Secretarias respondem sobre segurança no Cemitério São Bento

0
121

Em requerimento, vereador Marchese da Rádio (Patriota) relatou registros de diversas violações de túmulos

O Cemitério São Bento é o maior da cidade de Araraquara, com mais de 11 mil sepulturas, somando mais de 100 mil pessoas sepultadas. Muitas famílias contratam profissionais autônomos para a manutenção e limpeza constante dos túmulos, sendo que muitos desses profissionais têm como principal renda o pagamento dos serviços prestados.
No entanto, alguns profissionais que fazem a manutenção das sepulturas registraram reclamações no gabinete do vereador Marchese da Rádio (Patriota), evidenciadas em fotos, de pelo menos 16 violações, com furto de placas e objetos de bronze, tais como argolas e crucifixos, além de vasos e plantas dos túmulos.
Nesse sentido, o parlamentar apresentou à Prefeitura, no dia 29 de julho, o Requerimento nº 717/2021, solicitando um levantamento para que a segurança do Cemitério São Bento fosse reforçada, evitando, assim, que as sepulturas fossem violadas.
“Por conta dessa violação de túmulos, muitas famílias enlutadas acabam deixando de realizar os serviços de manutenção particulares nas sepulturas, o que provoca uma queda na renda dos profissionais autônomos, tirando o meio de subsistência de um grande número de famílias de Araraquara”, alertava Marchese, que pedia ao Executivo, no documento, estudos junto às secretarias municipais de Segurança Pública e de Obras e Serviços Públicos.
“Tal solicitação também se faz necessária por questões de respeito aos familiares enlutados, que têm os seus túmulos violados e, portanto, a memória de um ente querido abalada”, argumentava o vereador.
Em resposta, o secretário municipal de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, João Alberto Nogueira Júnior, informou que são realizadas rondas internas e externas pela Guarda Civil Municipal (GCM), de viatura e a pé, sendo que a GCM possui a chave do local. “O patrulhamento da GCM se dá em qualquer período, incluindo-se a ronda interna, sem ser posto fixo, conforme planejamento de patrulhamento da GCM que abrange os próprios públicos de todas as regiões.”
Nogueira explica que, tendo em vista que se observa o aumento do número de furtos no cemitério, nos últimos anos a GCM intensificou o número de rondas e o tempo de permanência, principalmente no período noturno. (Comunicação Social – Câmara Municipal de Araraquara)

Deixe uma resposta