O que falamos dos outros, diz muito de nós

Marilene Volpatti

Toda vez que criticamos alguém estamos dizendo algo sobre nós mesmos. Se fizermos as pazes com este lado negativo, a auto-estima vai lucrar.

Na época competitiva em que estamos vivendo, a crítica pode fazer diferença entre o sucesso e a derrota. É um trunfo que usamos a todo momento, seja para escolher uma mobília para casa ou para tomar uma decisão crucial em nossa vida. Nos ajuda a evitar erros e tornar a vida mais maneira. O lado negativo surge quando ultrapassamos os limites e a crítica vira uma mania e um jeito de viver.

Psicólogos acreditam que, na maioria das vezes, criticamos alguém numa tentativa equivocada de levantar a autoconfiança. Em outras palavras, ao falarmos sobre nosso colega de trabalho, estamos mostrando a nós mesmos que não temos os defeitos dele. Mas tem sempre aquelas pessoas que vão mais adiante. Destróem a tudo e a todos com sua língüa cruel e ferina. Por um certo período até conseguem uma certa popularidade, especialmente, se for uma pessoa bem humorada. Com o passar do tempo, porém, seu negativismo aborrece. Além do que pessoas hipercríticas, geralmente, são inacessíveis, delas só se conhece as opiniões e mais nada. Com isso acabam afastando os amigos e se isolando do mundo.

Pequenas mudanças no comportamento, evitam cairmos em armadilhas. Em primeiro lugar precisamos aceitar que, cada vez que julgamos alguém, estamos realmente falando sobre nós mesmos. Numa critica, uma pessoa diz que a outra está “errada” porque age de maneira diferente da sua. Nesse caso é sempre um problema mal-resolvido para quem está fazendo a acusação. Por exemplo: se for uma pessoa um tanto quanto desordeira, provavelmente é quem mais controla a bagunça dos outros. Quando passamos a entender que tudo o que vemos nos outros é uma imagem refletida de nós mesmos, estamos a meio caminho para acertarmos essa situação confusa que existe dentro de nós.

Conhecer melhor

Ver com bons olhos os talentos alheios, comparando-os com os nossos, é uma forma de descobrirmos nossa beleza interior. É um jogo legal. Toda vez que elogiamos alguém, temos a chance de reconhecer essa qualidade em nós mesmos.

Da mesma maneira, comentários negativos sinalizam pontos que gostaríamos de mudar. Quando alguém nos incomoda, está na realidade dando chance para nos autoconhecer. As pessoas que nos incomodam são nossos protetores. Sem elas não conheceríamos nossos pontos fracos que necessitam ser trabalhados.

Mudanças

Quando alguém nos irrita demais, provavelmente, é por um desses dois motivos: 1º) está fazendo algo que nós também fazemos, mas não gostamos de admitir. 2º) está mostrando uma qualidade que nós, em total segredo, adoraríamos possuir. Portanto, nos momentos da mais pura irritação, necessário se torna perguntar: “será que eu também faço assim?” ou “será que quero ser como o outro?”.

Importante é identificar o que estamos condenando. Isso vai ajudar a definir as fraquezas e inseguranças, mostrando o ponto onde estamos aptos a desenvolver nosso potencial e desabrocharmos com mais segurança.

Se conseguirmos perceber a origem de nossas avaliações, poderemos conquistar muitas coisas tanto no campo do trabalho como nos relacionamentos pessoais.

Pensamento

É importante tomar consciência das críticas enquanto estão sendo articuladas, isto é, no momento em que os primeiros pensamentos estão se formando na mente. Não é difícil separar o bom do mal, normalmente é incluída a palavra 'dever’. Por exemplo: “Fulano deveria fazer exercícios para emagrecer” ou “Eu deveria me inscrever numa academia”.

As invés de usarmos a palavra “deve”, podemos substitui-la por “pode” que, para os terapeutas, dá maior escolha.

É necessário termos coragem para encararmos nosso julgamento a respeito dos outros e admitirmos que temos um problema, e não eles.

A medida que formos desenvolvendo essa percepção para o pensamento negativo, veremos que esse exercício nada mais é que uma espécie de jogo. E podemos até nos divertir e dar boas risadas de nossas conclusões. É só uma questão de humor. E nossa autoconfiança irá agradecer, de imediato.

Serviço

Consultoria: Drª Tereza P. Mendes – Psicoterapeuta Corporal – Fone:- 236 9225.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

HANDEBOL MASCULINO GANHA

GINÁSTICA ARTÍSTICA CONQUISTA MEDALHAS

Aniversariantes

Casa SP Afro de Araraquara se prepara para receber o “ArraiAfro”

Receita da Vilacopos

CATEGORIAS