Conferência ouve população para definir políticas públicas de transporte coletivo

0
122
Foto: Tetê Viviani

Prefeitura realizou no sábado (27) a Conferência Municipal do Transporte Coletivo, no auditório do Sincomércio, no Centro; cerca de 100 propostas foram aprovadas

A Prefeitura realizou a Conferência Municipal do Transporte Coletivo no sábado (27), no auditório do Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara). Com presença do prefeito Edinho e outras autoridades, o evento teve objetivo de colher sugestões da população e elaborar um plano municipal para o setor.
Cerca de 100 propostas sugeridas nas pré-conferências e levadas à conferência foram aprovadas pela população presente. O próximo passo é a elaboração de um plano municipal a ser enviado à Câmara Municipal para apreciação e votação.
A conferência teve como tema “Democracia e direito à cidade: transporte e a participação popular como garantia de direitos” e contou com palestra do engenheiro civil Luiz Carlos Mantovani Néspoli, o Branco, que é superintendente da Associação Nacional de Transportes Públicos.
“O encontro deste sábado é fundamental para que a população participe da elaboração das políticas públicas de transporte coletivo. Debater o transporte coletivo é debater algo que interfere diretamente na vida das pessoas. Sem uma política de transporte e de mobilidade urbana, todas as outras políticas públicas são prejudicadas. Saúde, educação, assistência social, esporte e cultura: tudo isso é importante. Mas sem o transporte as pessoas não chegam na saúde, na educação, na cultura, no esporte”, destacou o prefeito Edinho.
“E com o surgimento de aplicativos e outras modalidades de transportes, precisamos todos, poder público, população e empresas de transportes, dialogar e encontrar uma saída para que o sistema continue funcionando e atendendo a população da melhor forma”, complementou Edinho.
Para a secretária de Direitos Humanos e Participação Popular, Amanda Vizoná, a conferência é fundamental para a melhoria dos serviços do transporte público. “Vocês estão representando muitas pessoas que precisam do transporte coletivo. Sem a participação popular, não há cidadania e garantia de direitos. Espero que a gente possa aprovar as melhores propostas, criar esse plano municipal, mandar para a Câmara Municipal e construir uma sociedade melhor para Araraquara.”
O diretor-presidente da Controladoria do Transporte de Araraquara e coordenador de Mobilidade Urbana, Nilson Carneiro, fez uma apresentação com detalhes do transporte coletivo no município. São 39 linhas operando na cidade, sendo 30 do Consórcio Araraquara de Transportes (CAT, formado por Empresa Cruz e Viação Paraty) e nove da Viação Paraty.
São 36 mil passageiros por dia, em média, utilizando o transporte coletivo, o que representa 1,1 milhão de passageiros por mês. São 117 ônibus integrando a frota do transporte público e 1.171 partidas diárias.
Nilson também elencou investimentos recentes, como a colocação de cinco novos ônibus para atender a região norte da cidade, a reforma do Terminal Central de Integração, a implantação de novos abrigos em pontos de ônibus, entre outras melhorias.
A presidente do Conselho Municipal de Usuários do Transporte Coletivo, Claudete Basaglia Camargo, agradeceu à Prefeitura pela oportunidade. “Este é um conselho em que me sinto segura de participar, pois sempre fui usuária do transporte coletivo. Agradeço ao nosso prefeito, que nos estimula para a participação popular. É a população defendendo o transporte público e fortalecendo a democracia. Que a gente saia daqui fortalecido com nossas conquistas”, declarou.
Representando a Câmara Municipal, o vereador Guilherme Bianco (PCdoB) destacou que a sociedade vive um paradigma em relação ao assunto, pois a popularização dos aplicativos de transporte particular colocou o transporte coletivo em outro parâmetro. Segundo o parlamentar, existem muitos desafios a serem superados.
“Essa conferência é fundamental para darmos novos passos e fazer com que o transporte coletivo cumpra uma tarefa social e garanta direitos para a população. A gente quer um transporte coletivo que garanta o direito à saúde, à educação, à cidadania, ao lazer, à cultura, ao trabalho. Se não estiver cumprindo essa função, ele não tem o porquê de existir”, opinou Bianco.
Também participaram da conferência a secretária de Justiça, Modernização e Relações Institucionais, Mariamália de Vasconcellos Augusto, e os secretários de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, coronel João Alberto Nogueira Júnior, e de Administração, Adriano Altieri; o coordenador de Participação Popular, Anderson Morfy, entre outros coordenadores e gestores.
Representando as empresas que operam o transporte coletivo em Araraquara, estiveram presentes Matheus Bianchini, gerente do Consórcio Araraquara de Transportes (CAT); Gustavo Herszkowicz, diretor da Viação Paraty; e Leandro Francischini, gerente da Empresa Cruz.

(Secretaria de Comunicação – Prefeitura de Araraquara)

Deixe uma resposta