Vencendo a luta: Saúde prepara transferência do atendimento Covid do Hospital da Solidariedade para o Melhado

0
131

Com número muito baixo de pacientes necessitando de internação, demanda será atendida pela unidade de retaguarda; recursos de manutenção do hospital de campanha serão redirecionados para outras necessidades, como exames e cirurgias represadas durante o pico da pandemia

O número muito baixo de pacientes necessitando de internação pela Covid-19, devido à vacinação, e o alto custo de manutenção da estrutura do Hospital da Solidariedade motivaram a Secretaria de Saúde a programar, nos próximos dias, a transferência do atendimento de pacientes com coronavírus para leitos de UTI e enfermaria instalados no Pronto-Socorro do Melhado.
Construído em cinco semanas e inaugurado em maio de 2020, o Hospital da Solidariedade (hospital de campanha, com estrutura provisória) já atendeu 1.793 pacientes até a segunda-feira (15). Sua estrutura, que chegou a cerca de 70 leitos nos piores momentos da pandemia, atualmente está atendendo menos de cinco pacientes diários — são quatro internados nesta terça-feira (16).
Segundo a Secretaria de Saúde, R$ 80 milhões foram investidos no combate à pandemia, neste ano, em recursos próprios da Prefeitura. O custeio mensal do hospital de campanha é estimado em R$ 5 milhões, o que inclui pessoal (equipes de atendimento) e estrutura física.
“O hospital de campanha cumpriu o papel dele e salvou inúmeras vidas. A imensa maioria dos pacientes saiu restabelecida. A nossa sensação é de dever cumprido. Vamos deixar o hospital de campanha em ‘stand-by’, em estado de espera, para caso seja necessário reabrir leitos. Mas o Melhado tem uma ala com totais condições de fazer esse atendimento”, afirma a secretária de Saúde, Eliana Honain.
Com os recursos que estão sendo utilizados no hospital de campanha, a Prefeitura pretende atender outras demandas do município que ficaram represadas por causa da pandemia, inclusive na própria área da Saúde, como as filas de exames e de cirurgias eletivas. São urgências que necessitam de prioridade neste momento de superação da pandemia.
Eliana Honain reforça que a população deve continuar tomando os cuidados de prevenção da doença. A vacinação previne complicações e necessidade de internação, mas a transmissão do coronavírus, embora menor que antes, persiste.
“A pandemia está sob controle graças ao trabalho dos profissionais da saúde, ao apoio dos servidores públicos, ao apoio da população de Araraquara, mas temos que temos que continuar tomando todos os cuidados”, declara a secretária.
Até esta terça-feira, 199.054 araraquarenses receberam a primeira dose das vacinas contra a Covid-19 e, destes, 180.741 moradores estão totalmente imunizados (com duas doses ou única). Em relação à população geral do município, de aproximadamente 240 mil habitantes, 83% dos moradores tomaram ao menos a primeira dose e 75% estão completamente imunizados. As vacinas estão sendo aplicadas em pessoas acima de 12 anos.

MELHADO ESTRUTURADO

A diretora executiva da FunGota (fundação que faz a gestão das UPAs, do Hospital da Solidariedade e do Pronto-Socorro do Melhado), Lúcia Ortiz, explica que a estrutura do hospital de campanha está ficando ociosa em razão do baixo número de pacientes — no pico da pandemia, no primeiro semestre deste ano, chegou-se a 71 internados na unidade.
“O número de pacientes com Covid-19 no hospital de campanha diminuiu muito. Estamos por volta de 3 ou 4 pacientes internados. Está uma estrutura muito grande para poucos pacientes”, afirma Lúcia Ortiz.
“Na Ala C do Pronto-Socorro do Melhado, onde será o futuro setor de endoscopias e colonoscopias, já existe rede de gases e ar comprimido. Serão leitos de UTI e de enfermaria que estarão isolados do restante da unidade e que serão suficientes para essa demanda atual. A estrutura do Melhado está pronta”, complementa a diretora da FunGota.
Revitalizado e reaberto após pedido da população no Orçamento Participativo, o Pronto-Socorro do Melhado foi reinaugurado como uma unidade de diagnóstico e de retaguarda às UPAs, atendendo casos de baixa complexidade e que não necessitem de internações nos demais hospitais do município.
Mas em meio à piora da pandemia, entre o final de 2020 e agosto deste ano, a unidade do Melhado também passou a atender pacientes suspeitos e com confirmação da Covid-19, ajudando a ‘desafogar’ o hospital de campanha e os demais hospitais de Araraquara. Portanto, o local já possui estrutura adequada para esses atendimentos relacionados ao coronavírus.

(Secretaria de Comunicação – Prefeitura de Araraquara)

Deixe uma resposta