“Março Amarelo” alerta para a prevenção de doenças renais em animais

0
86
Cães e gatos podem sofrer com complicações nos rins. Veja o que fazer para ajudar seu amigo a prevenir e tratar doenças renais
 
O “Março Amarelo” é uma campanha inserida no calendário de meses temáticos de ações que visam a saúde e bem-estar dos animais. Essa ação alerta para os cuidados e para a prevenção de doenças renais dos pets, por isso é colorido de amarelo.

A função dos rins não se limita à ‘filtração’ do sangue. Eles também estão envolvidos no balanço hídrico, eletrolítico e acidobásico, bem como na síntese de alguns hormônios (eritropoetina, calcitriol, renina). Dessa forma, por desempenharem diferentes funções, é de se esperar que as injúrias renais culminem em sérios problemas a um organismo. Isto é, as complicações, conforme a gravidade e a cronicidade de um insulto nos rins, podem ser sistêmicas, graves, e podem evoluir para o óbito.

Várias condições podem atuar como insultos nesses órgãos e, assim, favorecer a instalação e o desenvolvimento das lesões renais, que podem culminar em quadros agudos ou crônicos. Desidratação, hipovolemia, infecções, toxinas, verminose, cálculos, traumas e fármacos estão entre os agentes etiológicos mais frequentes. Já que alguns medicamentos podem atuar como vilões, preste atenção nesta dica valiosa: medicar um animal sem orientação médica veterinária é e sempre será contraindicado.

Os sinais clínicos associados à disfunção renal são inespecíficos e variados. Podem ser agudos, ou com curso insidioso e crônico. Além disso, a manifestação clínica do paciente pode sobrepor outras doenças, o que pode confundir os tutores quanto à real causa base do problema. Por isso, a avaliação do médico veterinário é primordial para a constatação do diagnóstico correto.

Diante do exposto, é importante prezar pela saúde e pelo bom funcionamento dos rins. Como? Leia com atenção os tópicos abaixo:

• Ofereça água limpa e fresca à vontade;

• Estimule o consumo hídrico: há várias estratégias para aumentar o consumo de água, especialmente para gatos. Fontes de água, água saborizada, cubos de gelo, vários bebedouros distribuídos pela casa, alimento úmidos (sachês) são ideias que costumam funcionar bem;

• Ofereça uma dieta de boa qualidade: pergunte ao seu médico veterinário qual a melhor ração/alimento que você pode oferecer ao seu pet. O profissional considerará uma gama de fatores para indicar a melhor dieta para ele;

• Estimule a micção: alguns animais retêm a urina por diferentes motivos. Esse hábito pode propiciar o desenvolvimento de infecções. Quando não estiver associada a processos mórbidos, talvez aumentar a frequência de passeios (com coleira e guia) possa ajudar. Sempre mantenha as caixas de areia dos gatos limpas. Que tutor de gato não observou que, logo após higienizar a liteira, os bichanos já fazem uso dela! Eles são exigentes. Mas, é super compreensível, afinal ninguém gosta de usar banheiro sujo.

• Mantenha a imunoprofilaxia atualizada: a carteira de vacinação em dia é muito importante;

• Jamais medique seu pet sem orientação veterinária: somente o médico veterinário é detentor do conhecimento sobre os fármacos indicados e contraindicados para cada espécie animal, e a posologia dos medicamentos para cada um deles;

• Procure um médico veterinário na evidência de qualquer alteração com seu animal;

• Leve seu pet periodicamente às consultas veterinárias.

SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.