Uma araraquarense que faz milhares de cópias

Sarah Coelho descobre uma profissional que faz milhares de cópias, mas, entre uma e outra, conversa, dá conselho e sugestões sobre qualidade de vida e até decisões de garotos e garotas que estão na bonita e envolvente fase de conhecimento mútuo. Enfim, uma copiadora de mensagens fraternais que dão chance de os jovens se sentirem amparados por um adulto com sensibilidade e vontade para interagir. Por isso, Vera Lúcia comito Brasetz é o nosso destaque.

JA- Como se envolveu com as cópias?

VLCB- Bom, sempre gostei de trabalhar no comércio, tentei por 2 vezes trabalhar em empresas, mas esse não é o meu forte. Comecei no comércio aos 19 anos, com livraria. Depois banca de jornal e, aos poucos, a copiadora foi aparecendo e já estou há quase 10 anos no ramo.

Qual o retorno de trabalhar com tantos jovens?

Você acaba se tornando uma amiga ou mesmo mãe para alguns alunos que as vezes nos procuram para contar algo ou mesmo conselho sobre troca de emprego ou um novo namorado(a). É muito gostoso!

Batalha em outro local, afora a Uniara?

Tenho outra copiadora dá suporte ao serviço exercido na Uniara. Lá trabalhamos mais com firmas, empresas…

Quais os serviços que você oferece?

Além da cópia, trabalhamos com plastificações, encadernações e impressões.

O que é mais solicitado?

Sem dúvida, o serviço de cópia

Como vencer a concorrência?

Meu marido acha que é pela minha espontaneidade. Tem também o lado “capricho, rapidez e preço”, lembrando que a qualidade jamais pode ser sacrificada em função da urgência de um trabalho.

Como administrar lar e trabalho?

É complicado, pois tenho 2 filhas de 8 anos, que precisam muito de mim.

Mesmo assim consigo ser uma pessoa organizada em meus horários. Na parte da manhã fico em casa e aproveito para revisar os serviços da Uniara que devem ser feitos.

As 13 horas, as crianças vão para a escola e eu para o trabalho e, à noite, conto com uma babá até o retorno.

Como é trabalhar em família.

Eu particularmente adoro, pois sou muito família e estar com meu marido no trabalho é prazeroso. Discutimos às vezes (como todo casal) em casa, mas, no trabalho nunca. Formamos uma parceria que significa atuar com uma cumplicidade muito grande.

Quais as expectativas para o futuro dos filhos.

No mundo de hoje não dá para você fazer muitos planos. Ainda mais que elas são muito pequenas…

Meu sonho, acho que é de toda mãe: ver o filho estudando e encaminhado para o bem. Tudo isso em um mundo muito louco.

Você gosta de ler?

Gosto, mas me falta tempo para ler um livro ou uma revista. Leio praticamente o dia todo quando estou copiando textos. Estou sempre lendo para ver se as páginas estão corretas e também para informar ao aluno algo sobre o novo texto.

Vale dizer que copiar também e cultura?

Para mim é. Gosto de ler por exemplo um “Estudo de caso” (curso de Administração), artigos pedagógicos e depois discutir sobre eles com meu marido ou alunos.

E Deus em sua vida?

O ser maior, o nosso pai… sem ele no coração não somos ninguém.

Amigos?

Muitos, infinitos, amo todos que conheço e faço amizade nova todos os dias.

Mensagem

Fazer coisas importantes pela metade é praticamente sem valor algum, pois quase sempre é a outra metade que conta.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Comad realiza II Semana Municipal de Políticas sobre Drogas nos dias 24, 26 e 27 de junho

Araraquarense se voluntaria em Canoas, RS

Dia do Orgulho Autista: Grupo promove pesquisas e informação sobre Autismo

Câmara aprova regras para funcionamento de painéis luminosos de propaganda

Araraquara tem a menor taxa de homicídios do Brasil entre as cidades com mais de 200 mil habitantes

CATEGORIAS