O extraordinário poder dos pensamentos

Marilene Volpatti

Nossa cabeça faz milagres. Portanto, todo cuidado é pouco, pois, os mais vagos pensamentos podem tornar-se realidade.

Descobertas da ciência, psicologia moderna, doutrinas de grandes religiões e do ocultismo ensinam que o pensamento é uma força viva, dotado de um grande poder criativo – e destrutivo – cujo alcance não se tem consciência do limite.

Todo ser pensante constrói para si mesmo uma espécie de concha de formas-pensamento, uma verdadeira vestimenta feita de energia mental. Assim, todos os pensamentos e sentimentos que emitimos reagem constantemente sobre nós mesmos. Nós os geramos, e os tiramos de dentro de nós; a partir daí eles se situam exteriormente e são capazes de reagir sobre nós e de nos influenciar, sem que tenhamos consciência da sua proximidade e do seu poder. Pairando à nossa volta, as forças que nós mesmos irradiamos nos parecem vir todas de fora. Mas, os pensamentos de hoje pode ser, em geral o é, apenas um reflexo do nosso próprio pensamento da véspera ou de dias anteriores. Pensamentos, portanto, são forças capazes de influir sobre tudo e todos, principalmente, em quem os emite.

Ciência

Como sempre acontece, grandes descobertas da ciência rapidamente passam a fazer parte do domínio público. O uso da força da mente, o controle do poder do pensamento é tema central de milhares de livros. Trata-se, em sua maioria, de conteúdos com teorias e técnicas originárias de muitas áreas. Embora a qualidade da maioria dessas obras possa ser discutida, o fato é que todas se apegam numa mesma crença: a idéia de que o pensamento é uma força poderosa capaz de influir sobre nossa vida, alterando radicalmente os seus rumos.

Bons pensamentos e atos jamais produzirão maus resultados. É fácil entender essa lei no mundo natural, mas, poucos são os que a entendem no plano mental e moral e, portanto, não cooperam com ela. As ciências ocultas, nas macros religiões, como na moderna psicologia, o sofrimento é quase sempre o efeito do pensamento errado em algum sentido.

Coordenar os pensamentos

Imaginamos que o pensamento pode ser mantido em segredo. Ledo engano. Ele se cristaliza rapidamente em hábitos, e estes se concretizam em circunstâncias. Pensamento de medo, dúvida e indecisão, por exemplo, redundam-se em hábitos fracos e irresolutos, os quais se concretizam em possibilidades de fracasso, indigência e servil dependência. Pensamentos de ódio, critica negativa e condenação cristalizam-se em hábitos de acusação e violência, os quais se concretizam em circunstâncias de injúria e perseguição. Mas pensamentos de coragem, autoconfiança e decisão firme cristalizam-se em hábitos enérgicos, os quais se concretizam em circunstâncias de êxito, abundância e liberdade. Pensamentos de amor e de altruísmo cristalizam-se em hábitos de disposição e espontânea para perdoar, os quais se concretizam em circunstâncias de segura e duradoura prosperidade e contentamento – a verdadeira riqueza do ser humano.

O corpo é o escravo da mente. Doença e saúde têm duas raízes no pensamento. Pensamentos doentios se expressarão através de um corpo doentio. Pensamentos de medo fazem adoecer e podem até matar. As pessoas que vivem sob o medo da doença, como os hipocondríacos, são as que mais adoecem. A angústia e a tensão levam todo o corpo a entrar num rápido processo de abatimento e deixam-no aberto às enfermidades. Pensamentos impuros e negativos – de ódio, ressentimento, inveja, desconfiança, cinismo, revolta e não aceitação da realidade – não tardarão a destruir o sistema nervoso. O corpo é um instrumento delicado e sensível que responde, prontamente, aos pensamentos que o impressionam.

Objetividade

Um outro aspecto fundamental da ciência do poder da mente diz respeito à necessidade de que o pensamento seja, não apenas positivo, mas, também claro e objetivo. É energia que não se deve jogar fora em atividades vazias, destituídas de sentido. Desenvolver esse tipo de autocontrole constitui uma base fundamental. Os métodos de meditação e de concentração, por exemplo, são, todos eles, técnicas criadas para ajudar o buscador de si mesmo na difícil tarefa que é o controle do próprio fluxo mental. A falta de objetividade nos pensamentos é, portanto, um vício que deve ser corrigido. Sem essa objetividade a função mental torna-se inútil, desperdício de energia e de tempo. Mas, quando o indivíduo consegue ser o senhor dos seus próprios pensamentos, já terá conseguido passos importantes no sentido da criação de si mesmo como ser plenamente consciente e realizado.

Para analisar: Maus pensamentos levam fatalmente à ruína. Os bons levam a um permanente desabrochar das melhores possibilidades. A escolha pertence a cada um de nós.

Serviço

Consultoria: Drª Tereza P. Mendes – Psicoterapeuta Corporal – Fone:- 236- 9225.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A força e união do agro

Os riscos e a falta de regulamentação do uso de dados genéticos de pacientes por operadoras de saúde

Por que temos de sofrer as consequências do pecado de Adão e Eva?

Governar com economia e sem aumentar impostos

Cidade: berço de soluções

CATEGORIAS