Híbrido Etanol: Sistema pode tornar Brasil protagonista no combustível sustentável

0
273

Nova fonte de energia limpa para automóveis será discutido em evento marcado para o dia 6 de outubro em Araraquara

Araraquara se prepara para sediar o evento “Híbrido Etanol: O Motor do Futuro – Uma agenda de desenvolvimento, emprego e sustentabilidade”, que será realizado no dia 6 de outubro, às 9 horas, com transmissão ao vivo pelo site www.motordofuturo.com.br. O encontro será voltado para as discussões em torno de uma nova fonte de energia limpa para automóveis, que pode colocar o Brasil na liderança da tecnologia sustentável de mobilidade.

A afirmação é de um dos organizadores do evento, o Dr. Rodrigo Fernando Costa Marques, do Instituto de Química da UNESP/Araraquara, que falou sobre a importância de tratar desse assunto neste momento pelo qual passa a indústria automotiva mundial. “O tema que será discutido nesse evento coloca o etanol brasileiro no protagonismo de energia realmente limpa e sustentável para um futuro não muito distante. Nós já sabemos que a tendência da indústria automobilística é migrar desses motores à combustão, que tem alguns problemas com relação à emissão e poluição, para um sistema de mobilidade que não produza nenhum dano colateral ao meio ambiente. Então surgem as tecnologias dos carros híbridos e, em um futuro muito próximo, o carro elétrico a etanol. O Brasil sempre foi acostumado a importar essas tecnologias de mobilidade, porém agora temos como ser os protagonistas no desenvolvimento de tecnologias limpas”, avalia.
Rodrigo, que também vai compor um dos painéis do encontro, possui graduação em Química pela UNESP (1995). É mestre em Físico-Química (Instituto de Química-UNESP), doutor em Físico-Química pela Universidade de York (Inglaterra) e Instituto de Química (UNESP), com pós-doutorado em Química Inorgânica pelo Centre d’Elaboration de Matériaux et d’Etudes Structurales, CEMES (França). Atualmente é coordenador do Centro de Monitoramento e Pesquisa da Qualidade de Combustíveis, Biocombustíveis, Petróleo e Derivados (CEMPEQC/IQ-UNESP).
Ele faz um comparativo do sistema que será discutido em Araraquara com o modelo utilizado na Europa. “Nós sabemos, por exemplo, que o etanol brasileiro pode ser utilizado, não para queima, mas para a produção de hidrogênio, que usado em uma célula a combustível gera eletricidade ao reagir com oxigênio, produzindo água. O carro movido à eletricidade baseado em células sólidas de combustível é o carro que mais tem a cara do Brasil e de fato é uma tecnologia limpa. Se compararmos com o modelo de carro elétrico que está sendo adotado pela Europa, aquele ‘plug & go’, que carrega e vai embora, é difícil você conceber esse tipo de mobilidade urbana e rodoviária no Brasil. Com as dimensões urbanas e territoriais que nós temos, como é que se imagina uma viagem com um carro como esse daqui de Araraquara até o Amazonas? Imagine a infraestrutura que deve ser implantada nesse caminho para ter tomadas e o abastecimento desses carros. Dentro desse conceito, o carro elétrico a etanol, movido a células de combustível, seria o ideal, não só para o Brasil como para qualquer parte do planeta. Então o Brasil tem a chance, nessa mudança de paradigma da mobilidade urbana, de exercer um protagonismo com base no etanol”, articula.

DIVISÃO EM PAINÉIS
O evento foi dividido em três painéis, que abordarão assuntos, previsões e propostas relativas ao tema. O Painel 1 apresenta a proposta “Carro híbrido a etanol (desafios e oportunidades da academia ao mercado)”, enquanto o Painel 2 leva o tema “Carro híbrido: Um conceito sustentável – Carro elétrico é mesmo sustentável?” e o Painel 3 tem o assunto “O novo ciclo do etanol: Qual o caminho para o etanol se consolidar como principal fonte sustentável de energia para o futuro?”.
O Dr. Rodrigo Fernando Costa Marques explica o conceito dessa divisão. “Temos um painel falando sobre essas novas tecnologias, qual é a maturidade delas, se elas já estão na indústria, se elas estão quase na indústria, se estão mais na academia, quais os desafios para transpor essa tecnologia e para isso chegar de fato ao mercado. Depois temos um painel que vai tratar do ponto de vista da sustentabilidade, esse carro elétrico do futuro, esse híbrido a etanol, quão sustentável ele é, para mostrar a importância de se colocar o etanol brasileiro no protagonismo dessa corrida por combustíveis mais sustentáveis e limpos de fato. E o último painel, que encerra o evento, terá a participação da UNICA, que é a união das indústrias sucroalcooleiras que envolve as principais unidades produtoras de etanol do estado de São Paulo, mostrando que o etanol tem um novo ciclo de expansão pela frente, com uma aplicação que não seja para queimar, mas para gerar energia mais limpa de outras formas”, acrescenta.

OS CONVIDADOS
A mediação do Painel 1 será de Wagner Firmino de Santana (presidente Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT-SP – FEM-CUT/SP) e os convidados são Pablo Di Si (presidente e CEO da Volkswagen Região SAM – América do Sul, América Central e Caribe), Dr. Alessandro Pansanato Rizzato (diretor do IPT Open Experience no Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT) e Dr. Fabio Coral Fonseca (tecnologista sênior do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares-IPEN).
O Dr. Rodrigo fará a mediação do Painel 2, que contará com os palestrantes: Rafael Chang (presidente da Toyota do Brasil), Dr. Pedro Teixeira Lacava (do Instituto Tecnológico de Aeronáutica-ITA, Divisão de Engenharia Aeronáutica e Aeroespacial – Departamento de Propulsão) e Wellington Messias Damasceno (diretor administrativo da Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT-SP – FEM-CUT/SP).
Já o Painel 3 terá mediação de Erick Pereira da Silva (diretor Executivo da Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP – FEM-CUT/SP), e os convidados são o Dr. Eduardo Leão de Sousa (diretor executivo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar – UNICA), a Dra. Laís Forti Thomaz (da Universidade Federal de Goiás-UFG, Faculdade de Ciências Sociais) e Edinho Silva (prefeito de Araraquara, graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista-UNESP de Araraquara e mestre em Engenharia de Produção na Universidade Federal de São Carlos-UFSCar).
“Os participantes são altamente gabaritados, com competência e com histórico de conhecimento muito profundo nos temas, tanto os selecionados da área da academia quanto os convidados das indústrias e também o pessoal dos sindicatos que estão envolvidos. São pessoas que têm uma contribuição muito boa e que com certeza vão abrilhantar as discussões do evento. Lembrando que teremos os presidentes da Volks e da Toyota, que são dois players e líderes mundiais da tecnologia sustentável com carros híbridos e elétricos, e também a participação da academia, com pesquisadores das principais universidades públicas brasileiras, que desenvolvem pesquisas já avançadas e muito próximas de se transformarem em produtos e inovação tecnológica. Então será um diálogo muito interessante sobre o que está na academia, o que está na ponta da empresa e daqueles trabalhadores que movimentam essa roda. Então a perspectiva nossa para o evento é muito boa”, finaliza Rodrigo.

O SISTEMA
O Brasil é visto como exemplo na utilização de combustível limpo por conta do seu etanol de cana-de-açúcar, que é considerado o combustível alternativo mais bem sucedido até o momento. Entretanto, a indústria automobilística global passa atualmente por uma de suas maiores reinvenções e caminha para um futuro dominado pelo carro elétrico. A novidade, que norteará o encontro, é o desenvolvimento de veículos híbridos elétricos com propulsor a combustão flex ou movido exclusivamente a etanol.
A ideia envolve um sistema que transforma o etanol em hidrogênio para alimentar a bateria elétrica. Assim, esses veículos não teriam a necessidade de serem carregados na tomada e teriam a vantagem de ter uma pegada de carbono menor do que a dos veículos somente elétricos, desde a fabricação até o descarte, o que seria de extrema relevância no atual momento em que a preocupação com o meio ambiente é uma das prioridades exigidas pelo mercado.
A organização do encontro será da Prefeitura de Araraquara e a realização, além da própria Prefeitura, conta também com o CEAR, a Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT-SP (FEM-CUT/SP) e o Instituto de Química da Unesp Araraquara (CEMPEQC). O evento conta com o apoio da EPTV, A Cidade On Araraquara, G1, CBN Araraquara, Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Consórcio de Municípios da Região Central do Estado de São Paulo, Volkswagen, Toyota e UNICA. Por conta da pandemia da Covid-19, a atividade contará com público reduzido e será transmitida ao vivo pelo Grupo EP, por meio do site motordofuturo.com.br, com compartilhamento nas redes sociais da Prefeitura de Araraquara. (Secretaria de Comunicação – Prefeitura de Araraquara)

Deixe uma resposta