Nhô Pedro

Não sei se foi naquela câmara (tive de entrar por 20 vezes), que uma insignificante feridinha de diabetes se transformou em meses num profundo buraco no meu calcanhar. E que fazia com que eu sentisse uma dor como nunca havia visto ou sentido. Ou se foi o reflexo do meu triste coração ou aquele remédio, que há tanto tempo tomo todos os dias para que minha saúde continue a me dar vida decente. No meu entender isso era quase uma praga de algum espírito que mesmo morto não estava satisfeito com o que faziam com suas cinzas, que segundo a sua vontade tinham que ser jogadas no mar. E não foram no tempo previsto, estando na casa de um neto seu e talvez por querer ajudar a família, depois de morto, os prejudicava e lá estava eu no seu caminho depois de mais de trinta anos. Isso foi resolvido e espero que tenha o seu resultado. Já contei pra vocês a história da borboleta que só voava por onde pudesse. Acontece que quem voa sem parar acostuma-se tanto ao vôo que nada mais pode detê-la em cada pedaço do mundo. Há novidades e diferenças das quais nunca pode gozá-las. Então ela tem a segurança da sua casa, pode ir e voltar quando achar melhor e ai a solidão causa dores e tristeza. Todo mundo tem família, filhos, filhas e netos, mas, pra que chegue até lá há de haver alguém que se negou, tantas vezes, no seu gosto. Para que isso desse certo, ninguém nem borboletas voadoras, conseguem formar e colocar esses filhos na posição que estão os dela. E daí o negócio é voar e voar é tão bom que só vai parar quando morrer. Há ainda outros problemas com os filhos que também vão se resolvendo com o tempo. Diante de tanta coisa ruim despenca em nossa terra uma chuva pra valer e a minha netinha de dois aninhos me diz com todo vapor, na sua maneira de falar: vovô, Deus está chorando, toda vez que chove é Ele que está chorando? Neste mundo de miséria, de agressividade, de crimes hediondos eu acredito que Deus tem muito o que chorar pelos homens que Ele mesmo criou. Daí minha dor e minhas cirurgias perdem toda razão de ser, aí minha solidão nem é nada diante de tanta coisa ruim que se vê, além da fome, de pessoas pela metade. Deus tem mesmo é que chorar e muito pela nossa vida inteirinha e a gente tem que continuar a viver feliz dentro das nossas necessidades. Chora Senhor, até que isso tudo melhore.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A força e união do agro

Os riscos e a falta de regulamentação do uso de dados genéticos de pacientes por operadoras de saúde

Por que temos de sofrer as consequências do pecado de Adão e Eva?

Governar com economia e sem aumentar impostos

Cidade: berço de soluções

CATEGORIAS