Secretaria e Daae esclarecem medidas para evitar entupimento de bocas de lobo 

0
204

Informações foram solicitadas pela vereadora Filipa Brunelli (PT) 

Em novembro do ano passado, a vereadora Filipa Brunelli (PT) encaminhou um requerimento à Prefeitura, buscando informações sobre a instalação de lixeiras na extensão das ruas Nove de Julho (2) e São Bento (3) e avenidas e ruas adjacentes. 

“A ausência de lixeiras nesses trechos tem resultado em uma considerável quantidade de resíduos descartados de forma incorreta e, consequentemente, ocasionado o entupimento das bocas de lobo”, argumentou a parlamentar no documento. 

Filipa perguntou em que estágio se encontrava a licitação mencionada na resposta emitida pela Prefeitura referente à Indicação nº 178/2021, que pedia a instalação de lixeiras, quais medidas estariam sendo ou foram tomadas nesse período para solucionar a problemática do descarte irregular de resíduos sólidos, e quais providências estariam sendo ou foram tomadas em relação ao entupimento das bocas de lobo da região. 

Em resposta enviada recentemente pelo Executivo, a coordenadora executiva de Serviços Públicos da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos, Renata Bratfisch, informou que, considerando o estudo/análise da alteração no termo de referência, para incluir a possibilidade de parcerias e propagandas, entre outras medidas, o processo mencionado foi suspenso. “Após sua conclusão, será iniciado novo processo para a aquisição dos mobiliários. A licitação está prevista para este exercício, porém sem data firmada”, detalhou. 

Segundo a diretora de Resíduos Sólidos e Proteção dos Recursos Hídricos e Mananciais do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), Simone Oliveira, ocorre diariamente a varrição de toda a região central, cobrindo totalmente o setor que compreende as vias mencionadas. 

Já o coordenador executivo de Obras Públicas da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos, Ernesto Vellosa, explica que o Município conta com equipe própria para a manutenção dos bueiros e bocas de lobo, todavia a administração firmou parceria com o sistema penitenciário (reclusos e reeducandos) para a ampliação dessas equipes. “A manutenção é efetuada durante todo o ano e intensificada a partir de outubro, visando à retirada de folhas e materiais que possam reduzir a capacidade de drenagem do sistema durante o período de chuvas, que ocorre de dezembro a março.” 

Ele pontua que o sistema de drenagens compreende mais do que as bocas de lobo, por isso os serviços de manutenção envolvem limpeza e desobstrução da rede de galerias, troca e reposição de tampas de caixas de drenagem, reposição de grades dos bueiros, remodelação das sarjetas, implantação, remodelação e desobstrução de sarjetões. 

“Os serviços são realizados através do monitoramento dos bueiros e bocas de lobo e a manutenção preventiva é realizada conforme o comportamento do sistema e ocorrências averiguadas. Por se tratar de atividade extremamente dinâmica, com diversas ocorrências de furtos recorrentes das grades e depredação das tampas, as demandas são analisadas diariamente e atendidas conforme a gravidade/risco à população”, completa. 

O coordenador enfatiza que, usualmente, são realizadas campanhas pelo Daae e pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, tal como o programa “O rio começa aqui”.

(Comunicação Social – Câmara Municipal de Araraquara)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.