Mensagem da Seicho No Ie

Agradecendo e sorrindo sempre, desde as pequeninas coisas.

Quando as pessoas estão com boa saúde acham que isso é natural. Entretanto, quando adoecem compreendem como é gratificante ter boa saúde. Essas pessoas deveriam agradecer pela boa saúde enquanto a desfrutam, mas, infelizmente não é o que ocorre. E este é o problema.

Se dizemos que é preciso viver com sentimento de gratidão, geralmente as pessoas refutam: “Nada tenho para agradecer”. Entretanto, tal atitude é errônea. Quem sofre de deficiência visual tenta curá-la sem se importar com os gastos. Mas, quem tem boa visão reclama de outros problemas e reluta em desembolsar um Real que seja. Mantendo tal atitude, será impossível viver com sentimento de gratidão. Portanto, antes de mais nada, agradeçamos pela saúde dos nossos órgãos da visão, da audição, do olfato e da fala. Agradeçamos também pelas nossas mãos e pernas que se articulam perfeitamente. Se não partirmos desse sentimento de gratidão, nunca alcançaremos o mundo da alegria.

Quem tem marido deve agradecer pelo fato de ele existir; quem tem esposa deve agradecer profundamente pelo fato de ela estar a seu lado. Apelar desesperadamente para médicos e remédios quando o companheiro ou a companheira adoece e está à beira da morte, será tarde demais. Pedir auxílio a Deus somente em tal situação equivale a pedir o pagamento do salário sem ter trabalhado para merecê-lo. É uma atitude mental interesseira. Essa atitude mental não corresponde à vontade de Deus.

Cultivemos, pois, o hábito de descobrir na vida cotidiana as graças e bênçãos que nos são proporcionadas e viver sempre com gratidão. Isso constitui a verdadeira fé. Ter fé não consiste em fazer pedidos a Deus, mas, viver com sentimento de gratidão a Deus.

Quando passamos a viver com sentimento de gratidão a Deus, alcançamos o estado de permanente graça em que Deus nos concede tudo, antes mesmo que peçamos”. Isso é comparável ao fato de que uma mãe, ciente do horário da mamada, oferece o sagrado alimento ao bebê mesmo que ele não chore.

Será que Deus é um ser menos sensível que as mães deste mundo? Em absoluto. Ele deseja que vivamos sorridentes e felizes, sem sofrimentos ou problemas, tal como as mães que se alegram ao verem seus bebês saudáveis e sorridentes. Portanto, vivamos sempre com sentimento de gratidão e alegria.

Prof. Seicho Taniguchi – Supremo Presidente da Seicho-No-Ie

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Hepatites virais: Brasil tem mais de 750 mil casos confirmados

Casa Paulista tem 2.485 cartas de crédito disponíveis na Região Administrativa de Ribeirão Preto

EL realiza inscrições de curso sobre Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade

Sesi Araraquara joga pelo bicampeonato da Liga de Basquete Feminino

Handebol feminino conquista 7º lugar no Brasileiro

CATEGORIAS