O Último Emprego

Reginaldo Galli (*)

Diante do estardalhaço que provocou, no Rio de Janeiro, o alistamento de cinqüenta mil candidatos à função de gari (trabalhador braçal da Limpeza Pública), nossa reportagem deslocou-se para lá, compareceu ao local e, mesmo com todas as dificuldades técnicas, empurrões e até ameaças por parte dos mais exaltados, pôde realizar este documentário sobre as dramáticas condições a que chegou o índice de desemprego no País. O concurso exigia a escolaridade mínima de primeiro grau completo, mas eram milhares os portadores de certificados de conclusão do segundo grau e de curso superior, todos interessadíssimos no salário mensal de algo além de R$ 600,00. Foi preciso pedir a presença da polícia para que as coisas não se complicassem ainda mais e pudesse ser iniciado o preenchimento das fichas. Na maioria, tratava-se de moças e senhoras, o que irritava os solteiros e até “os chefes de família”: — vai lavar a louça, dona Maria! Isto é serviço de macho!

Mesmo antes de findar a espinhosa tarefa do cadastramento, a Comissão Organizadora percebeu que seria impraticável elaborar e aplicar testes teóricos ou práticos em indivíduos de graus de instrução e faixas etárias tão distintos. Assim, deliberou começar pelos mais idosos e cultos. Alguém, esgüelando em um ensurdecedor megafone, anunciou, “urbi et orbe”:

— OS QUE CONCLUÍRAM MESTRADO E DOUTORADO SIGAM-ME. OS DEMAIS CHAMAREI DEPOIS.

Foi um deus-nos-acuda, um gol contra do Flamengo num Fla-Flu, um “nec plus, ultra” dos gladiadores sonhando torturar Nero. Gritos, protestos histéricos, xingamentos, desmaios, aconteceu de tudo naqueles quinze intermináveis macro-híper-máxi-minutos.

Fechadas as portas do auditório, ao qual tivemos acesso de gatinhas, solicitamos ao dono do trovão que nos permitisse instalar vários microfones nos centímetros onde isto ainda era possível. Consultados alguéns…demorou mas fomos atendidos.

Desculpem-nos os amáveis leitores se a degravação da fita produziu um texto entrecortado, lacunoso, sem nexo, reticente. Entretanto, garantimos a autenticidade e a perfeita exatidão do que pôde ser captado por nossos microfones, em meio a tão caótico burburinho. As frases encontram-se rigorosamente na ordem (se é possível chamar-se ordem a um carrossel tão surrealista) em que foram proferidas e registradas. Ei-las:

— Minha tese está quase pronta. Vou…..

— Ai, meu Deus, acho que esqueci a luz do banheiro acesa!

— Bonaparte estava certíssimo: em política há uma grande distância entre as promessas e…

— O mitório , onde fica ?

— Alguém …. minha dentadura?

— …………nas bachianas o Villa estraçalhou!

— Esse portuguesinho está desrespeitando Einstein. Vai longe: diz que a velocidade da luz, no vácuo, pode ultrapassar o limite de 300 mil quilômetro por seg……

— Eu sou favorável aos trangênicos. A pesqui….

— Minha última palestra foi sobre a contratura neuropática.

— O Palmeiras precisa de um centro-avante, não adian….

— Ninguém sai da vida vivo, meu caro.

— Com oitenta e seis anos, menina! Esse remédio é mágico! Só você vendo pra acreditar…Aliás, você não vai ver, ele é meu marido, quer dizer…

— Nem moela dá mais para engolir. É pura soja!

— Por acaso o senhor não sentou na minha dentad…?

— Se vão cortar onze por cento na pensão, preciso agarrar firme no batente.

— Discordo. O tempo que se perde não é tempo perdido.

— Quero ver o Tribunal revogar o direito adquirido e a irredutibilidade dos venci…

— Sempre ensinei aos meus alunos: o melhor profeta do futuro é o passado. Eles levavam na troça, eu sei. Viu o Bush? Quem di…..

—ATENÇÃO, PEÇO MUITA ATENÇÃO! A COLENDA COMISSÃO JULGADORA HOUVE POR BEM, DIANTE DO ALTO GRAU DE CONHECIMENTO DOS SENHORES E DAS SENHORAS, CANCELAR A PROVA ESCRITA.

— Oba!

— Será marmelada?

SILÊNCIO, POR FAVOR! SILÊNCIO! QUEM DECIDIRÁ A CLASSIFICAÇÃO SERA O TESTE DE COOPER. AGUARDEM UM MOMENTO.

— Não acrediiito! Se for sobre o Gary, eu sei tudo!

— Beau Geste foi bárbaro!

— Não, não, com a Bárbara foi Adorável Vagabundo.

— Dá licença ? A senhora não viu uma dentadura ?

— Tarde demais para esquecer…Que bele…

— Não, esse foi com Cary Grant. Você sabia que ele era gay, namorado do Randolph Scott?

— ATENÇÃO! DIRIJAM-SE À PISTA. A CLASSIFICAÇÃO SERÁ POR TEMPO, NUMA DISTÂNCIA DE TREZENTOS METROS. ALINHEM-SE COM CALMA. ISSO MESMO. TODOS PRONTOS? JÁ!!!

Alguns poucos correram devagar, alguns muitos andaram depressa e a última a chegar foi uma senhora apoiada em seu andador. Fomos entrevistá-la. Após tomar fôlego, indagou: “Por quem os sinos dobram” não foi com Gary e o Rock Hudson ? Que lindos rapazes!

— A senhora chegou em último lugar E se não obtiver o emprego?

— Filho, uma pessoa nunca é velha enquanto estiver buscando alguma coisa. Eles vão me chamar para serviço interno. Quando lerem a papelada e souberem que eu sou MBA, ou seja,” master in business and administration” por Harvard, de quem precisarão para organizar tudo isso direitinho ? Tchau, meu bem.

E, toda alegria: — Gaia, Adriana, Andrea, devagar, esperem por mim!

r.galli@uol.com.br

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Educação SP investe em tutoria contra defasagem no aprendizado de português e matemática

Santa Casa divulga balanço referente ao Programa Saúde Cidadã

Confira as feiras de artesãos e empreendedores do final de semana (28, 29 e 30 de junho)

Choro das Águas: banda Tapa na Pantera homenageia Raul Seixas neste domingo (30)

Serviço de oftalmologia da Santa Casa finaliza mutirão de exames de refração

CATEGORIAS