Moda praia: mercado promete reaquecimento no próximo verão

0
321
Foto: Livre e Leve/Divulgação

No primeiro verão pós-imunização, as expectativas são favoráveis para o setor de moda praia, que espera crescimento de 15% no número de vendas.

A pandemia do novo coronavírus trouxe, além da necessidade de isolamento social, uma crise econômica que afetou diversos setores da vida cotidiana, incluindo a moda. Com mais da metade da população brasileira totalmente imunizada e a proximidade da estação mais quente do ano, a expectativa do mercado, principalmente o de moda praia, é de reaquecimento nas vendas.

Depois de um longo período longe das praias e piscinas, os banhistas tendem a voltar a ocupar o litoral brasileiro. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção (Abit), o setor de moda praia tem 75 mil postos de trabalho em todo o país e, na próxima estação, a expectativa é de um faturamento de R$ 10,8 bilhões, superando os números registrados no ano anterior e chegando próximo ao índice dos períodos antes da pandemia.

A Abit espera para o próximo verão um aumento de 15% nas vendas de itens da moda praia em relação ao ano passado.

Sazonalidade faz diferença para o setor

As altas temperaturas e o clima seco característicos da estação fazem a diferença para o setor de moda praia. Em entrevista para o Jornal Hoje, o presidente da Abit, Fernando Pimentel, declarou que 90% do consumo das peças de moda praia ocorrem entre setembro e março, no período da primavera e do verão. Os produtos costumam ter mais saída entre o fim e o início do ano, justamente no período das férias e das festas de fim de ano.

Novidades para a próxima estação

Com as altas temperaturas, a flexibilização do comércio e a autorização da permanência nas praias e locais como clubes e piscinas, empreendedores do setor buscam trazer novidades a fim de atender as expectativas dos banhistas durante o verão. A criatividade deve aparecer nos próximos meses como a palavra-chave de negócios do segmento de moda praia, numa tentativa de aquecer ainda mais o número de vendas e reduzir os prejuízos financeiros provocados pela pandemia.

Os biquínis e maiôs devem apresentar as tendências das estampas geométricas, florais e de animal print, tendo também como característica as cores vibrantes nas criações. As modelagens podem aparecer mais luxuosas, com mangas e recortes, possibilitando a composição de looks que passeiam entre a moda praia e o dia a dia.

Além disso, o conforto também deve ser priorizado nas peças da próxima estação. No início de 2021, um relatório de tendências divulgado pelo Pinterest destacou a solidificação do conforto chique na moda, que deve estar presente também nas peças de banho. Após passar boa parte do tempo em casa, os consumidores têm optado por uma forma mais confortável de se vestirem, o que deve refletir nas peças do setor.

(Luiz Affonso Mehl – Analista de Link Building – www.expertamedia.com.br)

Foto: Livre e Leve/Divulgação

Deixe uma resposta