O que esperar após a rinoplastia? 5 modificações relacionadas ao nariz que ocorrem após o procedimento

0
89
Paolo Rubez

Cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez esclarece quais são as mudanças que o paciente pode esperar após a realização da cirurgia plástica que visa alterar a estética e funcionalidade do nariz.

Desconfortos relacionados ao nariz, sejam estéticos ou funcionais, estão entre os principais motivos que levam pacientes aos consultórios de cirurgia plástica. Não à toa, a rinoplastia figura como a segunda cirurgia plástica facial mais realizada no mundo, atrás apenas da blefaroplastia, segundo dados da International Society of Plastic Surgery. “De maneira geral, a rinoplastia é o procedimento que altera a estética e a funcionalidade do nariz através da manipulação de estruturas como cartilagem, osso e pele. Dessa maneira, é possível alterar o tamanho ou formato do nariz, mudar a largura das narinas, realinhar o ângulo entre o nariz e o lábio superior e até mesmo resolver problemas respiratórios”, explica o Dr. Paolo Rubez, cirurgião plástico, membro da BAPS (Brazilian Association of Plastic Surgeons) e da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS). Mas o resultado da rinoplastia e seu impacto na aparência e na rotina causam receio em muitas pessoas que desejam realizar o procedimento. Então, o que esperar após uma rinoplastia? O especialista explica abaixo:

Alterações no formato do nariz: Essa é, com toda certeza, a mudança mais esperada pelos pacientes que buscam a rinoplastia. Mas é importante destacar que essa modificação na forma nasal é muito individual, variando de paciente para paciente. “Enquanto algumas pessoas desejam diminuir o tamanho do nariz, outras querem estreitar a região ou então arrebitar a ponta nasal. Mas, para além do desejo pré-estabelecido do paciente, precisamos levar em consideração outros fatores, como a harmonia da face e as possibilidades e limitações cirúrgicas, para só então elaborar uma estratégia de alterações que permitam alcançar um resultado satisfatório”, diz o médico, que explica que não adianta esperar que seu nariz fique igual ao de uma amiga ou celebridade. “Não há como comparar o seu nariz com o de outra pessoa, pois a genética, as características de pele, as estruturas de cartilagem e osso são diferentes e impactam diretamente no resultado”, afirma o especialista.

Melhora da harmonia facial: O nariz possui grande influência na harmonia facial, logo, a rinoplastia pode tornar o rosto muito mais harmônico. Mas vale ressaltar que, antes da realização do procedimento, é fundamental que o médico realize uma avaliação detalhada da face como um todo, justamente porque o nariz pode alterar a maneira como percebemos outras estruturas da face. “Em alguns casos, é possível até mesmo que o cirurgião não recomende a rinoplastia como solução, mas sim outra cirurgia, como a mentoplastia (queixo) ou a perfiloplastia, que une as duas. Muitas vezes, não é o nariz o responsável pelo incômodo estético, mas sim o queixo, que pode aumentar ou diminuir o tamanho percebido do nariz. Nesses casos, o ideal não é a realização da rinoplastia, mas sim da mentoplastia, que visa tratar o desequilíbrio entre o tamanho do terço médio e do terço inferior da face através da manipulação das estruturas que compõem o queixo”, explica o cirurgião plástico. “Já quando a realização isolada dessas cirurgias não é suficiente para deixar o rosto mais harmônico, é recomendada a realização da perfiloplastia, que permite tratar queixo e nariz e corrigir a desproporção entre essas estruturas em apenas um único procedimento, ajudando assim a melhorar significativamente a harmonia facial”, acrescenta.

Rejuvenescimento: A rinoplastia não é um procedimento que a maioria das pessoas considera como ferramenta para o rejuvenescimento, mas pode fazer uma mulher parecer até três anos mais jovem, segundo estudos. “O nariz geralmente não é um foco de tratamento antienvelhecimento. No entanto, como outras características do corpo, o nariz humano, composto de tecidos moles, cartilagens e ossos, também envelhece. Com o envelhecimento, o nariz perde sustentação e pode assumir uma aparência mais proeminente ou caída. O nariz também é afetado quando outras características do rosto envelhecem, por exemplo, quando perdemos gordura e volume facial em nossas bochechas, o que faz com que o nariz se torne mais proeminente. Por isso, a rinoplastia tem esse efeito rejuvenescedor interessante”, diz o cirurgião plástico.

Mudanças respiratórias: O nariz possui um papel importante na respiração, então, além da estética, a rinoplastia também pode gerar mudanças funcionais nesse sentido e melhorar a saúde respiratória do paciente, solucionando problemas como o desvio de septo e a hipertrofia dos cornetos nasais, popularmente conhecida como carne esponjosa. “Mas é importante destacar que a rinoplastia, seja estética ou funcional, não causa prejuízo à respiração, ao contrário do que muitos pensam. Nos primeiros dias após o procedimento, é normal que o paciente sinta certa dificuldade para respirar, o que ocorre devido ao inchaço esperado das estruturas da região. Porém, conforme esse inchaço diminui no período pós-operatório, o paciente tende a respirar ainda melhor do que antes”, afirma o cirurgião plástico.

Surgimento de cicatrizes: Outra mudança esperada após uma rinoplastia, assim como qualquer outra cirurgia, é o surgimento de cicatrizes na região operada, cuja visibilidade dependerá da técnica utilizada para o procedimento. “A rinoplastia pode ser realizada por meio da metodologia aberta, na qual o cirurgião realiza incisões no tecido que divide as narinas, chamado de columela. Outra possibilidade é a rinoplastia fechada, em que as incisões são realizadas no interior do nariz e, consequentemente, deixa cicatrizes menos perceptíveis”, diz o Dr. Paolo Rubez, que ressalta que existe ainda uma técnica conhecida como rinoplastia preservadora, que, além de também ser feita por meio de cortes internos, busca preservar ao máximo as estruturas originais do nariz, como ligamentos e cartilagens, resultando em um menor processo cicatricial, com menos inchaço e uma recuperação mais rápida. “A escolha da técnica será realizada pelo cirurgião plástico de acordo com as características de cada paciente e a finalidade do procedimento”, finaliza o médico.

FONTE: DR. PAOLO RUBEZ – Cirurgião plástico formado pela UNIFESP, é membro da BAPS (Brazilian Association of Plastic Surgeons), da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da Sociedade de Cirurgia de Enxaqueca dos EUA. Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico tem 8 Observerships com o Dr. Bahman Guyuron em Cirurgias Plásticas Faciais, em Cleveland – EUA. É idealizador do Migraine Surgery Academy, que ensina e estimula cirurgiões plásticos de todo mundo a realizarem as cirurgias de enxaqueca a fim de beneficiar mais pacientes com o tratamento. Instagram: @drpaolorubez

(Holding Comunicações)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.