(Editorial) Momento de retirar as máscaras?

0
207
Foto: Internet

No último dia 17, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), comentou a respeito da flexibilização do uso de máscaras no Estado de São Paulo. Impõe-se perguntar: chegou mesmo o momento de diminuir o uso da máscara? Ou seria apressado fazê-lo?
A Europa tem atingido níveis recordes de infectados em muitos países. Isso acontece por algumas razões. Por conta do frio, a população passa mais tempo em espaços fechados. Ainda, houve a dispensa de uso de máscaras e distanciamento. Existe queda da proteção pelas vacinas após alguns meses. Por fim, e talvez mais grave, o índice de vacinação estacionou em vários países, barrada por parte da população contra vacinas.
O Brasil, com quase 60% de sua população vacinada com a 2ª dose (ou dose única), mostra que seus números seguem bons, progressivamente, diminuindo número de mortes. A variante Delta não se mostrou tão perigosa no nosso país, possivelmente, porque nossa Gama era mais letal.
Portugal traz experiência a ser considerada: tem o mais elevado nível de vacinação do mundo (como no Brasil, os portugueses são favoráveis à vacinação, em sua maciça maioria), mas, com piora de números, deve voltar com as máscaras mesmo em locais abertos. Israel, também, foi exemplo de vacinação ampla e liberação de restrições. Hoje, está em plena campanha de dose de reforço com restrições (como máscaras) impostas novamente.
Verdade que o Brasil tem uma peculiaridade em relação ao resto do mundo: começou a dose de reforço (inclusive, a todos acima de 18 anos, como divulgado ao longo da semana) antes de ver os números piorarem. Ou seja, poderia afastar a queda de proteção pelas vacinas, sentida em outros países? O que isso vai impactar nas próximas semanas ou meses?
Difícil antever. De qualquer maneira, as dificuldades mundiais sinalizam que o uso de máscara – principalmente em locais fechados – tornar-se-á corriqueiro. Talvez tenha vindo para ficar mesmo. Então, não seria mais prudente insistir nesta barreira sanitária ao invés de levantar a restrição nas próximas semanas? A conferir.

Deixe uma resposta