feira uma complicação no quadro levou-o de volta à UTI, agora do Hospital São Paulo de sua terra natal. De pronto atendeu-o o Cardiologista e Diretor Clínico do Hospital Dr Edson Natalino, pelo qual ele e nós nos encantamos. O atendimento do pessoal da UTI, incluindo médicos plantonistas, os auxiliares de enfermagem e as enfermeiras, foi algo que há muito eu não conseguia ver em serviços de saúde, tamanha a atenção e gentileza das pessoas. Ele mesmo, como doente, com todo stress da situação, não parou de elogiar. Teve alta aguardando que os médicos decidissem seu futuro.

O Dr Neff criou durante os anos 3 filhos e 3 enteados todos com a mesma dedicação e atenção, conseguindo formar a todos e por coincidência dois deles como médicos. Com o CD Room do cateterismo na mão eu pessoalmente trouxe para São Paulo com o velho estigma de que um procedimento qualquer que necessitasse ser feito no único coração, do único pai que eu tenho, necessariamente teria de ser feito em São Paulo, e se fosse um pouco condescendente, em Ribeirão Preto. Minha surpresa foi enorme quando no Hospital Dante Pazzanese, um dos melhores Centro de Referência de Cardiologia em toda América Latina, informaram que seria possível e desejável fazer o procedimento (uma arterioplastia) em Araraquara e que o médico, Dr Sérgio Berti, tinha grande reputação no tema.

Assim que no último dia 16 de Maio o Nhô Pedro abriu seu coração literalmente, com uma arterioplastia realizada no serviço de hemodinâmica do Hospital São Paulo (UNIMED), em Araraquara. Foi de novo cordialmente recebido na UTI e na enfermaria do primeiro andar pelo corpo de enfermagem do Hospital São Paulo, e foi supervisionado pelo Dr Edson Natalino. Passa bem, melhor, passa ótimo. Como diria a propaganda da FIAT, é preciso rever os conceitos dos médicos de outras paragens (eu revi os meus), e ter a convicção de que os araraquarenses têm sorte de terem em sua cidade os dois médicos aqui mencionados, e o pessoal de enfermagem do Hospital São Paulo. Parabéns à vocês!

(*) É médico, Doutor em Saúde Pública, e Coordenador do Programa de DST/AIDS da Secretaria de Saúde da Cidade de São Paulo.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Termina nesta quarta (19) as inscrições para o “Seminário de Enfrentamento ao Racismo Religioso e LGBTfobia nos Espaços de Matriz Africana” 

Comad realiza II Semana Municipal de Políticas sobre Drogas nos dias 24, 26 e 27 de junho

Araraquarense se voluntaria em Canoas, RS

Dia do Orgulho Autista: Grupo promove pesquisas e informação sobre Autismo

Câmara aprova regras para funcionamento de painéis luminosos de propaganda

CATEGORIAS