Realização do Parlamento Jovem está garantida em 2022 

0
128

Projeto da Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Araraquara vai acontecer com participação de 33 escolas da cidade 

O Parlamento Jovem está de volta. Após dois anos sem ser realizado devido à pandemia, o projeto da Escola do Legislativo (EL) da Câmara Municipal de Araraquara vai voltar a levar informação e conscientização política às escolas municipais, estaduais e particulares de Araraquara.

Em solenidade realizada no Plenário da Casa de Leis na tarde da quarta-feira (23), ocorreu a assinatura de adesão das 33 unidades educacionais ao projeto.

Ao lado das servidoras da EL, Alicia Gimenez e Ana Paula Kuwana, o presidente da Escola, vereador Guilherme Bianco (PCdoB), que já participou do projeto quando estudante, destacou esse retorno. “Em 2020, a Escola chegou a formar parceria com a Diretoria de Ensino, a Secretaria Municipal de Educação e também com as escolas particulares, só que veio a pandemia e parou. Em 2021, conversamos muito dentro da Escola, queríamos muito fazer, então debatemos muito, conversamos, pensamos. O problema é que isso chocaria tanto com as regras sanitárias da Câmara Municipal, porque não estava recebendo público naquele momento. Então não poderíamos fazer a Sessão do Parlamento Jovem, que é trazer os jovens para a Câmara. Além disso, existia o problema do decreto municipal da Educação que falava que corpos estranhos à escola fossem evitados de entrar no ambiente escolar”, explicou.

A Diretoria Regional de Ensino foi representada pelo dirigente Paulo Pereira da Silva e pela professora coordenadora dos anos iniciais, Eguyar Sudati. Para Silva, a parceria entre Diretoria Regional de Ensino, Secretaria Municipal de Educação e escolas municipais, estaduais e particulares é muito importante. “Após dois anos de pandemia, tivemos os alunos distantes da escola e, de certa forma, distantes da vida em sociedade como um todo. Retornar nesse momento é extremamente importante, pois temos empregado o exercício da cidadania e preparado o jovem para que ele exerça o protagonismo juvenil, para que ele seja protagonista de suas ações, de seus direitos e deveres, e o Parlamento Jovem traz essa oportunidade”, afirma.

As escolas particulares foram representadas pela diretora pedagógica Maria Teresa Outeiro Fernandes e pelo coordenador pedagógico Douglas da Silva Bortolani (Colégio Natureza); e pelos professores Carlos Renato Flório (Objetivo), Daniel Marcos de Paula (Externato Santa Terezinha), João Luís de Mattos Gonçalves (Pueri Domus) e Renan David Cesca (Coeducar).

Para Flório, o projeto fez muita falta nos últimos dois anos. “É um projeto que permite que os alunos vejam a política sendo feita na prática, principalmente a dimensão legislativa, que é aquela que interfere muito na nossa vida, mas que, em geral, passa despercebida por ser bastante técnica. A possibilidade de os alunos terem uma experiência prática, com essa dinâmica legislativa é muito enriquecedora. Permite que a gente vá além dos conteúdos escolares, do currículo, que possa realmente preparar o aluno para a cidadania, para que ele possa se sentir pertencente a uma sociedade, e conhecer os elementos para a prática dessa cidadania.”

“A grande mudança vem através dos jovens”, entende o presidente da Casa de Leis, vereador Aluisio Boi (MDB). “Quando o Parlamento Jovem vai até as escolas, faz um trabalho de política sem fins partidários, explicando o que é o parlamento, o que é a política, trazendo jovens para Câmara, com ideias, com projetos, a gente leva essa discussão para a casa deles. É importante, mais do que nunca, a política ser conversada”, completou.

Também participou da assinatura a coordenadora pedagógica do Sesi Araraquara, Caroline Talge Arantes.

(Comunicação Social – Câmara Municipal de Araraquara)

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.