QUE MEUS OLHOS…

0
122
Foto: Internet

Texto: Wilson Silveira Luiz

Em 1977, durante alguns meses, senti a necessidade de escrever algum texto, abordando vários temas, principalmente o cotidiano. Destaco o texto do dia 3 de fevereiro de 1977.

Que meus olhos sempre enxerguem coisas boas,
Que o Mundo ofereça panoramas bonitos, alegres.
Que a família se mantenha unida,
Que o sorriso possa brotar dos lábios das crianças,
E que meus olhos possam ver,
O amor germinar,
As árvores crescerem,
As flores desabrocharem,
As aves, os animais, o amor, o mar, o rio, a paisagem,
A natureza indescritível,
A compreensão seja aparente, para que meus olhos possam possam vê-la
Que a humanidade consiga entender-se,
Que a Divina Providencia continue a inspirar Braz, Luzia e outros espíritos benfazejos para que meus os olhos possam ver sempre tudo o que o Mundo pode e deve oferecer de bom,
Que permita também, se possível, não enxergar a guerra, o ciúme, o ódio, a desavença, a tristeza, a doença, o descrédito, a infelicidade,
Que meus olhos contemplem apenas a felicidade.

Deixe uma resposta