Teste o seu Português (657)

0
126

Prof.ª Dr.ª Terezinha de Jesus Bellote Chaman (*)

“A verdadeira generosidade (para) com o futuro consiste em dar tudo para o presente”.

Você já pediu perdão a alguém no dia de hoje? E ontem? E antes de ontem? Ou… já pediu perdão alguma vez? Izabela Santa Cruz Fontes fala sobre o assunto Perdão. Acho que depois disso você vai aprender a pedir perdão. Boa leitura.

“Hoje sonhei que o perdoava. Estamos sentados frente a frente, desconfortáveis, com olhares perdidos. Eu podia sentir o seu desespero mudo no ar, tocar nele, moldá-lo à minha maneira, fazer dele capricho meu. Você fingia tomar seu café e olhar pela janela. O café estava tão quente, que era quase uma presença humana. Éramos, então, quatro: eu, você, o café e seu desespero. Percebi nisso metáfora indizível. Mesmo no fim, mesmo em sonhos, nunca sozinhos. Sádica, eu folheava o jornal displicentemente e jogava os cadernos pelo chão, bagunçando tudo de propósito, como que para irritá-lo pela última vez. Você, numa coragem súbita, quebra o silêncio. Apenas ergo os olhos, fitando-o friamente e volto a uma notícia tediosa, no caderno de política. Falava alguma coisa sobre um tratado político no Sul da África… você fala, fala, fala. Fala coisas que eu não entendo ou não lembro. Diz que se arrepende, pede desculpas, promete o céu e felicidade eterna. Continuo a ler, termino mais uma página e a jogo no chão, quase com desprezo. Sentindo o corpo inteiro estremecer, numa raiva contida, você se limita a olhar com o canto do olho a mais uma provocação e ignora, permitindo-se um resto de orgulho. Ao perceber que ainda somos nós — você, puro orgulho, eu, pura implicância — dou um meio sorriso, sabendo que não tenho o direito de me sentir feliz. Você, de repente, percebe tudo e dá um sorriso largo, criança em dia de natal. Surpresa, apenas arregalo os olhos, você ri do meu espanto. Mais alto. Gargalha. Contagiada, vou sentindo minha boca se abrir, tímida, até se escancarar. Sentimos o corpo tremer e rimos, em uma crise guardada, sem explicação, sem motivo. Passamos tempo incontável assim, a rir sem motivos e, de repente, paramos. Pela primeira vez, olhamo-nos de verdade, com olhos de quem ri, inocentes e carinhosos. Finalmente, nós dois entendemos e, calados, aceitamos nosso destino: orgulho e implicância. E… o perdão se fez.”
Tão simples e tão profundo! Tão forte e tão generoso! É que o perdão pertence aos fortes de espírito. Os fracos não perdoam nunca.

Teste o seu Português

01 – O que quer dizer: frugal? À noite, prefira sempre uma refeição frugal.
a ( ) à base de carne;
b ( ) só com frutas;
c ( ) bem temperada;
d ( ) ligeira.

02 – Como devemos chamar o milho quebrado?
a ( ) quirera;
b ( ) quirela.

03 – Ele costumava tomar um _________ na ___________. Agora, com a ___________, bebeu demais não pode dirigir.
a ( ) porri – cerveijaria – lei seca;
b ( ) porre – cervejaria – lei-seca.

04 – A cozinha está ___________ do cheiro bom de tempero.
a ( ) impregnada;
b ( ) impreguinada;
c ( ) empregnada;
d ( ) empreguinada.

05 – Durou apenas um ____________ o nosso relacionamento.
a ( ) quincuênio;
b ( ) quinquênio;
c ( ) qüinqüênio;
d ( ) qüincuênio.

06 – No final da festa foi o maior ____________.
a ( ) qüiproquó;
b ( ) quiprocó;
c ( ) quiprocuó;
d ( ) quiproquó.

07 – Naquela ____________ não vinga nada!
a ( ) quissassa;
b ( ) quissaça;
c ( ) quiçaça;
d ( ) quiçassa.

08 – Era um ___________ muito ____________.
a ( ) rapasola – quichotesco;
b ( ) rapazola – quixotesco;
c ( ) rapazoula – quixiotesco.

09 – Deixe de ser __________! Sua vida é ótima!
a ( ) quexoso;
b ( ) quechoso;
c ( ) queixoso;
d ( ) queichoso;
e ( ) queixozo.

10 – Eu vou ___________ minha roupa na mala e sumir no mundo.
a ( ) introuchar;
b ( ) entrouchar;
c ( ) introuxar;
d ( ) entrouxar.

(*) Pesquisadora do GEPEFA – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Famílias – UNESP/Franca.

Resposta:

Resp 1.: d – Frugal quer dizer ligeira, leve, parcimoniosa.
Resp 2.: a – b – Quirera ou quirela (= as duas formas estão corretas. A variante quirela é muito pouco usada, segundo o DUP – Borba 2004).
Resp 3.: b – Ele tomou um porre na cervejaria. Agora, com a lei-seca, bebeu demais não pode dirigir.
Porre (= pileque, embriaguez, bebedeira).
Cervejaria (= estabelecimento onde se vende e se toma cerveja).
Resp 4.: a – A cozinha está impregnada do cheiro bom de tempero.
Impregnada (= penetrada, ocupada, tomada).
Resp 5.: b – Durou apenas um quinquênio o nosso relacionamento.
Quinquênio (= período de cinco anos).
Resp 6.: d – No final da festa foi o maior quiproquó.
Quiproquó (= confusão, equívoco).
Resp 7.: c – Naquela quiçaça não vinga nada!
Quiçaça (= terra árida, chão ruim).
Resp 8.: b – Era um rapazola muito quixotesco.
Rapazola (= rapaz muito jovem).
Quixotesco (= ingênuo, sonhador).
Resp 9.: c – Deixe de ser queixoso! Sua vida é ótima!
Queixoso (= que reclama, que se queixa).
Resp 10.: d – Eu vou entrouxar minha roupa na mala e sumir no mundo.
Entrouxar (= empacotar).

OBS.: Colunista semanal dos jornais Diário do Grande ABC (SP) e Jornal de Araraquara (SP), Jornal Independente – Dois Córregos (SP), Tribuna do Norte – Natal (RN), Jornal de Nova Odessa (SP), Diário da Franca – Franca (SP) e Diário de Sorocaba – Sorocaba (SP) – Jornal de Itatiba – Itatiba (SP) – O Liberal Regional – Araçatuba (SP) – Diário da Serra – Tangara da Serra (MT).

 

Deixe uma resposta