Conferência Municipal de Imigração gera debates e propõe diretrizes para o tema

0
55
Plenária foi realizada no último sábado (23) na Escola Industrial

Araraquara sediou na última semana a 1ª Conferência Municipal de Imigração “Uma cidade, um só povo, só um mundo para todos”, evento realizado pela Prefeitura de Araraquara, por meio da Coordenadoria de Direitos Humanos, que integra a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Participação Popular.

A abertura foi realizada na última quarta-feira (20), no auditório da Biblioteca Municipal “Mário de Andrade”, em uma solenidade que contou com a participação do prefeito Edinho e do coordenador geral de Política Migratória do Departamento de Migração do Ministério da Justiça e da Segurança Pública, Paulo Illes. 

 
A conferência teve sequência no sábado (23), quando ocorreu a plenária, que foi aberta ao público e teve como sede a Etec Profª Anna de Oliveira Ferraz (Escola Industrial), no Centro. O evento de sábado teve o propósito de debater as diretrizes e recomendações de políticas públicas para pessoas imigrantes, refugiadas e apátridas, promovendo a participação social e política dessa população que tem aumentado no município.

O secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Marcelo Mazeta, fez uma avaliação da conferência realizada em Araraquara. “Foi um momento muito importante para nossa cidade, principalmente para os imigrantes que aqui buscam sua morada. Creio que foi um grande e profícuo encontro. Araraquara está aperfeiçoando as políticas públicas voltadas a esse público e ao mesmo tempo contribuindo para que o governo federal avance com concretude nas políticas e ações desta importante pauta para o país e ao mundo, especialmente neste momento de crises e conflitos que fomentam o fluxo migratório”, analisou.

A coordenadora de Direitos Humanos, Renata Fattah, também valorizou os resultados da plenária. “A 1ª Conferência Municipal de Imigração na cidade de Araraquara ofereceu um espaço de integração entre representantes do poder público e da sociedade civil para debater, avaliar políticas públicas e propor diretrizes para o seu aperfeiçoamento. As discussões foram organizadas em seis eixos temáticos que reuniram as reflexões, desafios e perspectivas acumuladas nos mais diversos setores da sociedade no que se refere à migração, refúgio e apatridia. Com a adesão da população imigrante residente no município, foram elaboradas propostas direcionadas para as esferas municipais, estaduais e federais considerando suas maiores necessidades. É um grande marco para Araraquara que vem sendo reconhecida por ser uma cidade acolhedora”, comentou.

 
As propostas direcionadas para a esfera federal foram divididas em seis eixos: igualdade de tratamento e acesso a serviços públicos; inserção socioeconômica e promoção do trabalho decente; interculturalidade e diversidades; governança e participação social; regularização migratória e documental; e enfrentamento a violações de direitos. Cada eixo contou com três propostas.
 
A conferência de Araraquara foi uma etapa preparatória para a 2ª edição da Conferência Nacional de Migrações, Refúgio e Apatridia (Comigrar), que é uma iniciativa de mobilização nacional dos diversos atores sociais, políticos e institucionais ligados ao tema. O material consultivo produzido irá subsidiar a elaboração do 1º Plano Nacional de Migrações, Refúgio e Apatridia. A conferência nacional será realizada entre os dias 7 e 9 de junho na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), em Foz do Iguaçu-PR.
 
SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.