Membros do COMPPHARA tomam posse em cerimônia na Prefeitura

0
68
Foto: Tetê Viviani - Walter Logatti Filho e integrantes do Compphara são empossados pelo prefeito Edinho.

Órgão tem como objetivo a adoção de medidas para a defesa do patrimônio histórico, artístico e cultural de Araraquara

A sala de reuniões da Prefeitura de Araraquara recebeu na sexta-feira (29) a solenidade de posse do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Paleontológico, Etnográfico, Arquivístico, Bibliográfico, Artístico, Paisagístico, Cultural e Ambiental do Município de Araraquara (COMPPHARA), que visa a participação da sociedade organizada no processo de planejamento, gestão e aperfeiçoamento desse serviço. Em virtude da pandemia da Covid-19, a atividade contou com público reduzido e seguiu todos os protocolos de segurança preconizados pelo Comitê de Contingência do Coronavírus. A população pôde acompanhar ao vivo em transmissão na página da Prefeitura no Facebook, onde o vídeo se encontra disponível para visualização.
Em seu discurso, o prefeito Edinho valorizou a função do conselho na busca pela preservação da memória da cidade. “Nós temos que preservar nosso patrimônio para que as futuras gerações conheçam a história de Araraquara por meio de seu acervo material e imaterial, e não apenas por meio dos livros de história. E o grande desafio desse conselho é preservar o patrimônio”, disse o prefeito. “O conceito de sustentabilidade não é simples. Nós temos que fazer a cidade crescer, ter uma economia forte, gerar riqueza para o nosso povo, principalmente para aqueles que não têm acesso à riqueza, mas sem destruir a natureza e preservando o nosso patrimônio histórico. É uma equação que exige de nós muito esforço e muito empenho”, acrescentou Edinho.
A vereadora Fabi Virgílio, que representou a Câmara Municipal na solenidade, mencionou que a preocupação em torno da preservação cultural da cidade é uma unanimidade entre os representantes do Legislativo Municipal. “Quero falar em nome dos 18 vereadores que lá estão. Nós temos muita divergência política dentro da casa, mas se tem algo que está ressoando uníssono é a questão da cultura, do amor por Araraquara e o compromisso que todos nós temos pelo patrimônio”, revelou.
A secretária municipal de Cultura, Teresa Telarolli, enalteceu o sentimento que cada membro do conselho reúne para assumir a missão. “O conselho é um espaço de interlocução e sobretudo um espaço de paixão, porque somos todos voluntários aqui e isso faz toda a diferença. Sobretudo na área de acervos, patrimônios, preservação e memória, há evidentemente várias áreas técnicas, e para isso temos as zeladorias, mas é um vasto espaço que é um exercício de paixão. É isso que nos move”, justificou.
A secretária de Direitos Humanos e Participação Popular, Amanda Vizoná, falou sobre a relevância de dar voz à população na tomada de decisões que envolvem a preservação do patrimônio cultural araraquarense. “A participação popular precisa fiscalizar e também construir junto com a gente as políticas públicas. Os conselhos do governo Edinho de fato têm voz, são respeitados e trazem uma diversidade porque isso também é importante. Que a partir de agora vocês possam, a partir da diversidade que vocês têm, construir um objetivo comum, chegar a consensos, para que possam melhor executar esse trabalho junto ao governo”, comentou.
Para o coordenador de Participação Popular, Anderson Morphy, o COMPPHARA tem uma grande missão pela frente. “Hoje damos início a uma nova jornada desse conselho. Araraquara é uma cidade tão bela, tão cheia de história, cheia de patrimônio, e esse conselho tem uma tarefa gigantesca, que é dar continuidade a essa história e ampliar, descobrir mais coisas, levar mais conhecimento e ajudar a preservar esse patrimônio”, explanou.
O atual presidente do COMPHARA, Joel Venceslau, lembrou da atuação do conselho durante o período da pandemia da Covid-19. “É importante registrar a importância do conselho com o cuidado do patrimônio cultural da cidade de Araraquara, que é uma cidade que tem uma grande diversidade cultural e o conselho contribui com essa identidade cultural. Por isso o conselho é fundamental. Apesar da pandemia que passamos, o conselho teve uma atuação bacana, teve uma produção e deu respostas a quem chegou até nós e isso aconteceu graças aos conselheiros que contribuíram com cada ação. Nesse novo período que se inicia, espero que possamos contribuir de maneira igual ou até superior ao que fizemos até agora”, completou.
Também marcaram presença na cerimônia a secretária de Desenvolvimento Urbano, Sálua Kairus Poleto; o secretário de Obras e Serviços Públicos, Sérgio José Pelícolla; o secretário de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, Coronel João Alberto Nogueira Junior; o superintendente do DAAE, Donizete Simioni; o presidente da Controladoria de Transporte de Araraquara. Nilson Carneiro; e o coordenador de Acervos e Patrimônio Histórico, Weber Fonseca.

O CONSELHO
O COMPPHARA foi criado pela Lei Municipal nº 6.055, de 10 de outubro de 2003, e reformulado pela Lei Municipal nº 8.932, de 30 de março de 2017. É um órgão colegiado, consultivo, de assessoria e deliberativo, diretamente vinculado à Secretaria Municipal de Cultura, que tem como objetivo a adoção de medidas para a defesa do patrimônio histórico, artístico e cultural do Município, cuja conservação se imponha em razão de fatos históricos, de seu valor folclórico, artístico, documental ou cultural, bem como dos recantos paisagísticos que mereçam ser preservados.
O conselho é composto por 38 membros titulares e seus suplentes, representantes de órgãos públicos municipais da administração direta e indireta, bem como de entidades e instituições da sociedade civil. O mandato dos integrantes é de dois anos e eles não recebem remuneração. (Secretaria de Comunicação – Prefeitura de Araraquara)

Deixe uma resposta