Descarte adequado de resíduos cortantes é tema do “Canal Direto com a Prefeitura”

0
238
Gerente de Resíduos Sólidos do DAAE orienta a população sobre como preparar o material para a coleta domiciliar

Programa produzido pela Secretaria Municipal de Comunicação, o “Canal Direto com a Prefeitura” desta quinta-feira (22) contou com a participação do engenheiro e gerente de Resíduos Sólidos do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), Agamemnon Brunetti Júnior, que falou sobre o descarte adequado de resíduos cortantes na coleta domiciliar.

Agamemnon comentou sobre os materiais que são descartados de maneira incorreta, que podem ocasionar riscos, principalmente aos coletores e catadores da cidade. “São materiais encontrados na nossa residência, por exemplo louças, latas de conserva, um pedaço de arame, lâmina de barbear, lâmpadas quebradas, copos quebrados, agulhas, entre outros. Em alguns casos, esses tipos de materiais, quando colocados no lixo comum, sem a devida proteção, podem ocasionar sérios ferimentos aos coletores”, comentou.

Ele mencionou sobre o procedimento adotado quando um coletor é ferido. “Quando isso ocorre, o coletor é encaminhado à UPA para receber os primeiros socorros. Depois, dependendo do tipo de material com que teve contato, ele tem que ser submetido a algum tipo de tratamento. Se é uma agulha, por exemplo, que pode estar eventualmente infectada, ele vai ter que ter um acompanhamento médico, tomar coquetéis para prevenir problemas como hepatite, HIV, entre outros. Será preciso fazer uma CAT, que é a Comunicação de Acidente de Trabalho, e essa pessoa é afastada por uma semana ou mais dias de trabalho por conta do ferimento. Esses ferimentos às vezes são mais graves e é preciso dar ponto cirúrgico, de sete a dez pontos nos ferimentos profundos. Isso ocorre muito por pedaços de cacos de vidro que estão dentro de um saco plástico de lixo e quando o coletor vai pegar o saco, ele bate na perna ou corta a mão”, exemplificou.

Agamemnon falou sobre as ocorrências de acidentes neste ano na cidade. “Na coleta domiciliar foram três acidentes mais graves, com corte que resultou em afastamento do trabalhador. Na coleta seletiva deve ter tido uns dois casos, mas qualquer quantidade já é significante, visto que um acidente causa tudo isso que comentamos”, salientou.

Para o gerente, a empatia também deve se fazer presente nesse ato de preparar os resíduos para a coleta. “A solidariedade se traduz no cuidado com o próximo, no cuidado que a pessoa tem que ter ao embalar o lixo, porque vai ter alguém na frente pegando esse material, manuseando, para o conforto da própria pessoa que gerou o lixo, que vai ter a destinação correta, vai ter um tratamento correto”, acrescentou.

Ele lembrou que a cidade conta com três tipos de coleta de lixo. “Temos a coleta do lixo comum, a coleta dos materiais recicláveis e a coleta dos resíduos de serviços de saúde. Cada um deles tem uma coleta diferenciada e tem um tratamento diferenciado para esses resíduos, então as pessoas precisam separar corretamente para não acontecer esses tipos de acidentes”, pontuou.

O gerente do Daae deixou mais orientações sobre esse procedimento. “O que for reciclável é preciso separar para a coleta seletiva, que tem uma vez por semana e passa na casa das pessoas. A coleta do lixo domiciliar é diária no caso de ser no Centro da cidade ou três vezes por semana nas demais regiões. Existe um serviço de coleta, então não há porquê as pessoas jogarem lixo em qualquer lugar, em terreno baldio, ou misturar o lixo para colocar tudo junto em um lugar só”, observou.

Ele também falou sobre a medida que deve ser adotada ao descartar seringas ou materiais médicos. “No caso de seringas com agulha, muitas vezes a pessoa faz uso de insulina e ela deve condicionar esse material em garrafas pet ou algum recipiente de plástico resistente e levar a postos de saúde. Nunca coloque no lixo comum, nem no reciclável, porque as pessoas vão se machucar e tem todo esse transtorno de acompanhamento. Isso é algo que mexe até com psicológico da pessoa, porque ela foi furada por uma agulha e não sabe o que tinha ali”, alertou.

Outro material que causa muita preocupação entre os coletores é o vidro. “O vidro quebrado é o que causa muitos acidentes. É preciso embrulhar no jornal ou colocar dentro de uma caixa de papelão, deixando um recado que ali tem vidro quebrado. Esse pequeno cuidado evita um transtorno muito grande na frente”, concluiu Agamemnon .

Ao vivo

O “Canal Direto com a Prefeitura” vai ao ar de segunda a quinta-feira, às 12h30, na página da Prefeitura no Facebook. A íntegra dos programas continua disponível para visualização no próprio Facebook e em outras plataformas digitais, incluindo o formato de podcasts.

SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.