Educação esclarece custos com palestras “Diálogos com Paulo Freire”

0
30

O vereador Marchese da Rádio (Patriota) solicitou os gastos do município com as palestras

O vereador Marchese da Rádio (Patriota) protocolou o Requerimento n°1082/2021 pedindo informações à Prefeitura sobre o valor gasto com palestrantes que participaram do ciclo de palestras “Diálogos com Paulo Freire”.

Marchese afirmou que é importante a discussão para a educação, uma vez que Freire é uma referência no país, respeitado por sua atuação humana, democrática e plural, sendo considerado o “patrono da educação brasileira”, e que a programação incluiu a participação de grandes profissionais, como o professor e filósofo Mario Sergio Cortella.

O parlamentar também alegou que o município e os setores tiveram a situação financeira agravada devido à crise pandêmica, e por isso pediu informações ao Executivo sobre o custo para a contratação de cada palestrante, e o valor total para este ciclo de palestras. O vereador também questionou se o custo das atividades foi financiado com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), ou se Araraquara foi contemplada com o rateio dele.

Em resposta, a secretária Municipal da Educação, Clélia Mara dos Santos, alegou que as palestras promovidas no município tiveram um custo total de R$ 550,00 e foram pagos com recursos da pasta. Clélia também afirmou que o único palestrante a cobrar pela palestra foi a professora Maria Clara di Pierro (USP). Já os outros seis palestrantes aceitaram participar do evento pelo “bem público” ou em “benefício do público”, não gerando custos aos cofres públicos.

De acordo com Clélia, o professor Cortella, especificamente, “convidado em evidência por se tratar de um intelectual bastante conhecido por sua constante presença nas mídias televisivas, assim como pela sua atuação como consultor, proferindo palestras onde aplica os conhecimentos filosóficos à vida prática, embora desfrutando de significativa popularidade e, portanto, suas palestras custem valores consideráveis, declinou do recebimento de qualquer honorário, em reverência à memória de seu mestre, uma vez que possui uma forte ligação com Freire e deferência a Araraquara”. A secretária acrescentou que “o palestrante conviveu 18 anos com o Paulo Freire, tendo sido seu aluno no curso de graduação, seu orientando no curso de doutorado, chefe de gabinete durante a gestão de Paulo Freire quando Secretário Municipal da Educação da cidade de São Paulo (1989 a 1991) e seu sucessor na pasta em 1991”. (Comunicação Social – Câmara Municipal de Araraquara)

Deixe uma resposta