Dor de cabeça pode ser sinal de problemas na visão

0
195
Foto: Internet

Maioria dos casos está relacionada aos erros refrativos, como a miopia

Quem nunca teve dor de cabeça, levante a mão! Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cefaleia, 95% das pessoas terão, ao menos uma vez na vida, um episódio de dor de cabeça.
De acordo com a oftalmologista Dra. Maria Beatriz Guerios, a dor de cabeça é um sintoma que pode estar presente em diversas doenças.
Entretanto, quando a dor de cabeça é constante e aparece após atividades de leitura, estudos e trabalho, há uma boa chance de estar relacionada a um dos erros refrativos, como a miopia, o astigmatismo, a hipermetropia e a presbiopia”.
Uma característica da dor de cabeça relacionada à visão é que a crise costuma se manifestar ao longo do dia e após algum tipo de atividade que tenha exigido um esforço visual.
“Nesses casos, é muito comum que, juntamente com a dor de cabeça, a pessoa apresente outros sintomas como visão embaçada, lacrimejamento, vermelhidão e sensação de ardência nos olhos”, explica Dra. Maria Beatriz.

QUAL A RELAÇÃO DA DOR DE CABEÇA COM OS OLHOS?

Quando a pessoa tem um erro refrativo não corrigido, ou seja, quando não usa óculos ou lentes de contato, ela precisa fazer um “esforço” para enxergar.
“Isso quer dizer que a pessoa, no caso da miopia e do astigmatismo, costuma apertar as pálpebras e isso causa a contração dos músculos orbiculares (ao redor dos olhos). Na hipermetropia, esse esforço atinge os músculos internos do olho para ajudar a focar os objetos de longe e de perto”, aponta a oftalmologista.
Esse esforço para enxergar, de forma contínua e prolongada, leva à fadiga dos músculos oculares, cujo principal sintoma é a dor de cabeça.
“Contudo, é importante lembrar que mesmo quem usa óculos para corrigir o grau, também pode ter dor de cabeça. Nesses casos, pode ser preciso ir ao oftalmologista para avaliar se houve mudança de grau”, reforça a especialista.

VISTA CANSADA E DOR DE CABEÇA
A vista cansada, cujo nome médico é presbiopia, é uma causa importante de dor de cabeça em quem já passou dos 40 anos. A partir dessa idade, a visão de perto se torna mais difícil. Com isso, é comum forçar a vista para poder ler ou enxergar objetos mais próximos.

DOR DE CABEÇA NAS CRIANÇAS
Os erros refrativos na infância são comuns. Em geral, o diagnóstico ocorre na fase pré-escolar ou na época da alfabetização, quando a criança começa a aprender a ler e escrever. Todavia, a dor de cabeça nem sempre está relacionada a um erro refrativo.
“Algumas crianças que estudam no período matutino, por exemplo, têm o costume de pular o café da manhã. Portanto, a cefaleia pode ser sintoma da hipoglicemia, que é a baixa de glicose no sangue. A dica, para esses casos, é que os pais garantam que a criança se alimente antes de ir para a escola”, ressalta Dra. Maria Beatriz.

DICAS PARA PREVENIR A DOR DE CABEÇA RELACIONADA À VISÃO:

– Caso você tenha um erro refrativo, consulte seu oftalmologista anualmente
– Forçar os olhos para conseguir enxergar não é normal. Caso você faça isso, procure um oftalmologista
– Use os recursos dos dispositivos eletrônicos para filtrar a luz azul emitida por esses aparelhos
– Garanta que o ambiente de estudos, leitura e trabalho esteja bem iluminado
– A cada 20 minutos, descanse os olhos por 20 segundos
– No descanso visual, fixe o olhar no ponto do horizonte mais distante possível
– Lembre-se de piscar, isso é fundamental para prevenir o olho seco

Muito problemas oculares podem ser prevenidos com uma rotina de avaliação oftalmológica. Após os 40 anos e para quem já tem um erro refrativo diagnosticado, as consultas devem ser anuais.
“Caso a dor de cabeça persista após a correção do grau, é preciso procurar um especialista, como um neurologista para um diagnóstico diferencial”, encerra Dra. Maria Beatriz.

(Leda Sangiorgio – Assessoria de Imprensa – [email protected])

Deixe uma resposta