Combate à dengue atua no Iguatemi, Altos do Pinheiros, Selmi Dei e Centro

0
139
Equipes da Prefeitura intensificaram os trabalhos e pedem que população colabore na prevenção

Agentes de controle de endemias, da Vigilância Epidemiológica, realizaram nesta terça-feira (15) vistoria casa a casa nos bairros  do Jardim Iguatemi, Altos do Pinheiros, Selmi Dei I e Centro. Nesta quarta-feira (16), o trabalho terá sequência no Iguatemi e no Centro.  O serviço consiste em bloqueio aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e outras doenças como zika, chikungunya e febre amarela, além de orientações de prevenção.

Alessandra Cristina do Nascimento, gerente de Controle de Vetores, explica que o trabalho tem sido intensificado mesmo durante a pandemia. “Usamos a estratégia de entrar com a intensificação e retirar materiais inservíveis juntamente com a vistoria. Temos encontrado uma quantidade absurda de criadouros em imóveis residenciais e comerciais. Em 2021 retiramos mais de 1.000 toneladas de materiais”, relata.

Com o crescimento do número de casos na cidade, a gerente alerta a população para que colabore com a limpeza de quintais, residências e terrenos. “É importante que cada um faça sua parte e tire um período do dia para vistoriar seu imóvel. Precisamos dar uma atenção maior pra isso. E quando o agente passar, receba-o bem, pois ele tem um olhar preparado para identificar o perigo e passar as devidas orientações”, esclarece Alessandra.

Prevenção

Somente em fevereiro, de acordo com a Vigilância Epidemiológica, as equipes de combate à dengue recolheram 21 toneladas (21.000 kg) de materiais inservíveis nas residências visitadas. São objetos e outros resíduos que não estavam sendo utilizados pelo morador e foram retirados com autorização do proprietário da casa.

Em média, são visitadas 30 mil casas por mês. Em metade delas o trabalho não é concluído por falta de autorização para a entrada. As equipes inclusive fazem horário estendido (noturno) e plantões aos sábados.

Segundo a Vigilância, o ano de 2022 (até o dia 15 de março) registra 897 casos confirmados de dengue. Foram 138 casos em janeiro, 539 casos em fevereiro e 220 em março. O índice deste ano está muito aquém do registrado em 2019, quando o município enfrentou uma epidemia. Naquela oportunidade, 23.134 casos foram registrados no ano inteiro e 16.911 entre janeiro e março. Porém, o índice deste ano está acima do registrado no ano todo de 2021. Nesta semana, três óbitos causados pela dengue foram registrados em Araraquara.


Os sintomas de dengue são febre, dor no corpo, dor de cabeça, dor atrás dos olhos e manchas pelo corpo. No momento em que o paciente procurar o atendimento, ele deve levar RG, Cartão SUS e um comprovante de endereço com CEP.

Denúncia

O descarte irregular de lixo, resíduos sólidos, volumosos (sofás, poltronas e colchões) e queimadas em área urbana e rural causam danos à saúde e ao meio ambiente. A denúncia aos órgãos oficiais pode ser feita pelo telefone 0800 770 1595.

 
SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.