Veracidade

Vera Botta (*)

Meu tributo a Alcyr Azzoni

Cidadão da nossa terra

Esta Coluna especial, diferente na forma e no conteúdo é fruto de um sentimento forte de emoção que me invade. Peço licença para deixar o coração falar. Aos meus leitores que gostam de ler Veracidade fotografando os bastidores da política, peço licença. Há momentos em que nossas raízes, nossa relação de amor com a cidade e com os cidadãos que a adotaram como Morada falam mais alto.

Hoje é dia de homenagear Alcyr, o professor, o educador, o ambientalista, o fotógrafo, o ser humano amigo, de uma sensibilidade única, o Alcyr família, de coração aberto, o cidadão apaixonado por nossa Araraquara que recebe, por decisão de nossa Câmara Municipal, o título de Cidadão Benemérito. Eu, como mensageira do orgulho que todos nós sentimos em homenageá-lo, só posso sentir-me duplamente privilegiada.

O presente e o passado se misturam

Há 35 anos atrás fui aluna do Alcyr, no curso de Ciências Sociais na UNESP e ele nos fez conhecer a Geografia pela sua dimensão humana, como uma ciência que pode estar a serviço da comunidade. Hoje vereadora, depois de mais de 3 décadas, tenho a honra de homenageá-lo como Cidadão Benemérito. Situações como estas, raras, exigem um pacto de celebração. De respeito, de alegria, de amizade.

Homenageá-lo com o título de Cidadão Benemérito, não é, para mim, um ato formal. Trata-se de um título especial para um ser humano especialíssimo. Alcyr, Cidadão Benemérito por merecimento, pelo reconhecimento dos quase 40 anos de sua doação a nossa cidade. Uma vida que tem sido um exemplo, um continuado processo de caminhar, de abrir portas, de ver, de rever, de lutar, de recomeçar, de sempre estar presente quando alguém precisa de escutar sempre com o coração.

A construção de elos com a sociedade

Enquanto muitos se encerraram nos muros da universidade, trancando o conhecimento em uma torre de marfim, Alcyr sempre buscou no fazer acadêmico a construção de elos com a sociedade. Quantos tiveram a coragem de por a mão na massa e agir, no sentido de construir, de fazer? Poucos e Alcyr está dentre estes. Não se deixou contaminar pela política da competição e do poder. Pelo despojamento que você demonstrou em todas suas iniciativas pioneiras, muitas delas pouco compreendidas por um saber competitivo e desumano, você merece nosso reconhecimento.

Algumas lembranças de sua vida se tornam mais vivas, como um diamante que vai sendo lapidado. Sua participação em um plano piloto de alfabetização – em meados da década de 60 – sua posição de vanguarda na Comissão do Plano Diretor Municipal em 1964, a dinâmica por você imprimida ao Consórcio Intermunicipal de Promoção Social são apenas alguns dos exemplos de que Alcyr há mais de 30 anos vem se empenhando em iniciativas que hoje aparecem no centro da agenda das políticas públicas municipais e regionais. Mas Alcyr nunca gostou de palco, de palmas, nem se deixou seduzir pelos apelos do poder.

A UNIARA e a luta pelo Meio Ambiente

Depois de aposentado, Alcyr foi dar aulas na UNIARA. Levou todo seu entusiasmo e seu profundo conhecimento das questões do meio ambiente. A UNIARA tornou-se vanguarda nesta questão – e eu me orgulho disto – e neste processo, tem muito da mão e do coração do Alcyr. Nunca se conformou em ver o Conselho Municipal do Meio Ambiente engavetado por tantos anos e se encheu de entusiasmo com a sua reativação no atual governo. Dele partiu, em 1997, a criação do Parque Ecológico do Basalto na antiga pedreira de Santo Antônio, idéia encampada pela UNIARA e pela Prefeitura. Tenho bem presente na memória as vezes em que, levada por Alcyr, estive na pedreira. Era impossível não se contagiar com seu entusiasmo. De câmera na mão, fotografava tudo. Seu toque nas pequenas pedras de basalto, seu olhar esperançoso no lugar, a verbalização do sonho de transformá-lo eram a mais pura expressão de sua vontade de lutar pelo meio ambiente por inteiro.

Ambientalista de corpo e alma, apresentou ao ex Prefeito Massafera o melhor diagnóstico que já li sobre os problemas ambientais da cidade. E o fez, sem esperar nada em troca. Alcyr é dessas pessoas – e mais uma vez friso – que fazem, sem esperar recompensas ou escaladas no poder. E de quantos vôos ousados e atitudes corajosas vem sendo sua trajetória? De quantos sonhos e utopias? De quanta dedicação à SABSA…De amor pela família. Emeri, Alexandre, Elaine, Luciana e Marcelo, suas jóias mais preciosas. De lutas miúdas e graúdas é o retrato da sua vida. Professor, amigo, companheiro, este título é apenas uma singela homenagem nossa a você que adotou Araraquara e há muito luta por transformá-la em Morada da Cidadania. Por tudo o que você tem feito é uma forma de lhe dizermos, de coração, o quanto você significa para a sua, para a minha, para a nossa cidade. Que possamos, Alcyr, nos atalhos e nos momentos como este, de celebração, continuar juntando sonhos e lutas em nossa caminhada.

A Coluna faz uma pausa. Nem só de olhares políticos é feita a vida. Boa semana a todos. Até a próxima!

verabotta@techs.com.br

verabotta@camara-arq.sp.gov.br

Compartilhe :

No data was found
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ala pediátrica da UPA Valle Verde será transferida para a unidade de saúde do bairro nesta sexta (14)

Sesi Araraquara vence o Blumenau no 1º jogo das quartas de final da LBF

Após autorização do Presidente Lula, Prefeitura lança licitação da segunda fase das obras na Via Expressa

Comcriar elege conselheiros e define diretoria para o mandato de 2024 a 2026

Guerreiras viram a chave novamente para o Brasileirão

CATEGORIAS