Riscos e prevenção das queimaduras

0
112
Foto: Freepik

Este mês, os riscos de queimaduras na população infantil, sobretudo nas crianças pequenas, aumentam com a utilização de fogos de artifício e fogueiras durante as comemorações das festas juninas por todo o Brasil.

Conforme explica a pediatra Ana Paula Bertozzi, membro do Departamento de Segurança Infantil da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), a queimadura é definida por toda lesão causada pelo contato com agentes externos, que podem ser térmicos (por exemplo: fogo, líquidos quentes, vapores ou radiação), químicos (substâncias ácidas e alcalinas), elétricos ou biológicas (por exemplo: taturanas).

Ana Paula esclarece que nas crianças, o tipo de queimadura mais frequente é a causada por escaldamento. “Ou seja, aquela em que há a presença de líquidos quentes em contato com o corpo da criança. Ocorrem geralmente em ambiente doméstico”, explica.

Dados do DATASUS, no período de março de 2021 a março de 2022, mostram que houve cerca de 2.300 internações hospitalares em crianças de zero a 14 anos, por contato com água ou outros líquidos ferventes, sendo o maior grupo de risco o de crianças entre um e quatro anos de idade.

Segundo a médica, as queimaduras podem ser divididas de acordo com a sua profundidade, isto é, de primeiro grau (quando há apenas acometimento superficial da pele, observando-se a vermelhidão do local queimado); segundo grau (quando há a formação de bolhas) e de terceiro grau, que pode acometer tecidos profundos, tais como músculos, tendões e ossos. “Por isso, a prevenção é a melhor maneira de protegermos nossos pequenos”, enfatiza Ana Paula.

A especialista dá abaixo algumas dicas de prevenção de queimaduras:

1- Se for utilizar o fogão, coloque as panelas com os cabos voltados para a parte de trás do fogão, dê preferência para as bocas de trás, evitando que as crianças consigam “puxar” as panelas para si; e melhor, não deixe seu filho(a) entrar na cozinha enquanto estiver preparando os alimentos.
2- Evite o uso do fósforo e não acenda velas em casa.
3- Não manipule álcool líquido ou outras substâncias inflamáveis; se houver necessidade, não o faça perto do fogo.
4- Mantenha os produtos químicos em local elevado e fechado, longe do alcance das crianças.
5- Mantenha o ferro de passar longe do alcance das crianças.
6- Neste período de festas juninas, evite fogueiras.

Para a especialista, estes são cuidados simples, que podem evitar grandes complicações. “Na ocorrência de uma queimadura, entre sempre em contato com um serviço médico, pois o cuidado inicial depende do tipo de agente agressor”, alerta, concluindo: “Muito importante, não fure bolhas e evite o uso de pomadas e/ou pasta de dente. Na dúvida, procure seu pediatra ou o serviço de urgência mais próximo.” (Flávia Lo Bello – e-mail: contato@veritecomunicacao.com.br)

 

 

Deixe uma resposta