Por que devemos controlar o peso?

0
127

Além da questão estética, o controle do peso em um plano alimentar individualizado é importante para manter o corpo saudável, evitar doenças metabólicas e inflamações.

Tudo em excesso faz mal. Essa não é nenhuma novidade, mas quando falamos em alimentação, a frase tem peso duplo. Daí, surge a necessidade de controlar o peso, afinal isso vai muito além da estética. “Sabemos que a obesidade é uma doença crônica caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, que geralmente é causa e consequência de outras doenças, que reduzem a expectativa e a qualidade de vida das pessoas portadoras. Define-se um indivíduo como obeso quando este apresenta índice de massa corporal (IMC) maior que 30, sendo que as principais causas para esse problema incluem uma alimentação desequilibrada, rica em alimentos hipercalóricos e o sedentarismo”, explica a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia(ABRAN). Mas controlar o peso não é importante apenas para portadores de obesidade. “O controle do peso, em um plano alimentar adequado e equilibrado, também ajuda a evitar doenças metabólicas, como diabetes e esteatose hepática, doenças cardiovasculares, osteoarticulares, renais, imunológicas e neoplásicas. Além disso, quando controlamos o peso, nos exercitamos e nos alimentamos bem, diminuímos a inflamação subclínica, causa de inúmeras alterações no organismo, desde cansaço, infertilidade, até perda de cabelo, inflamações na pele e doenças gástricas”, completa a médica.

De acordo com a médica, a obesidade pode ser considerada uma epidemia no Brasil, pois segundo os últimos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 61,7% da população brasileira com mais de 20 anos apresenta excesso de peso, sendo que, destes, 26,8% são portadores de obesidade, uma doença crônica que precisa de tratamento contínuo. Mas o caminho não é a restrição. “Entre os principais equívocos de quem inicia uma dieta para perda de peso estão: fazer dietas muito restritivas; seguir dietas da moda, sem saber se é indicada para o caso; fazer mudanças temporárias nos hábitos alimentares; desconhecer as reais condições de saúde, antes de iniciar a dieta; não alterar o estilo de vida obesogênico; e tentar emagrecer mais de 10% do peso corporal sem acompanhamento médico”, explica a nutróloga.

Para ela, o controle do peso, sempre que possível, deve vir acompanhado de uma mudança nos hábitos de vida, incluindo exercícios físicos, que ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue e, a longo prazo, são responsáveis por melhores chances de manutenção do peso, além de equilíbrio nas funções bioquímicas do organismo que preservam as estruturas do DNA celular e evitam o desenvolvimento de doenças.

A médica, no entanto, enfatiza algo que é de fundamental importância no controle e perda de peso: a qualidade do que se come. “Apesar de ser um dado importante, é absolutamente equivocado focar apenas nas calorias como fator de escolha para consumo alimentar. Muito mais relevante é conhecer a composição dos alimentos e suas funcionalidades. Você pode emagrecer comendo algodão doce ou fast food, o que é difícil, mas possível, se você controlar a porção e estiver em déficit calórico (comer menos do que se gasta). Mas não se trata, apenas, de diminuir o consumo calórico e sim, de fornecer também, o aporte nutrológico adequado ao organismo. Então, na alimentação é fundamental fazer boas escolhas, dentre elas os vegetais, legumes e folhas, ricos em vitaminas, minerais, antioxidantes, enfim, fitoquímicos importantes às funções celulares, além de inclusão de carboidratos complexos, ricos em fibras e uma adequada ingestão dos outros macronutrientes que são as proteínas magras e vegetais, não esquecendo das gorduras boas”, explica a médica. “Uma alimentação rica em antioxidantes é de grande ajuda para combater os radicais livres, moléculas relacionadas a uma série de alterações no organismo, desde envelhecimento precoce até câncer. Os antioxidantes são encontrados em frutas, temperos, ervas, folhas, vegetais e legumes”, diz a médica.

Segundo a médica, outra dica importante é priorizar o consumo de alimentos preferencialmente frescos, tomando o cuidado de equilibrar os grupos e ingredientes alimentares, sempre da forma mais variada possível. “Os hábitos alimentares adequados são essenciais para uma expectativa de vida longeva e com saúde. Porque as funções do organismo dependem de nutrientes que devem estar presentes na dieta, pois não podem ser sintetizados, ao mesmo tempo que o excesso de calorias pode trazer consequências negativas, portanto devem ser controladas. É fundamental procurar ajuda médica especializada para controlar o peso, passar a comer melhor e evitar doenças”, finaliza a médica.

FONTE: *DRA. MARCELLA GARCEZ: Médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da ABRAN. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo. Além disso, é membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e da Sociedade Brasileira para o Estudo do Envelhecimento. Instagram: @dra.marcellagarcez Boa tarde,
Segue abaixo sugestão de pauta: Por que devemos controlar o peso?
Além da questão estética, o controle do peso em um plano alimentar individualizado é importante para manter o corpo saudável, evitar doenças metabólicas e inflamações. (Holding Comunicações – e-mail: [email protected])

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.