Homenagem

0
22

Araraquara está mais silenciosa. A voz que se cala era a voz de quem acreditava nos seus ideais e lutava bravamente por eles. Perdeu também um pouco de suas raízes de um filho que espalhava para todos os cantos seu orgulho de ter tido um Pai, cujo sustento tirou a vida inteira da Estrada de Ferro e que nesta trajetória enfrentou a revolução de 1964 manifestando suas opiniões e coragem sob os trilhos. Mais ainda, Polezze tinha também sua religiosidade e sua crença de dias melhores para todos, não perdendo nunca a oportunidade de chamar um amigo de “Meu Irmãozinho” seus ideais eram carinhosas teimosia, primeiro na rádio, depois no jornal impresso e televisão, veículos que usava para propagar o bem e alavancar fatos, pessoas e histórias. Pena, pena mesmo, pena que a voz de quem tanto defendia os outros ficou silente para si próprio. Deus permita para ele o descanso eterno de um guerreiro do bem.

Benedito Salvador Carlos, o “Benê”

Deixe uma resposta