Trilhas ecológicas são ferramentas de Educação Ambiental

0
73

A atividade foi realizada no Centro Municipal de Educação Ambiental, do Parque Natural Municipal de Proteção Integral do Basalto e contou com a participação de docentes e discentes da UNIARA

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade realizou na manhã desta sexta-feira (03), a atividade de Educação Ambiental denominada “Troca de saberes: a importância das trilhas ecológicas como ferramenta de Educação Ambiental”, no Centro Municipal de Educação Ambiental, do Parque Natural Municipal de Proteção Integral do Basalto. A atividade contou com a participação de técnicos da Secretaria, além de professores e alunos da Universidade de Araraquara (UNIARA).
O gerente de Planejamento, Sustentabilidade e Educação Ambiental, Valter Iost, apresentou um breve histórico do Parque, bem como, suas características geológicas, hídricas, o bioma e sua biodiversidade. “O Basalto é um local rico em biodiversidade e possui características ímpares”. Ele também comentou sobre as Trilhas Ecológicas Interpretativas do local. “Elas podem conscientizar e sensibilizar a população sobre a importância ecossistêmica das Unidades de Conservação para melhoria de vida das pessoas, através da melhoria do clima, controle de chuvas, absorção de água das chuvas, proteção da biodiversidade e proteção do solo”.
A coordenadora do Curso de Ciências Biológicas da Uniara, Teresa Katuko Muraoca, propõe ações conjuntas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade e do Curso de Ciências Biológicas. “O objetivo é de capacitar os alunos para serem monitores das Trilhas Ecológicas a serem oferecidas a toda população”. O professor da Uniara, Dr. Adriano Marques Gonçalves e os alunos do Curso de Ciências Biológicas apresentaram propostas para a construção de uma Trilha Ecológica com pontos pré-definidos. “A ideia é abordar o conceito de biomas, biodiversidade, teia e cadeia alimentar, recursos hídricos, geologia, matas de galeria e matas ciliares, entre outros”, acrescentou o Adriano.
O engenheiro Agrimensor e Gestor de Unidade da Secretaria, Leonardo de Araújo Neto, sugeriu a abordagem do tema Espiritualidade como um item da Educação Ambiental. “Também seria interessante a utilização das plantas medicinais como ferramenta de Educação Ambiental”.
O agente Técnico de Serviços Públicos da Secretaria, Tiago Sant’Anna de Oliveira, também deu sua contribuição ao encontro. “Sugiro a instalação de uma placa de onde se localiza o Parque na Bacia Hidrográfica do Ribeirão do Ouro”. Ainda ficou definido durante o encontro a produção de um Caderno de Trilhas Educativas a ser disponibilizado a Educadores Ambientais, como uma ferramenta de educação ambiental, bem como a realização de oficinas ao longo da trilha, como experimento de erosão, cadeia alimentar e absorção de água para as rochas.
Para Valter Iost, o encontro foi muito produtivo e rendeu resultados positivos. “Ficou definido que os trabalhos para construção da trilha e do Caderno de Trilhas vai ser construído em parceria visando a conscientização e sensibilização da população sobre a importância ecossistêmicas das Unidades de Conservação”, concluiu o gerente. (Secretaria de Comunicação – Prefeitura de Araraquara)

Deixe uma resposta