A Cultura em Diálogo

“Por alguma razão imponderável, os jornais não são laboratórios nem centros de pesquisa do espírito, o que poderiam ser para bem de todos, mas comumente são magazines e bolsas de valores. (…) Platão, se hoje de repente pudesse aparecer numa redação e provar que realmente é aquele grande escritor que morreu há mais de dois mil anos, causaria uma incrível agitação e receberia as mais lucrativas propostas.”

(Robert Musil. O homem sem qualidades).

Emergência da indústria da imprensa na Europa e o aparecimento da circulação massiva de jornais nos séculos XIX e XX.

– Anton Koberger (1470) funda seu estabelecimento em Nüremberg. Expande seu negócio como resposta à crescente demanda de livros. Aí explode uma rede de vendas e comercialização de livros, nas mais importantes cidades da Europa.

As primeiras imprensas imprimiam panfletos/periódicos e folhas noticiosas.

O desenvolvimento inicial da imprensa e das publicações: interligado com o exercício do poder político pelas autoridades responsáveis pelos aparatos administrativos dos estados nações emergentes.

Aqui começa o capítulo da censura e das relações conflitivas entre autoridades do estado e as instituições da imprensa.

A luta contra o controle estatal da imprensa (tanto sob forma de censura, quanto de impostos) tornou-se tema central do pensamento liberal e democrático do séc. XIX.

O desenvolvimento da indústria do jornal no séc. XIX e XX caracterizado por duas tendências principais:

– 1ª – crescimento e consolidação da circulação massiva de jornais;

– 2ª – crescente internacionalização das atividades de coleta das notícias.

1ª Tendência: Ilustremos: ex.: indústria jornalística inglesa

– XIX indústria jornalística tomou caráter predominantemente comercial;

– Aumento de circulação = aumento de renda (gerada através de vendas e anúncios comerciais);

Causas da rápida expansão da indústria jornalística:

– melhoria dos métodos de produção e distribuição;

– crescimento da alfabetização;

– abolição dos impostos;

– inovações técnicas – desenvolvimento da prensa a vapor;

– introdução da impressora rotativa.

Conseqüências do aumento dramático da capacidade reprodutiva da indústria jornalística:

– uso da força da máquina;

– divisão social do trabalho.

Obs.: Desenvolvimento das estradas de ferro

Aumento da alfabetização

Aumento da população

= mercado de expansão para os jornais e livros.

2ª Tendência: as primeiras folhas noticiosas e jornais estiveram interessados na transmissão da informação de um centro comercial a outro. E cumpriam o papel.

Mas… o fluxo internacional da informação assumiu uma nova forma institucional no curso do século XIX: criação de agências de notícias.

– nos principais centros comerciais da Europa;

– tornaram-se responsáveis pelo suprimento de informação estrangeira para os clientes dos jornais;

– 1ª = Paris – 1835 – Charles Haves;

– em 1840 – dois empregados de Haves criam suas próprias agências;

– em 1850 – três agências assinam tratados para dividir o mundo em territórios, para a coleta e distribuição de notícias;

– o tríplice cartel dominou a coleta e distribuição internacional de notícias até o início da 1ª Guerra Mundial;

– muitas outras agências de notícias foram usadas na segunda metade do século XIX; na maior parte aliaram-se a uma ou outra das três principais;

– após a 2ª Guerra Mundial – quatro maiores agências – Reuters, AP, UPI e AFP – expandiram e consolidaram suas posições no sistema internacional de distribuição de boletins;

– até hoje essas quatro agências mantêm um papel dominante.

Mas… há necessidade de uma reorganização equilibrada da ordem de informação internacional (há desequilíbrio na distribuição geográfica dos escritórios de coleta de notícias, acrescido da forte dependência dos países do Terceiro Mundo).

O surgimento da difusão e o desenvolvimento das instituições de difusão na Inglaterra e nos USA.

A emergência da difusão abriu uma nova era na história da transmissão cultural:

– 1840: primeira linha telegráfica estabelecida nos USA (com sucesso);

– XIX (final) – Marconi: base técnica para difusão/1896 registro de patente inglesa/1899 envio de mensagens/1901 sinais emitidos através do Atlântico;

– a tecnologia sem fio se desenvolveu rapidamente durante a primeira Guerra Mundial (meio de comunicação com fins militares);

– após a guerra, Marconi e sua filial americana começam o trabalho experimental de difusão;

– o desenvolvimento da difusão durante os quarenta anos seguintes foi rápido e abrangente.

Análise do desenvolvimento da difusão nos USA e na Inglaterra .

– 1920 – primeiros passos na difusão, em larga escala, por rádio foram dados nos USA primeira estação de rádio comercialmente licenciada KDKA –

– criada em 1920 por Westinghouse;

– 1922 – Inglaterra: o desenvolvimento da difusão seguiu um caminho diferente dos USA (fundação da BBC em 1922, cujo objetivo é aumentar a venda de aparelhos de rádio);

– 1926 – modificação da base constitucional da BBC: idéia de “serviço público e difusão” tornou-se um princípio imperativo da BBC (Reith);

– década de 30 – Inglaterra e USA: experiências com transmissão por televisão (mas a exploração plena do meio televisivo inicia-se após a segunda G. Mundial);

– décadas de 40 e 50 – sistemas de difusão revolucionados com a chegada da televisão;

– 1946 – Inglaterra – BBC (a ela coube a responsabilidade pela difusão televisiva) monopólio da difusão televisiva até 1954;

– crescimento rápido: de 15.000 permissões em 47 – + ou – 340.000; 1950

– 1954 – decreto sobre televisão do governo conservador estabelece: 2º canal IBA – que permitiu concessões para companhias de televisão independentes;

– 1955 – começa a operar na região de Londres a ITV (televisão independente);

– competição entre BBC x ITV se intensifica;

– 1963 – apenas 10% dos domicílios da Inglaterra não possuía aparelhos de TV.

Obs.: Num espaço de 15 anos, a TV se tornou um dos mais importantes meios de transmissão cultural na Inglaterra e em outras sociedades industrializadas do Ocidente.

Na próxima edição, continuaremos a discutir essa matéria. Daremos início ao seguinte tema:

Conseqüências do rápido crescimento da TV para outras indústrias da mídia (= IM):

Continuamos sempre à sua disposição, participe celp@terra.com.br

Até à próxima semana.

Compartilhe :

No data was found
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Edição 2024 do programa “Escolinhas de Esportes” supera marca de 7 mil alunos

Boletim Diário número 74 – de 13 de junho de 2024

Em 17 meses, Governo de SP investiu R$ 90 mil por dia em obras na rede pública de ensino na região Central

Gordura no fígado afeta 3 a cada 10 pessoas no mundo  

A crescente judicialização da saúde e o rol taxativo da ANS

CATEGORIAS