A luta de Zumbi se faz presente: abaixo o terrorismo e as discriminações!!!

Vera Botta (*)

Terrorismo no ar. Cultiva-se o medo. As cartas, usualmente bem-vindas – notícias dos amigos, convites aos sonhos e ideais – passaram a ser temidas. Pó branco chegando… o que será? Bombas? Cartas enviadas à prefeituras petistas semeando ameaças em escala ampliada. Por que? Para que? Tem sentido se usar a destruição como desculpa para se lutar pelo fim da corrupção? Tem sentido se falar em matar para não se vender o país? A democracia é mesmo difícil de ser construída.

“Verás que um filho teu não foge à luta” simboliza, em nosso Hino Nacional, a vontade de construirmos um país de menores injustiças e desigualdades. O apelo da Coluna vai na direção da PAZ, do fim das ameaças e intolerâncias. Nesta semana, especialmente, de comemoração da Consciência Negra, o sentimento maior que nos move é de fortalecer ações afirmativas.

Além dos eventos, a luta de Zumbi dos Palmares, assassinado em 20 de Novembro de 1695 exige para nós, cidadãos, legisladores, o desafio de se buscar alternativas de se eliminar os preconceitos e o racismo. Fechada a cortina dos espetáculos, dos eventos, é preciso continuar….Garantindo, nas contratações para trabalho no serviço público e em outros lugares, a superação da exigência “camuflada” de boa aparência que muitas vezes tem excluído negros. Lutando para implementar uma política de garantia de acesso dos negros e outras minorias nas universidades e outras posições de destaque na sociedade. Conscientizando a todos do valor e da influência da cultura africana em nosso país. Propondo ensino e divulgação dessa história, muitas vezes distorcida, em nossas escolas públicas, principalmente as ligadas ao ensino fundamental, visando a conscientização e a formação cultural dos alunos e educadores.

Políticas afirmativas podem e devem fortalecer grupos socialmente discriminados, inverter atributos de negatividade impostos a pessoas sujeitas à desigualdade. Em Araraquara, o “Mês da Consciência Negra”, inicialmente proposto pelo Centro Comunitário 20 de Novembro, com parceria do Centro de Referência da Cidadania encontrou obstáculos de ordem técnico-financeira – ou se tratou de vontade política? – para se concretizar. O processo democrático de discussão dos vários grupos organizados da cidade voltados ao movimento negro não pôde completar seu ciclo.

A questão de discriminação, como tantas outras que dizem respeito à construção da cidadania, não tem donos… É preciso que se avance na justa articulação entre iniciativas independentes e apoios, sem dúvidas, imprescindíveis do poder público e da iniciativa privada. A luta de Zumbi de Palmares tem, como herança, o desafio de se ter, no campo da música – Aleluia! o resgate da “Academia do Samba” é um bom sinal – dos debates, das manifestações artístico-culturais, na luta contra as discriminações várias, um convite para ações afirmativas. Com a palavra o Centro de Referência da Cidadania! Com a ação, herdeiros de Zumbi! Em parceria! O tempo exige união de esforços para conseguirmos trilhar o caminho das flores e dos direitos…

Na semana da Câmara, superávits e déficits

* O IPTU foi aprovado com progressividade nas alíquotas. Com o grito das imobiliárias, de alguns setores que apelaram, indevidamente, para a inconstitucionalidade da matéria. A Constituição Federal, a Lei Orgânica do Município garantem a progressividade, ou melhor, que os impostos sejam fixados segundo a capacidade econômica do contribuinte. Se a progressividade projetada demonstrar falhas, é possível mudar. Felizmente não somos onipotentes, nem donos da verdade!

* Os subsídios para o Programa Municipal Dirigido aos Portadores de Deficiências foram entregues ao Dr. Sérgio Médici, prefeito em exercício, pela vereadora Edna Martins e pela representante da comissão de mães. Com a participação, na construção dos subsídios, dos vereadores Edmilson, Vera Botta, Chediek, Nascimento e Idelmo Pantera. A Coluna desculpa-se por não ter incluído, na sua última edição, o vereador Pantera como um dos batalhadores dessa causa. Cartão vermelho para a colunista!! Cartão amarelo para o vereador que andou faltando em nossas reuniões…Cartão verde para as mães!

* A proposta de emenda do vereador Turquinho de fazer cumprir a lei federal, garantindo aos servidores municipais com formação em nível superior, em funções técnicas compatíveis, o direito à equiparação, no que toca à jornada de trabalho e ao salário mínimo profissional provocou proveitoso debate. Há 360 funcionários que têm esse direito. A Coluna pergunta: o direito ao Plano de Carreira e ao reajuste de 10% nos salários está garantido para o conjunto dos servidores municipais? ATENÇÃO! Tem debate na Câmara… Com a palavra, os servidores e o governo!

* A transmissão pela TV das sessões da Câmara é ou não necessária? A Câmara tem que se aproximar da população – não pela cultura da dádiva – a TV ajuda?? Há tentativas de se fazer teatro na tribuna visando ibope? Ou trata-se de um incentivo a uma mudança de mentalidade? A Coluna convida seus leitores a manifestarem-se… A Câmara é a casa do povo e o Itinerário da Cidadania vem aí!

* As mudanças de zoneamento continuam chegando em cascata menor… A Câmara derrubou na última sessão o projeto contramão de Napeloso de vagas em estacionamentos, o qual iria zonear o centro da cidade. Parabéns à Comissão de Obras e a todos que votamos contra.

Dia da Proclamação da República. Que nossos governantes não insistam em vender nossos ideais! Boa semana a todos! Até a próxima!

(*) É Coordenadora do Mestrado da Uniara, Vereadora pelo PT e colaboradora do JA.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Agenda Cultural

Boletim Diário número 75 – de 14 de junho de 2024

Edinho assina Ordem de Serviço para reforma e ampliação da USF do Adalberto Roxo

Edição 1605 – de 14 a 18 de junho de 2024

(Editorial) Queimadas urbanas! Reclamações todos os dias

CATEGORIAS