(Editorial) Cansaço

0
327
Posto abandonado (e sem qualquer fiscalização da Prefeitura), na avenida Dr. Leite de Moraes com rua Barão do Rio Branco, na Vila Xavier. Criadouro de dengue que chama, né? Estamos sendo irônicos, claro.

Vamos falar de nossa casa (Araraquara e região), pois não vamos salvar o mundo. Quem sabe, melhorar algo. As redes sociais servem como voz daqueles que não encontravam espaço para se manifestar e colocar suas reivindicações ou indignações.

Há exageros? Sim e não. É que a maioria dos casos é de desabafos.

As grandes reclamações em Araraquara são de várias ordens: bens públicos abandonados; ruas esburacadas e cheias de mato; atendimentos insuficiente nas UPAs; escolas com obras atrasadas (ou degradadas); funcionários municipais descontentes com salários defasados; epidemia de dengue, mais uma vez; legisladores que não se manifestam a favor da população; casos de moradores de rua que ameaçam pessoas; Santa Casa solta nota de esclarecimento dizendo dos repasses que não são feitos pelo município; falta zeladoria na cidade…

Em todos os itens referidos, que são tidos como reclamações e com indignação nas redes sociais (e imprensa em geral), quem poderia ajudar? Poder Legislativo e Ministério Público, pelo menos.

Será que ainda alcançaremos um bom termo, com cada Poder desempenhando seu papel em favor da população que clama por esclarecimentos e melhorias? Sem politizar toda a administração? Será?

Vejam que os temas acabam se relacionando. A cidade está suja? Com abandono de lugares públicos e particulares? Pronto: temos a receita perfeita para proliferação do mosquito da dengue. Consequência: mais doentes e uma nova epidemia. E, de novo, colocamos nosso sistema de saúde no limite.

Enfim, não vamos salvar o mundo, mas, com união e responsabilidade, podemos melhorar nossa cidade. Apesar do cansaço. Vamos repetir a última: responsabilidade. Entenderam, senhores “donos do poder”?

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.