Governo de São Paulo investe mais de R$ 83 milhões para combater incêndios florestais

0
127

Fase Vermelha da Operação Corta-Fogo inicia em junho, durante período de estiagem; municípios receberam 150 caminhões-pipa e Unidades de Conservação realizaram investimentos em prevenção

O Governo de São Paulo, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, anuncia uma série de medidas realizadas no estado para prevenir e combater os incêndios florestais, especialmente em áreas de proteção ambiental. A Operação Corta-Fogo vigora o ano inteiro, mas é intensificada durante o período mais seco do ano, que vai de junho a outubro.

Para auxiliar os municípios, o Governo de SP investiu R$75 milhões, na compra de 150 caminhões-pipa que estão sendo entregues às Prefeituras para auxiliar os trabalhos de contenção do fogo. Também foi realizado um pregão para aviões do modelo Asa-fixa que estarão disponíveis nas regiões de Araçatuba, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, caso necessário.

Já as Unidades de Conservação estaduais receberam aporte de R$8 milhões provenientes da Câmara de Compensação Ambiental que foram destinados à compra de equipamentos como caminhonetes e quadriciclos, equipamentos de proteção individual, além da manutenção de aceiros, trilhas e estradas utilizadas para acesso aos parques e atendimento de ocorrências.
Está prevista ainda a contratação de mais de cem bombeiros-civis, no período de seis meses, que irão atuar nos Parques Estaduais de Campos do Jordão, Juquery, Morro do Diabo, e também nas Estações Ecológicas de Itirapina, Mogi-Guaçu, Jataí Bauru e Ribeirão Preto. O programa conta ainda com treinamentos para brigadistas florestais, guardas municipais, funcionários de usinas, além de moradores do entorno.

Queima prescrita

Neste ano, o estado de São Paulo iniciou o projeto piloto de queima prescrita em área protegida na cidade de Luiz Antônio. A ação consiste em utilizar o fogo em pequenos trechos, sob supervisão das equipes técnicas, para que as chamas consumam a biomassa na superfície, sem impactar nas raízes das plantas. O objetivo é reduzir o material combustível e, consequentemente, evitar a propagação de labaredas durante os incêndios. O teste, realizado no último mês, contou com autorização da Agência Ambiental. Para realizar o piloto, equipes da operação paulista vêm realizando a troca de experiências com o Serviço Florestal Americano, que já realiza a prática no território.

Comunicação com a comunidade

Para alertar a população sobre medidas preventivas que devem ser adotadas, o Governo também intensifica a campanha de comunicação contra incêndios em áreas com grande circulação de pessoas, como postos de gasolina, terminais de trem e ônibus, rodovias, entre outros locais, além das mídias.

As equipes da operação também realizam reuniões com instituições parceiras como concessionárias de energia elétrica, associações do setor produtivo, Prefeituras a fim de capacitar e conscientizar acerca do tema.

A Defesa Civil emite ainda alertas nos celulares cadastrados sobre as condições climáticas, especialmente em razão da baixa umidade do ar, para que sejam adotadas as medidas preventivas.

Vale lembrar que a população pode ajudar ao não queimar lixo, não descartar bitucas de cigarro em rodovias e não soltando balão, o que também configura crime ambiental.

Fases da Corta-Fogo

Fase verde (janeiro a março, novembro e dezembro): essa fase é dividida em duas etapas. A primeira delas, de janeiro a março, é dedicada a atividades de planejamento e início das medidas de prevenção e preparação. No final do ano, é realizada uma avaliação da temporada de incêndios e são iniciados os preparativos para o ano seguinte.

Fase amarela (abril e maio): a fase amarela requer foco nas ações preventivas e de preparação para enfrentar os incêndios florestais. Nessa fase, as atividades de treinamento, capacitação, elaboração e revisão de planos preventivos e de contingência ganham prioridade.

Fase vermelha (de junho a outubro): nessa fase, as ações de combate ao fogo e de fiscalização repressiva são priorizadas e as estratégias de comunicação e campanhas preventivas ganham reforço.

Para mais informações sobre o programa, acesse:
https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/cortafogo/

Participam da operação

A Operação Corta-Fogo conta com o apoio de diversos órgãos estaduais como a Coordenadoria Estadual de Proteção Defesa Civil (CEPDEC), o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar Ambiental, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e a Fundação Florestal (FF). A coordenação do sistema é realizada pela Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, por intermédio da Coordenadoria de Fiscalização e Biodiversidade (CFB).  A articulação entre essas instituições ocorre por meio do Comitê Executivo, que tem como objetivo delinear ações integradas e complementares.

(Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente – e-mail: imprensasima@ssrh.sp.gov.br)

Deixe uma resposta