Domingo (18): espetáculos e filmes marcam a programação da Semana Luís Antonio

0
392
Foto: Jorge Etecheber - Virado à Paulista

Exibição do filme “Os Grandes Vulcões” e apresentação dos espetáculos “Virado à Paulista” e “Lôas” movimentam o domingo

Neste domingo (18) a 35ª Semana Luís Antonio Martinez Corrêa – Festival de Teatro (SLAMC) apresenta dois espetáculos, além da exibição de um filme. A programação segue até 24 de junho, com atividades gratuitas promovidas pelas Secretaria Municipal da Cultura e Fundart – Fundação de Arte e Cultura do Município de Araraquara.

O espetáculo “Virado à Paulista”, com Cênica (São José do Rio Preto/SP), abre a programação às 11 horas no Parque Infantil; depois o filme “Os Grandes Vulcões”, do Coletivo Comum (São Paulo/SP) é atração na Biblioteca Municipal Mário de Andrade às 16 horas; por fim, a Corpórea Companhia de Corpos (São Paulo/SP), apresenta o espetáculo “Lôas” às 20 horas, no Palacete das Rosas.

A Semana Luís Antonio Martinez Corrêa é uma realização da Secretaria Municipal de Cultura e Fundart e tem o apoio: da Unesp Araraquara, do PROEC – Pró Reitoria de Extensão Universitária e Cultura, da FCLAr – Faculdade de Ciências e Letras, do CAC – Centro Ação Cultural, do Programa de Pós Graduação em Estudos Literários, do Senac Araraquara e do Sesc Araraquara.

Mais informações sobre a programação da SLAMC podem ser acompanhadas no site e redes sociais da Prefeitura de Araraquara, e nas redes sociais da Semana Luís Antonio (https://www.instagram.com/slamc_aqa/). Toda a programação é gratuita.

Confira mais sobre as atrações de domingo da SLAMC:

–    Espetáculo “Virado à Paulista” – Cênica (São José do Rio Preto/SP)  

Horário: 11 horas

Local: Parque Infantil (Rua São Bento, entre Avs. Prof. Jorge Corrêa e São Geraldo – Centro)

– Em Pirapora do Bom Jesus, batucadas dos mais diversos sotaques deixaram os barracões e ganharam as ruas! Em homenagem àquelas e àqueles que com muito ritmo, melodia e poesia compuseram a história do samba paulista, a Cênica conduz esta viagem que tem como portos as raízes africanas, o samba de bumbo, os cordões carnavalescos, a institucionalização do samba, a intolerância religiosa e o preconceito racial.

Ficha técnica:

Roteiro: Fagner Rodrigues e Simone Moerdaui

Dramaturgia: Coletiva

Direção: Fagner Rodrigues

Direção de movimento: Andrea Capelli

Elenco e musicistas: Beta Cunha, Cássia Heleno (stand in), Clara Tremura

(stand in), Christina Martins, David Balt, Diego Guirado, Diego Neves,

Fabiano Amigucci, Geovanna Leite, Ícaro Negroni, Márcia Morelli, Simone

Moerdaui (stand in) e Vanessa Palmieri (stand in)

Música original “Oriki”: Diego Neves

Orientação vocal e arranjo de “Oriki”: Everton Gennari

Figurinos: Fabiano Amigucci

Classificação Etária: Livre

Duração: 55 min

Filme “Os Grandes Vulcões” – Coletivo Comum (São Paulo/SP)

Horário: 16 horas

Local: Biblioteca Municipal Mário de Andrade (Rua Carlos Gomes, 1729 – Centro)

– O filme “Os Grandes Vulcões” foi inspirado no texto “Arte, verdade e política”, do escritor britânico Harold Pinter (1930 – 2008), prêmio Nobel de Literatura em 2005. Ele mostra uma atriz apresentando as reflexões de Pinter em relação aos debates da atualidade, somadas às proposições do Coletivo Comum sobre arte e sociedade.

O trabalho dialoga com a linguagem do teatro documental exercitada pelo Coletivo Comum e parte da ideia provocativa de Pinter, que faz uma análise contundente sobre a política externa dos Estados Unidos e da Inglaterra – destacando as intervenções dos EUA no Oriente Médio e na América Latina – além de discutir a capacidade do teatro em expressar a verdade.

O filme investiga a natureza das formas narrativas na intersecção entre ficção e realidade. Em tempos de pós-verdade e fake news, o bom atrito entre arte e sociedade pode projetar alguma luz sobre a nossa realidade.

Com classificação etária para 14 anos, “Os Grandes Vulcões” tem duração de 67 minutos. A entrada é gratuita e os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início.

Ficha técnica:

Roteiro, pesquisa musical e direção geral: Fernando Kinas

Elenco: Fernanda Azevedo

Assistência de direção e de produção: Beatriz Calló

Cenário: Julio Dojcsar

Figurino: Madalena Machado

Direção audiovisual: Thiago B. Mendonça

Montagem: Thiago B. Mendonça, Fernando Kinas e Murilo Morais Oliveira

Fotografia e finalização de imagem: Gabriel Ranzani

Som direto: Rafael Gonzaga Cunha

Finalização de som: Ricardo Zollner

Iluminação: Clébio Ferreira (Dedê)

Assistência de iluminação: Gabriele Souza

Cabelo: Christian Mourelhe

Programação visual: Camila Lisboa

Fotos de divulgação e suporte técnico: Lienio Medeiros

Fotos still: André Murrer

Produção geral: Daniela Embón

Produção audiovisual: Renata Jardim

Comunicação e redes: Gabriela Sá Earp

Assessoria de imprensa: Márcia Marques – Canal aberto

Realização: Kiwi Companhia de Teatro/Coletivo Comum

Classificação Etária: 14 anos

Duração: 67 min

– Gratuito com retirada de ingresso com uma hora de antecedência

Espetáculo “Lôas” – Corpórea Companhia de Corpos (São Paulo/SP)

Horário: 20 horas

Local: Palacete das Rosas Paulo A.C. Silva (Rua São Bento, 794 – Centro)

– O espetáculo “Lôas” apresenta o entrelaçamento da trajetória de seis mulheres em uma embarcação, que navegam por um oceano composto por suas próprias vivências e memórias.

Em um contínuo movimento pendular, as histórias que elas têm para contar transmutam de seus corpos através da leveza, da tensão, da respiração, da gradação e do tremor.

Nestes percursos transatlânticos, que remetem às resistências históricas diante do tráfico de pessoas africanas escravizadas no Brasil realizado em navios negreiros e traçam um paralelo com a atual problemática da mulher negra diante do racismo estrutural, essas mulheres recriam sonoridades, gestualidades e imagens, que confluem na celebração de suas existências, convocando sua força a partir daquilo que vivem no presente.

Com classificação etária para 12 anos, “Lôas”, com duração de 50 minutos, é um projeto contemplado pelo edital PROAC Nº 39/2022 – Cidadania Cultural – Produção e Realização de Projeto Cultural – Cultura Negra, Urbana e Hip Hop. A entrada é gratuita e os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início.

Ficha técnica:

Idealização: Corpórea Companhia de Corpos

Produção: Plataforma – Estúdio de Produção Cultural

Direção: Verônica Santos

Elenco: Beatriz Oliveira, Rafa Araujo, Ijür Satso, Thaís Dias, Késsia Midory e Verônica Santos

Encenação e Preparação de Corpo Cênico: William Simplício

Direção de Produção: Fernando Gimenes

Luz e Espaço Cênico: Wagner Antônio

Montagem e Operação Luz: Aline Sayuri

Direção e Produção Musical: Melvin Santhana

Co-produção musical: Lucas Melifona

Figurinos: Fernando Gimenes e Verônica Santos

Produção Financeira: Matheus Borges

Fotógrafo: Sérgio Fernandes

Classificação Etária: 12 anos

Duração: 50 min

– Gratuito com retirada de ingresso com uma hora de antecedência

SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.