Ensino Médio: alunos brasileiros querem modelo semelhante ao implantado pela Educação de SP em 2024, aponta pesquisa

0
103
Foto: Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Em pesquisa encomendada pela Todos pela Educação e aplicada pelo Datafolha, 65% dos estudantes que deram início ao Ensino Médio em 2024 preferem currículo flexível

Pesquisa encomendada pela Todos pela Educação e aplicada pelo Datafolha aponta que os estudantes brasileiros do Ensino Médio querem um currículo flexível, redução dos aprofundamentos a apenas uma área do conhecimento e a disponibilização do Ensino Técnico. O modelo ideal, de acordo com a pesquisa, é muito parecido com o já implantado pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) para o ano letivo de 2024.

Para os alunos da rede paulista, os 12 itinerários formativos foram reduzidos para três áreas de conhecimento: Exatas, Humanas e Ensino Técnico, além de mudanças importantes realizadas na matriz curricular do Ensino Médio.

Este ano, os itinerários formativos são ofertados a partir da 2ª série e seguirão até o fim da 3ª série. Ou seja, na 1ª série, todos os estudantes do Ensino Médio têm a mesma matriz curricular, com aulas das disciplinas-base da educação básica, como língua portuguesa, matemática, física, química, biologia, geografia e história. Ainda em 2023, os estudantes dessa primeira etapa precisaram optar pelo itinerário de sua preferência: Linguagens e suas Tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (Humanas), ou Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e Suas Tecnologias (Exatas), ou Ensino Médio Técnico.

A redução de 12 itinerários formativos para três foi implantada pela Seduc-SP a partir de ampla consulta à rede. Atualmente, dos 389,5 mil estudantes matriculados em 2024 na 2ª série do Ensino Médio, 168,2 mil (43,2%) optaram pelo itinerário da área de Humanas, 132,8 mil (34,1%) pela área de Exatas e 88,2 mil (22,6%) pelo Ensino Técnico.

No Ensino Técnico, a Educação oferta nove cursos: administração, agronegócio, ciências de dados, desenvolvimento de sistemas, enfermagem, farmácia, hospedagem (hotelaria), logística e vendas.

Todos pela Educação e Datafolha

Na pesquisa, 65% dos estudantes brasileiros matriculados na 1ª série apontam que preferem um currículo flexível. Destes, 35,2% optam por disciplinas fixas em parte do tempo para todos os estudantes, com o aprofundamento como em São Paulo acontece com Humanas e Exatas. Outros 29,4% preferem disciplinas fixas mais o curso de formação técnica — percentual que se aproxima dos 22,6% de estudantes da 2ª série matriculados no Ensino Técnico na rede estadual em 2024.

Os estudantes também foram convidados a responder a seguinte pergunta: Se você pudesse escolher aprofundar os estudos em disciplinas do seu interesse, em quais você teria interesse?

As respostas dão conta que 81% dos estudantes optariam por apenas uma área de interesse. A resposta segue a lógica da definição, pela Educação, de apenas três itinerários, e não o que ocorria na gestão anterior, quando os estudantes eram divididos em turmas com temas de aprofundamento diversos.

Nova matriz curricular

Além da redução para três itinerários, considerando o aprendizado de todos os alunos das três séries do Ensino Médio, a Educação implantou mudanças na matriz curricular.

Em resposta à demanda de estudantes e professores, a Seduc-SP ampliou  em 60% o tempo destinado à aprendizagem de língua portuguesa e em 70% à matemática do Ensino Médio neste ano, além de incluir aulas de geografia, história e física na 3ª série do Ensino Médio.

(Secretaria da Educação do Estado de São Paulo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.