Fevereiro Roxo: campanha alerta sobre o diagnóstico precoce e promove a conscientização sobre o lúpus 

0
103
Dra. Heloisa Loebmann

Tratamento da doença possibilita melhora na qualidade de vida dos pacientes

O Fevereiro Roxo é uma campanha criada com o intuito de dar visibilidade e aumentar o nível de informação da população sobre três doenças: Alzheimer, fibromialgia e lúpus. No caso do Lúpus Eritematoso Sistêmico – LES ou apenas lúpus, dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) estimam que a doença afeta 65 mil pessoas no Brasil. Apesar de crônica e incurável, a condição é passível de tratamento, que se torna ainda mais assertivo quando o diagnóstico é realizado de maneira precoce.

O lúpus é uma doença inflamatória crônica, de origem autoimune, o que significa que o próprio sistema imunológico passa a atacar células e tecidos saudáveis, provocando inflamações. São reconhecidos dois tipos principais, sendo um deles o cutâneo, que se manifesta apenas com manchas na pele, e o sistêmico, no qual um ou mais órgãos internos são acometidos.

Sintomas e identificação da doença

De acordo com a reumatologista do Hospital Evangélico de Sorocaba (HES), dra. Heloisa Loebmann, o lúpus é uma doença com várias manifestações diferentes. “Cada paciente apresentará um tipo de sintoma, não necessariamente igual ao de outros pacientes que também tenham lúpus”, esclarece ela.

Esses sintomas, inclusive, podem surgir em diversos órgãos de forma lenta e progressiva, ou rapidamente, sendo variáveis de acordo com fases de atividade e remissão. “Os sintomas são bastante diversos, passando de lesões que pioram com exposição solar, a machucados dentro da boca, nariz e ouvidos. Também pode causar inflamação nas articulações e, mais raramente, nos rins, pulmões, corações e até no cérebro e nervos periféricos”, explica a reumatologista.

Algumas alterações nos exames de sangue e urina são muito características de um quadro de lúpus, sendo habitualmente utilizados para o fechamento do diagnóstico. Fora isso, outros fatores são observados e podem indicar a presença da doença. Os mais comuns são as lesões na pele, mas também há outros, como dor e inchaço nas articulações, perda de peso, queda de cabelo acentuada, úlceras orais, fadiga, entre outros. “O diagnóstico é feito com base nos sintomas que a pessoa apresenta, somados à presença de alterações em exames laboratoriais”, afirma a médica.

Tratamento promove qualidade de vida aos pacientes

Embora seja uma doença sem cura, os tratamentos atuais possibilitam uma melhora na qualidade de vida dos pacientes, através do controle dos sintomas. Esse processo é individualizado e depende do tipo de manifestação apresentada pela pessoa acometida. O tratamento inclui remédios para regular as alterações imunológicas do LES – corticóides, antimaláricos e imunossupressores – além de medicamentos gerais para controlar alterações decorrentes da inflamação causada pelo lúpus, como hipertensão, febre, dor, entre outros.

Em casos mais graves, o tratamento pode ser por via oral ou por meio da medicação infusional – administração de substâncias, como medicamentos e suplementos, através de acesso endovenoso. “Geralmente, essa terapia pode ter frequência semanal, mensal ou até semestral, dependendo do quadro do paciente”, enfatiza dra. Heloisa.

Para finalizar, a médica do HES comentou que ainda existem alguns mitos relacionados ao lúpus, principalmente sobre o diagnóstico equivocado feito apenas pela solicitação de um exame chamado FAN (Fator Antinuclear). Essencial no diagnóstico de doenças autoimunes, ele ajuda a identificar condições que afetam o sistema imunológico do paciente. “Na realidade, esse é apenas um dos 18 exames a serem solicitados na suspeita do lúpus. Outro mito é a impossibilidade de gestação nas  mulheres que tenham a doença autoimune, o que  também não é verdade”, finaliza ela.

Sobre o Hospital Evangélico de Sorocaba

O Hospital Evangélico de Sorocaba tem 88 anos de história, tradição e credibilidade e conta com Pronto Atendimento Adulto ágil em várias áreas, inclusive ortopedia e oncologia. Possui ambulatório médico em diversas especialidades, centros cirúrgicos e unidade de terapia intensiva (UTI). Com o Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), o Hospital Evangélico compõe o hub de serviços em saúde da Hospital Care para Sorocaba e região.

(OS2 Comunicação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.