Sábado (25): programação do FIDA começa pela manhã

0
191

Oficina de Balé Clássico e mostras: da residência “Nômades”, da Escola Municipal de Dança e das Oficinas Culturais dão tom à programação

A Oficina “Novos Olhares do Corpo no Balé Clássico”, com Ângela Nolf (SP), abre a programação do FIDA – Festival Internacional de Dança de Araraquara na manhã do sábado (25), às 10 horas. Depois, à noite, as atividades se voltam para: a mostra do resultado da residência nômade “Corpografias sonoras em ações e encontros improváveis”, com Daniela Amoroso, às 19 horas; e a mostra de obras artísticas da Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira e do programa Oficinas Culturais Municipais, com depoimentos sobre políticas públicas culturais, às 20h30.
“Novos Olhares do Corpo no Balé Clássico” – A oficina tem como ponto de partida os princípios da Técnica Clássica. A aula pretende conduzir o bailarino a investigar novas possibilidades de um movimento adaptado à sua estrutura corporal. São previstos: exercícios de chão, aquecimento, barra e um pequeno centro, esperando no final do processo fazer uma roda de conversa para trocar experiências entre os integrantes. A oficina tem continuidade no dia 26.
Ângela Nolf foi professora do Instituto de Artes, Curso de Dança – UNICAMP, onde coordenou o curso de graduação em Dança. Trabalha na assessoria de projetos pedagógicos, artísticos, concursos e inúmeras bancas e comissões acadêmicas. Ministra aulas para companhias profissionais e workshops sobre: técnica de dança clássica, análise do movimento para bailarinos contemporâneos. Atua na direção artística e colaboração de projetos independentes e presta assessoria junto a Centros Culturais, SESC, Secretarias de Cultura do Estado e Município de São Paulo.
Paulista, formada pela Escola de Dança de São Paulo. Aperfeiçoamentos em Londres no RBS – Royal Ballet School, ISTD – Imperial Society of Teachers of Dancing, Coreologia Benesh, RAD – Royal Academy of Dancing e Hammond School of Dancing (Chester). Foi bailarina do The Israel Ballet em Tel Aviv e como Diretora Artística do Balé Ópera Paulista. Atuou na Cia Terceira Dança, Cia Druwe, NPC Núcleo de Pesquisa Cênica.
Recebeu o prêmio como intérprete destaque no Cecchetti Summer Course (Londres), premiações da APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte e em 2014, o Prêmio Denilto Gomes pela sua trajetória artística e interpretação do solo “Sem Título”, coreografado por Vanessa Macedo.
Mostra + live residência nômade – A partir das 19 horas, será apresentado o resultado da residência nômade “Corpografias sonoras em ações e encontros improváveis”, com a professora da UFBA – Universidade Federal da Bahia, Daniela Amoroso. Após a apresentação, será realizada uma live com a participação de Daniela, com a mediação do coordenador de Acervos e Patrimônio Histórico, Weber Fonseca.
Daniela conta que “Corpografias sonoras em ações e encontros improváveis”, nasceu do desejo de corpografar territórios sonoros e Araraquara, entendidos como “populares”, como por exemplo: Mercado Municipal, Estação Ferroviária, Fonte Luminosa, Praça Pedro de Toledo – entre outros. Aliás, é devido à possibilidade dos encontros serem realizados em diversos espaços da cidade que é considerada na programação do FIDA uma “residência nômade”.
Espaços, lugares e territórios que guardam vestígios, resquícios e traços da história de Araraquara. Como re-inventar as sonoridades que estão nas trilhas? Como sensibilizar corpos para a experiência do sensível? Como pesquisar com o corpo expandido? Essas são aberturas questionadoras que serão trabalhadas durante a residência.

Dani Amoroso é araraquarense radicada em Salvador, Bahia.
É pesquisadora das culturas tradicionais, especialmente do samba de roda do Recôncavo Baiano. É professora da Universidade Federal da Bahia desde 2010. Orienta pesquisas artísticas e acadêmicas em Dança e Artes Cênicas que se dedicam à valorização dos saberes tradicionais historicamente invisibilizados.
Mostra de obras artísticas – Os alunos da Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira e do projeto Oficinas Culturais Municipais são os destaques da Mostra de obras artísticas.
Após um ano e meio longe da Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira devido à pandemia, os alunos do último ano foram convidados a revisitar os espaços da escola e também seus espaços internos – sentimentos, memórias e lembranças. Nesse encontro de sensações e significados relembraram o último espetáculo “O boi errante pelos Brasis”, que começa com um acontecimento que distancia fisicamente pessoas muito queridas, mas se mantém aceso o desejo do reencontro, que só foi possível após uma jornada de autoconhecimento e reconhecimento do nosso Brasil complexo, diverso e plural, isto é, multirreferencial, como a escola. Os alunos apresentam “Quando a escola me habita”.
Já a participação das Oficinas Culturais Municipais no FIDA se desenhou a partir de dois conceitos: “ocupação” e “resistência”. São 20 anos da existência do programa e, rememorando esta história, os educadores produziram um vídeo de ocupação artística na sede das Oficinas Culturais: o Centro de Artes e Ofício Judith Lauand. Houve intervenções nas paredes e espaços, realizadas pelos artistas plásticos, composição de sonoridades que incorporaram os ruídos externos realizados por músicos e reverberação corporal dos artistas da cena. Assim: “Oficinas Culturais é democratização das artes e resistência no tempo. Ocupando espaços e corações”, esta é a essência da produção.
Após as apresentações, os gestores da Secretaria Municipal da Cultura, ao lado da secretária da Cultura Teresa Telarolli, irão dar seus depoimentos sobre as políticas públicas culturais de Araraquara. Participam: a curadora do FIDA 2021, Gilsamara Moura; a coordenadora das Oficinas Culturais, Rafaella Pucca; o coordenador executivo da Secretaria da Cultura, Carlos Fonseca; e o coordenador de Acervos e Patrimônio Histórico, Weber Fonseca.
Os depoimentos implicam a fundação da Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira, que mantém o objetivo de instrumentalizar o aluno para que ele possa, ao longo dos seis anos, desenvolver uma capacidade reflexiva, buscando a articulação das linguagens artísticas com o meio social em que vive.

Toda a programação do FIDA 2021 é gratuita e pode ser acompanhada pelo site da Prefeitura de Araraquara: www.araraquara.sp.gov.br/fida2021
Festival Internacional de Dança 2021 — Prefeitura Municipal de Araraquara

SERVIÇO:
FIDA – Festival Internacional de Dança de Araraquara
Local: Canal da Prefeitura Municipal de Araraquara no YouTube
Data: sábado (25 de setembro)

– Programação:
10h: Oficina “Novos Olhares do Corpo no Balé Clássico”, com Ângela Nolf (SP),

19h: Mostra do resultado da residência nômade “Corpografias sonoras em ações e encontros improváveis”, com Daniela Amoroso (mediação: Weber Fonseca)

20h30: Mostra de obras artísticas da Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira e do programa Oficinas Culturais Municipais, com depoimentos sobre políticas públicas culturais
Grátis

Mais informações: www.araraquara.sp.gov.br/fida2021

(SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO – PREFEITURA DE ARARAQUARA)

Deixe uma resposta