Teste o seu Português (752)

Prof.ª Dr.ª Terezinha de Jesus Bellote Chaman (*)

PROFESSORES… PARA QUEM OU PARA QUÊ? (continuação).

Segue, pois, consoante o mencionado, que estamos vivendo grandes metamorfoses, desde o advento do computador. Acrescente-se, então, nesta linha de pensamento, a imensa responsabilidade do educador ético, do educador que objetive formar cidadãos.
O momento é de pensar e fazer pensar multiculturalmente. Como? Levando os discentes a apropriarem-se criticamente das informações, tornando-as conhecimento, levando-os ao domínio inteligente da tecnologia e não à dominação servil e cega da máquina sobre o homem.
Segundo o filosofo francês Olivier Reboul (2000), a escola deve ensinar tudo aquilo que une (dimensões básicas que garantem que se parta dos mesmos princípios básicos) e tudo aquilo que liberta (desperta espírito científico, capacidade de julgamento próprio). Não há como formar alunos críticos e capazes de avaliar autonomamente as informações que recebe, sem que tenha tido acesso a conhecimentos básicos (língua, artes, história, entre outros), que lhe permitirão compreender o mundo, e conhecimentos filosóficos, matemáticos e de ciências em geral, capazes de auxiliar na elaboração de questionamentos e problematizações, acerca da realidade cotidiana.
Reflitamos com Dupas:

No início, as tecnologias da informação depararam com uma série de limitações. No entanto, o desenvolvimento vertiginoso de softwares, a difusão maciça da informática, o computador pessoal e os kits para instalação de programas formam um instrumento de rápida implantação de novos parâmetros para o exercício da liderança tecnológica, do poder e da hegemonia econômica nesta nova etapa do capitalismo, agora efetivamente global. (2000, p. 38).

E nós nos perguntamos: remédio ou veneno? Nessa incessante metamorfose de dispositivos informacionais, de variadas gamas, a deixar rastros nas relações entre os homens, em sua inteligência e em seu trabalho, pomo-nos a questionar: Como lembra Georges Balandier, essa nova fé sem compromissos pode levar o indivíduo a crer em qualquer coisa, multiplicar os objetivos sobre os quais se fixa e, assim, fetichizar o mundo com poderes absurdos. O paradoxo está em toda a parte. A capacidade de produzir mais e melhor não cessa de crescer. Paciência que tal progresso trará consigo regressões, desemprego, exclusão, pauperização, subdesenvolvimento. A distribuição de renda piora, a exclusão social aumenta, o trabalho se torna mais precário nesse mundo de poder, produção e mercadoria. As tecnologias da informação encolhem o espaço. As diversas “teles” anulam distâncias, desmaterializando os encontros. O espaço já não é mais obstáculo, mas alguma coisa desaparece nesses buracos negros que se tornaram lugares onde nada fica e onde as pessoas estão sempre separadas. (DUPAS, 2000, p. 49 – 50).
Salas de aula com professores… para quem ou para quê?
As escolas foram feitas para os alunos, mas de quais alunos estamos falando?
Olhos de ver, ouvidos de ouvir parecem já escassos nas universidades… discentes hiperindividualizados em seus notebooks. Onde o olho no olho? Sem saudosismo, mas com preocupação, com cuidado, misto de encantamento e ilusão, vazio, simulacro, o deixar de se fazer um com o outro, o eu e o outro, o parecer ser o cidadão hoje produto do acaso e não de um processo educativo da magia do ver, do debater, do ouvir, do respeitar, do selecionar informações.
Ah, somente os cidadãos livres podem negociar e liberdade é algo sério, humanidade social é algo sério também, trabalho ético exige muita seriedade. Mas exige mão-dupla: não só por parte do docente, mas das políticas públicas e dos discentes.
Importante, lembramos, que “quanto mais informação menos sentido” (BAUDRILLARD, 1979, p. 106). Segundo ainda Baudrillard, o que se julga ter produzido é, verdadeiramente, “a implosão do social nas massas” (1979, p. 111).
Observemos o que nos diz Dupas (2001, p. 111):
Existe um entrosamento entre o gênero de linguagem que se chama ciência e o que se denomina ética e política. Quem decide o que é saber, e quem sabe o que convém decidir? A questão do saber na idade da informática é mais do que nunca um problema do governo.
Podemos inferir então, conforme o que se contempla em Dupas, que a escola e a universidade estejam a serviço do sistema dominante vigente? Se assim for e se assim é, ao docente cabe não ser vitima passiva do sistema, mas, nas entrelinhas do debate educativo, a edificação do destino humano. A pedagogia real é escatológica: o essencial é algo que não se ensina, transcende o que se ensina.
Somente assim, podemos entender e vivenciar o que pontua Antunes (2008, p. 123 – 124):
Uma vida cheia de sentido em todas as esferas do ser social, somente poderá efetivar-se através da demolição das barreiras existentes entre tempo de trabalho e tempo de não trabalho, de modo que, a partir de uma atividade vital cheia de sentido, autodeterminada, para além da divisão hierárquica que subordina o trabalho ao capital hoje vigente e, portanto, sob bases inteiramente novas, possa se desenvolver uma nova sociabilidade, em que ética, arte, filosofia, tempo verdadeiramente livre e ócio, em conformidade com as aspirações mais autênticas, suscitadas no interior da vida cotidiana, possibilitem a gestação de formas inteiramente novas de sociabilidade, em que liberdade e necessidade se realizem mutuamente. (continua na próxima edição).
O presente artigo foi elaborado durante o doutorado orientado por Prof. Dr. Pe. Mário José Filho. Escrito a duas mãos por Maria Cherubina de Lima Alves e Terezinha de J. Bellote Chaman.

Teste o seu Português:

1 – Adoro tomar um __ toda manhã. Em bom português:
a ( ) iogurte;
b ( ) iorgute;
c ( ) iorgurte;
d ( ) yoghurt.

2 – O que quer dizer a palavra exéquias, no contexto?
A cerimônia de exéquias foi esplendorosa.
a ( ) festa de universitários;
b ( ) reunião de filósofos;
c ( ) honras fúnebres;
d ( ) honras militares.

3 – Era um enorme _ grudado em meu vestido.
a ( ) bisoru;
b ( ) bisouro;
c ( ) bizorro;
d ( ) besouro;
e ( ) bezorro.

4 – O que quer dizer a palavra procrastinar, no contexto?
O governo vai procrastinar a decisão do problema.
a ( ) transferir para outra ocasião;
b ( ) resolver agora;
c ( ) mandar cortar;
d ( ) fazer uma nova reunião.

5 – Sopa é um alimento de fácil _.
a ( ) abisorção;
b ( ) absorção;
c ( ) absorsão;
d ( ) abisorsão.

6 – Foi um ato _, praticado por aquele cidadão.
a ( ) obseno;
b ( ) obisceno;
c ( ) obsceno;
d ( ) obceno.

7 – O que quer dizer a palavra aboletar, no contexto?
As pessoas vão se aboletar na fila do INSS.
a ( ) criar confusão;
b ( ) instalar-se;
c ( ) pedir ajuda;
d ( ) fazer gritaria.

(*) Pesquisadora do GEPEFA – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Famílias – UNESP/Franca. (até março de 2024).

RESPOSTAS

Resp 1.: a – Adoro tomar um iogurte toda manhã.
Iogurte (= coalhada feita de leite fervido, obtida por meio de fermentos especiais).
OBS.: a forma yoghurt foi tirada do turco (Borba, 2004 – Dic. UNESP do Port. Contemp.).
Resp 2.: c – Exéquias quer dizer: cerimônia ou honras fúnebres.
Resp 3.: d – Era um enorme besouro grudado em meu vestido.
Besouro (= inseto de asas posteriores membranosas e as anteriores em forma de chifre, de tamanhos e cores variados).
Resp 4.: a – Procrastinar quer dizer: transferir para outra ocasião, adiar.
Resp 5.: b – Sopa é um alimento de fácil absorção.
Absorção (= ação de engolir, comendo ou bebendo).
Resp 6.: c – Foi um ato obsceno, praticado por aquele cidadão.
Obsceno (= contrário ao pudor, indecente).
Resp 7.: b – Aboletar-se quer dizer: instalar-se, alojar-se.

OBS.: Colunista semanal dos jornais Diário do Grande ABC (SP) e Jornal de Araraquara (SP), Jornal Independente – Dois Córregos (SP), Tribuna do Norte – Natal (RN), Jornal de Nova Odessa (SP), Diário da Franca – Franca (SP) – Jornal de Itatiba – Itatiba (SP) – O Liberal Regional – Araçatuba (SP) – Diário da Serra – Tangara da Serra (MT) – Gazeta Penhense – Penha/SP – Gazeta do Ipiranga/SP.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Prefeitura inicia obras de revitalização no estádio da Atlética

Dicas gratuitas para curtir a cidade (27 e 28 de julho)

Assessoria de Políticas para a Juventude promove transmissão da final olímpica de skate feminino no domingo (28)

Urgência e emergência da Santa Casa segue em obras para ampliação de leitos

Região Central: aulas do 2º semestre começam segunda-feira (29) com novidades para estudantes da rede estadual de SP

CATEGORIAS