A arte de ensinar a quem tem experiência

O curso de alfabetização de adultos da Uniara, coordenação da Profa. Elenice Maria Cammarosano Onofre, foi iniciado em junho e o projeto tem muitas expectativas para 2004.

Hoje, indicada pela Sarah Coelho, entrevistamos Ana Lúcia Boccanegra uma professora que desempenha, com responsabilidade, este papel de ensinar.

Ser professor é amar o que faz e ter o privilégio de colher palavras de carinho e gratidão.

Depoimento do aluno Antônio Francisco Neto:

“Em primeiro lugar quero agradecer a Uniara por estar dando esta oportunidade a todos nós, que no passado não pudemos estudar por muitos motivos da época.

Agradecer os professores que são dedicados, pacientes e educados, porque nesta fase em que estamos é um pouco mais difícil aprender rapidamente. Já estamos praticamente na 3ª idade e não somos mais crianças que têm memória boa.

Minha Escola

Eu estou aprendendo a ler e escrever na Uniara. Estou feliz.

Minha professora chama-se Ana Lúcia, ela é excelente, ela ensina bem.

Agrada todos nós com o mesmo carinho. Os monitores ajudam a gente muito bem. Estou me sentindo muito importante, porque já tomo o ônibus, não preciso perguntar à ninguém.

Vou a muitos lugares sozinha.

Sou muito feliz. Sou independente.

Aos meus professores, muito obrigado.

(Aparecida Joaquim Arêas – 72 anos)

JA – Como encara este projeto de alfabetização?

A.L.B – Esse projeto é maravilhoso, pois, acaba dando a oportunidade para todas as pessoas que no passado não puderam estudar.

Estou no projeto porque o principal objetivo é a construção do conhecimento, comprometimento com justiça social e o bem-estar das pessoas.

Meu grande desafio é criar oportunidade para que homens e mulheres, jovens e idosos que não tiveram a oportunidade de aprender, e nem acesso a esse bem cultural da humanidade possam ter oportunidade de através da alfabetização usufruir dos bens culturais, sociais e políticos da sociedade.

Nesses poucos meses deu para confirmar sua vocação de professora?

Sim, esta experiência está sendo muito importante para minha vida, pois, estou adorando dar aula.

Como vê o desempenho dos alunos?

Os alunos são aplicados, observadores e participativos. Com isso a aprendizagem está sendo muito rápida.

Prefere dar aula para adultos ou crianças?

A minha primeira oportunidade de trabalhar como professora foi a de participar do projeto de alfabetização de jovens e adultos. Estou realizada pois trabalhar com pessoas que não tiveram oportunidade de estudar, está sendo uma experiência muito importante e gratificante para todos que participamos do projeto.

Sabendo-se que sua profissão não é tão valorizada, o que levou à escolha?

Escolhi essa profissão porque terei a oportunidade de trabalhar e contribuir para a comunidade. É muito gratificante.

O que a deixa feliz e triste no seu trabalho?

O que me realiza é quando um aluno diz: “Me sinto muito importante, tomo ônibus e não preciso perguntar a ninguém, sou independente”.

O que mais me entristece é saber que no Brasil existem ainda pessoas que não estão alfabetizadas.

O Brasil tem um nível de escolaridade muito baixo, como podemos vencer este desafio?

A Índia, só para comparar, além de ser um país de baixos níveis de escolaridade, é muito pobre. O Brasil está em condições melhores.

A população deve exigir das autoridades que governam este país, verbas e recursos para melhorar o sistema educacional.

Os cursos profissionalizantes são uma solução?

Os cursos profissionalizantes são de fato uma solução rápida para quem quer trabalhar ou não pode freqüentar uma faculdade.

Eu também fiz um curso profissionalizante, foi uma experiência muito válida pois me deu a possibilidade de trabalhar por algum tempo.

Qual a maior dificuldade encontrada no início da profissão?

Foi conquistar o respeito e o carinho dos alunos, uma experiência muito rica, mas, difícil também.

Quais as características para ser uma professora de gabarito?

Em primeiro lugar, o professor deve estar preparado para mudanças que ocorrem no sistema educacional. Em segundo, para que isso ocorra, o professor deve fazer cursos, assistir palestras, enfim, deve estar sempre atualizado com as mudanças que ocorrem no mundo.

Como se sente neste projeto que a Uniara disponibiliza?

Sinto-me feliz por estar cumprindo o meu papel de cidadã e solidária na diminuição do analfabetismo no Brasil.

A Uniara está realizada pois, além de oferecer uma boa formação aos seus alunos, oferece oportunidades para que os alunos cresçam e se desenvolvam na profissão escolhida.

(Coordenado pela profa. Elenice Maria Cammarosano Onofre, o curso foi iniciado em junho e o projeto tem muitas expectativas para 2004).

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Solenidade nesta terça (25) marca assinatura da Ordem de Serviço para reforma do CMSC do Jardim Paulistano

Boletim Diário número 81 – de 24 de junho de 2024

Edinho assina Ordem de Serviço para reforma da UBS do Santana

Ordem de Serviço para reforma do CMSC do Selmi Dei é assinada

Trajetória de Waldemar Saffioti é tema do programa História Viva de junho

CATEGORIAS